UFC não cumpre mais uma promessa com Brasil e José Aldo defenderá cinturão no Canadá

Parece que está virando rotina e mais uma vez os fãs brasileiros de MMA não vão ver algo que foi prometido pelo presidente do UFC, Dana White: o peso pena José Aldo não vai mais defender seu cinturão por aqui. A luta contra Erik Koch acontecerá no Canadá, em 21 de julho.
No mesmo dia em que anunciou a saída do país da esperada revanche entre Anderson Silva e Chael Sonnen, luta que tinha sido anunciada para o Rio de Janeiro, Dana White disse que Aldo defenderia novamente seu cinturão em solo brasileiro, no UFC 147. Menos que uma semana depois de o dirigente ter dito isso, foi anunciado que ele estará na edição 149.
Quem deu em primeira mão essa notícia foi a colega Ana Hissa, no site Sportv.com, e nos dias seguintes, todos os principais sites de MMA dos Estados Unidos confirmaram essa informação.
Vamos explicar esse vai e volta.
Inicialmente, já estava marcado que Aldo lutaria na cidade canadense de Calgary no UFC 149. Mas vendo o card do 147 esvaziado com a saída de Anderson x Sonnen, Dana disse queo  levaria para lutar no Brasil. Só que após dar esperança aos brasileiros, a luta do brasileiro voltou para o Canadá.
O adversário do brasileiro ainda não está oficializado, mas como blogo contou essa semana (Veja noticia abaixo), essa disputa de cinturão deve cair no colo do jovem norte-americano Erik Koch, depois de os outros possíveis candidatos ao título já terem lutas marcadas.


 SEM OPÇÕES, ERIK KOCH DEVE SER RIVAL DE JOSÉ ALDO EM DISPUTA DE TITULO NO UFC 147 NO BRASIL


O confuso UFC 147 no Brasil perdeu a esperada revanche entre Anderson Silva e Chael Sonnen, mas ganhou uma nova disputa de cinturão. Na mesma entrevista em que confirmou a ida do primeiro combate para Las Vegas, Dana White disse que deve colocar José Aldo para defender seu título dos penas em 23 de junho, por aqui, em terras brasileiras.
Mas então surgiu a grande dúvida: contra qual rival? Pois o blog foi atrás dessa resposta, apurou e chegou a um nome pouco conhecido e que deve ver cair no colo, por uma série de conjecturas, uma disputa de cinturão do maior evento de MMA do mundo.
Quem deve herdar essa vaga na luta contra José Aldo no Brasil deve ser o competente – e sortudo – norte-americano Erik Koch, de apenas 23 anos. Mesmo tão novo, ele já tem 14 lutas profissionais de MMA e apenas uma derrota, para Chad Mendes. Entre o extinto WEC e o UFC, ele vem de quatro vitórias consecutivas, incluindo dois nocautes da noite.
Mas agora, como Koch conseguiu “furar” a fila dos pesos penas do UFC?
(1) A próxima defesa de cinturão de Aldo deveria ser contra o vencedor de Korean Zombie x Poirier, que acontece em 15 de maio. Mas esse combate pelo título seria apenas no UFC 149, em 21 de julho, no Canadá. Com essa mudança para 23 de junho, o coreano ou Poirier teriam pouco mais de um mês para se preparar, o que praticamente inviabilizaria esse novo combate tão próximo.
(2) Erik Koch já é apontado como um dos principais nomes da categoria no UFC, mas acabou se lesionando e ficando de fora de sua luta contra Dustin Poirier em fevereiro. Uma vitória nesse combate o colocaria tranquilamente em posição de disputar o título. Sua indicação agora não seria tão absurda assim.
 (3) Outro lutador em boa fase e que era apontado como possível rival de José Aldo teve sua nova luta anunciada na última quarta-feira. Hatsu Hioki vai enfrentar Ricardo Lamas no UFC on FX 4, marcado para o dia 22 de junho, em Atlantic City.
(4) Mais nomes importantes dos pesos penas do UFC não conseguem ter uma boa série de lutas invictas, como é o caso do alemão Denis Siver ou do brasileiro Diego Nunes.
Agora, é esperar o anuncio oficial do próximo adversário de José Aldo, que em sua última luta vencer Chad Mendes no Rio de Janeiro no começo desse ano. Mas essa é apenas uma das muitas dúvidas em torno do UFC 147. Afinal, nem mesmo lugar para acontecer o evento ainda tem.

Nenhum comentário: