Rafaello 'Trator' é o sexto brasileiro anunciado no card do UFC 148

Lutador, que vem de duas derrotas no UFC, faz duelo por sobrevivência na organização contra o cubano Yoislandy Izquierdo no evento do dia 7 de julho.

 

 

 

Depois de Anderson Silva, Renan Barão, Demian Maia, Gleison Tibau e Fabrício Camões, o Brasil ganhou mais um representante no card do UFC 148, que será realizado no dia 7 de julho, em Las Vegas. Trata-se de Rafaello "Trator" Oliveira, de 30 anos, que vai enfrentar o cubano Yoislandy Izquierdo, de 28. O duelo da divisão peso-leve será válido pelo card preliminar do evento, conforme anunciou o Ultimate

Rafaello tem 14 vitórias e cinco derrotas na carreira. No UFC, tem apenas um triunfo em quatro lutas. A apresentação dele no UFC 148 pode valer sua sobrevivência na organização, uma vez que vem de reveses para Gleison Tibau, por finalização, e Yves Edwards, por nocaute.
Izquierdo, por sua vez, tem sete lutas no cartel e só uma derrota, exatamente no último duelo, contra o sueco Reza Madadi. Na ocasião, ele fazia sua estreia no Ultimate.
 
CARD PRINCIPAL
Anderson Silva x Chael Sonnen
Urijah Faber x Renan Barão
Forrest Griffin x Tito Ortiz
Rich Franklin x Cung Le
Dong Hyun Kim x Demian Maia
 
CARD PRELIMINAR
Chad Mendes x Cody McKenzie
Khabib Nurmagomedov x Gleison Tibau
Mike Easton x Ivan Menjivar
Riki Fukuda x Constantinos Philippou
Fabricio Camões x Melvin Guillard
John Alessio x Shane Roller
Yoislandy Izquierdo x Rafaello Oliveira

Anderson Silva revela lesão no joelho, mas acredita em recuperação

Campeão dos médios diz que se machucou durante o treino, mas garante que vai enfrentar Sonnen: 'Dia 7 de julho estarei cumprindo meu trabalho'.

 

 Anderson Silva revelou nesta segunda-feira que lesionou recentemente o joelho durante uma sessão de treinamento. No entanto, ele se mostrou tranquilo, acreditando que terá tempo suficiente para se recuperar, uma vez que o duelo contra Chael Sonnen está marcado para o dia 7 de julho. Durante cerimônia em que recebeu o título de Embaixador do Taekwondo no Brasil, realizada no Centro do Rio de Janeiro, o atleta comentava a briga no Twitter entre os compatriotas Vitor Belfort e Wanderlei Silva, quando deixou escapar que está tratando a lesão:







- O Vitor se machucou, mas é normal isso acontecer. Espero que eles (Vitor e Wanderlei) voltem a se entender logo. Eu, por exemplo, machuquei o joelho no treino, mas ainda dá tempo de me recuperar. Ele talvez não consiga.
Após a grande e rápida repercussão de sua declaração, o lutador minimizou o fato no Twitter:
- Gente, meu joelho vai muito bem, obrigado. Fiquem tranquilos, dia 7 de julho estarei cumprindo meu trabalho. Osss - escreveu.
Em entrevista recente ao SPORTV.COM, Spider afirmou que, em relação à primeira luta contra Sonnen, em agosto de 2010, quando foi dominado mas venceu por finalização no fim do quinto round, tirou de lição que jamais lutaria machucado novamente. Na ocasião, após a vitória, o brasileiro revelou que havia fissurado uma costela dias antes do combate:
- Tirei que nunca mais vou lutar machucado. Já fiz muito isso durante muitos anos da minha vida, mas não preciso mais. Não tenho mais nada a provar para ninguém, independentemente de derrota ou vitória. Hoje o que tento fazer é manter a hegemonia que foi deixada para a gente, pela família Gracie, depois com o Pedro Rizzo, Marco Ruas, André Pederneiras, Hugo Duarte e outros grandes nomes do nosso MMA. Sou um patrimônio brasileiro em relação à luta, então tenho que honrar isso e estou muito feliz por poder continuar essa história.
A revanche entre Anderson Silva e Chael Sonnen, em 7 de julho, será realizada em Las Vegas, na atração principal do UFC 148. Caso o Spider não consiga se recuperar a tempo, vai se tornar outro enorme problema para o Ultimate, que teve de lidar nos últimos dias com a lesão de Vitor Belfort. O carioca foi retirado da luta contra Wanderlei Silva no UFC 147, em 23 de junho.

Wanderlei Silva ataca Vitor Belfort após lesão na mão: 'É um fanfarrão'

Lutadores não irão mais se enfrentar no UFC 147. 'Cachorro Louco' se irrita e critica Belfort, que responde: 'Desequilíbrio emocional revela medos'.

 

Wanderlei Silva não reagiu tranquilamente à notícia de que a lesão na mão esquerda de Vitor Belfort , provocada por um deslocamento de ossos do local no momento em que o lutador aplicou um soco durante o treino, cancelou a revanche entre eles, marcada para o dia 23 de junho, no UFC 147, em Belo Horizonte. O "Cachorro Louco" usou o Twitter para atacar o rival:
- Se quebrou de verdade é muito amadorismo. Se não quebrou, arregou. Nas duas é muito desrespeito, falta de responsabilidade com o público.
Ele também reagiu com ironia à declaração de Belfort, dizendo que estava pronto para a luta mesmo com uma mão só:
- Com uma mão só? O senhor é um fanfarrão. Somos profissionais. Foi uma grande irresponsabilidade não ter tido cuidado nos treinos, um desrespeito com os fãs. Fiquei muito triste com tudo isso. Estou pronto para te nocautear, mas não tem para onde correr. Essa luta vai ter que acontecer, pode correr...
Wanderlei também contestou a declaração de Belfort de que a intensidade dos treinos foi o fator responsável pela lesão na mão:
- Ninguém treina tão duro assim ao ponto de socar tão forte. Nós usamos os melhores equipamentos, luva, gel, bandagem. Eu acho que amarelou mesmo. Se estava com medo, não tivesse aceitado a luta. Como ficam os principais prejudicados com isso (os fãs)? Quem tem de verdade se preocupa com eles. Estou p... com esse amadorismo. Um "main event" (luta principal da noite) no maior evento do mundo e o cara me dá uma dessas. Ai não dá, né? Não tem desculpa.



Pouco depois, Vitor Belfort respondeu, mas seguiu sua característica de não proferir palavrões nem ofensas ao oponente:

- O desequilíbrio emocional de uma pessoa revela seus medos. Eu agradeço o carinho de todos vocês. Confiança não é arrogância, permaneço confiante e mantenho meu respeito com o meu adversário, pois agora minha luta é contra minha lesão. Lembre-se de uma coisa: tudo passa, e o que fica são as escolhas. Não tenham raiva. Cada um com o seu, mas respeito é um dever de todos. Tenham um bom dia, e peço a Deus que te dê em dobro aquilo que deseja para mim.  Fui!
Mais tarde, aparentemente encerrando a discussão, Wanderlei Silva foi mais uma vez à rede social e retrucou a afirmação de que teria medo de enfrentar Belfort:
- Medo de você kkkkkkkkkkkkk (risos). Essa foi da década, né? Juro, ri sozinho agora no carro.
Vitor e Wanderlei já lutaram uma vez, em 1998, com vitória arrasadora por nocaute do primeiro, em apenas 44 segundos. O segundo duelo entre eles, que deveria ocorrer no UFC 147, ficou ainda mais aguardado por causa do The Ultimate Fighter Brasil - Em busca de campeões, do qual ambos são treinadores. No reality show exibido aos domingos pela TV Globo, eles se desentenderam algumas vezes e deixaram o clima quente entre as equipes. Wanderlei costuma provocar o rival, dizendo que os discursos dele são chatos e garantindo que iria vencê-lo em junho. Vitor, por outro lado, procura ser mais contido, mas também criticou o "Cachorro Louco" recentemente em entrevista ao SPORTV.COM.

'Estava tão confiante que queria lutar com uma mão só', afirma Vitor Belfort

Após deslocar ossos da mão esquerda, lutador se diz frustrado, mas vê lado positivo: 'Vai me dar força para fazer mais quatro, cinco, seis lutas'.

 

O público ligado ao MMA levou um baque e tanto na madrugada deste domingo, quando o presidente do UFC, Dana White, anunciou que Vitor Belfort havia lesionado a mão e estava fora do UFC 147, no dia 23 de junho, onde faria um esperado duelo contra Wanderlei Silva. O lutador conversou em primeira mão com o SPORTV.COM e contou que sofreu a lesão, um deslocamento dos ossos da mão esquerda, durante o treino da tarde de sábado, em seu CT no Rio. Segundo Vitor, que é canhoto e estava utilizando luvas e ataduras, ele aplicou um golpe de encontro tão poderoso que abriu até um corte na testa do sparring, que estava com protetor facial. O peso-médio foi submetido a uma cirurgia pouco depois, por volta das 18h (de Brasília).
- Eu estava fazendo sparring, fui muito bem no primeiro round e, quando comecei a encaixar golpes duros no segundo, me empolguei. Foi a hora em que soltei meu golpe mais poderoso e deu um tremendo choque na minha mão. Quando tirei a atadura e a luva, o osso do punho já estava deslocado, doendo muito. Liguei desesperadamente para o meu amigo Michael Simoni. Achei que ia dar, tentei não me desesperar na hora. Mas tive que fazer o processo cirúrgico. Perguntei para ele se tinha como fazer alguma coisa, mas ele disse que não. Eu queria lutar. Estava tão confiante que queria lutar com uma mão só, mas não dá nem para tocar que dói. Infelizmente faz parte do meu trabalho de atleta. É difícil aceitar, mas acontece. Eu estava fazendo tudo perfeito. Foi uma coisa em que a gente ainda não acredita - disse Belfort.


  Michael Simoni, ex-médico do Fluminense e que cuida de Vitor já há alguns anos, explicou que o paciente ficará um mês com o braço imobilizado e, depois disso, poderá começar o trabalho de

Glover Teixeira festeja vitória e diz que treinou como sempre para a estreia

Brasileiro garante que não sentiu a pressão de lutar no UFC, e analisa como conseguiu finalizar Kyle Kingsbury com um kata-gatame no primeiro round.

 

 

O meio-pesado Glover Teixeira nem parecia ter estreado no UFC após a vitória sobre Kyle Kingsbury com uma bela finalização no primeiro round. Aparentando muita tranquilidade, o lutador relembrou o tempo que demorou para chegar ao maior torneio de MMA do mundo:
- Foram três anos e meio (tentando entrar no UFC), e o sonho se tornou realidade quando eu assinei o contrato. Hoje, foi do meu jeito, graças a Deus. Quase foi um nocaute, agora estamos concorrendo à melhor finalização. Sobrália está em festa, deve estar tendo carreata agora!

 

Dana White não confirma, mas pensa em Cigano x Velásquez no Brasil

Presidente do UFC considera revanche uma boa opção para evento em estádio de futebol brasileiro e descarta que luta aconteça no México.

 

As vitórias arrasadoras de Junior Cigano e Cain Velásquez no UFC 146 deixaram claro que os dois seguem no topo da divisão dos pesados. Com boatos circulando de que a revanche entre eles será a próxima defesa de cinturão do brasileiro, o presidente Dana White não quis se comprometer e declarar quando o combate aconteceria, mas mostrou-se inclinado a realizá-lo.
- Acho que é uma boa ideia. Não sei quando será, mas gosto dessa luta. Veremos o que acontece. Cain merece a próxima luta. Vocês querem que eu dê o local, a data... Eu não sei ainda - respondeu Dana White, que afirmou depois que gostaria de fazer a revanche num estádio de futebol no Brasil. Indagado se a luta seria uma boa opção para a estreia do Ultimate no México, o dirigente descartou.
- Seria mesmo uma boa opção, mas eu vejo isso acontecendo primeiro no Brasil e depois no México - disse.
Cigano, que tirou o cinturão de Velásquez em novembro do ano passado e nocauteou Frank Mir neste sábado no UFC 146, se mostrou aberto a um novo confronto com o ex-campeão.

Vitor Belfort lesiona mão e não fará revanche contra W. Silva no UFC 147

Dana White revela durante coletiva que peso-médio vai precisar de cirurgia. Wanderlei Silva continua no evento, mas está sem adversário definido.

 

 

O presidente do UFC, Dana White, revelou na madrugada de sábado para domingo que Vitor Belfort se lesionou e não vai mais enfrentar Wanderlei Silva no evento principal do UFC 147, ou UFC BH, em 23 de junho. O "Fenômeno" quebrou a mão durante os treinos para a luta e vai precisar de cirurgia. White não anunciou o substituto de Belfort.
O dirigente fez a revelação durante um bate-papo com os jornalistas após o UFC 146, em Las Vegas. Ele respondia uma pergunta sobre os problemas que tinha de enfrentar diariamente, como a prisão da ring girl Arianny Celeste na manhã deste sábado e a prisão do peso-meio-pesado Jon Jones no começo da semana por dirigir embriagado.

Paul Sass, Stefan Struve, Dan Hardy e Roy Nelson são premiados da noite

UFC não elege luta da noite, mas premia duas finalizações e dois nocautes como os melhores da edição 146. Dana cogita premiar Glover, mas recua.

 

 

Em uma premiação inédita, o UFC decidiu que não houve uma luta da noite no UFC 146, e premiou dois lutadores para cada um dos quesitos com US$ 70 mil cada (cerca de R$ 140 mil). Paul Sass e Stefan Struve foram os escolhidos para melhores finalizações da noite, ao vencerem respectivamente Jacob Volkmann e Lavar Johnson.
Os veteranos Dan Hardy e Roy Nelson tiveram suas vitórias escolhidas como melhores nocautes do torneio, respectivamente contra Duane Ludwig e Dave Herman. A finalização de Glover Teixeira sobre Kyle Kingsbury chegou a ser cogitada por Dana White como candidata à melhor da noite, mas acabou ficando fora da premiação.

Em luta sangrenta, Pezão leva nocaute de Cain Velásquez em estreia no UFC

Brasileiro sofre corte profundo no supercílio e perde por nocaute técnico para ex-campeão peso-pesado aos 3m36s do primeiro round em Las Vegas.

 

 

A estreia de Antônio Pezão no UFC não foi como ele esperava. O brasileiro sofreu um corte profundo no supercílio logo no início da luta e, sem enxergar quase nada por conta do sangue que jorrava, levou um nocaute técnico de Cain Velásquez ainda no primeiro round do co-evento principal do UFC 146, neste sábado, em Las Vegas. O americano, ex-campeão peso-pesado da organização, credenciou-se como um dos possíveis próximos desafiantes ao cinturão, que perdeu para Junior Cigano em novembro passado.



Foi a quarta derrota na carreira de Pezão, de 32 anos, que tem 16 triunfos no total. Ele vinha de uma vitória significativa sobre o russo Fedor Emelianenko e uma derrota para Daniel Cormier, ambas no Strikeforce. Velásquez, por sua vez, conquistou o décimo resultado positivo em seu cartel, contra apenas um revés, extamente para Cigano.
- Tentamos ir lá e dar nosso melhor. Óbvio que você não quer que seu oponente se machuque, quer que o árbitro pare a luta. Mas o Pezão é lutador muito duro. É parte do trabalho - disse o lutador de origem mexicana após o duelo.
A luta: muito sangue já no começo
A primeira ação de Pezão, com dez segundos de luta, foi um chute baixo. Muito ligado, Velásquez aproveitou, pegou o pé do brasileiro e conseguiu a queda. Por cima, aplicou diversos socos e uma cotovelada no supercílio que fez jorrar muito sangue do rosto de Pezão. O corte foi tamanho que o árbitro Josh Rosenthal pausou o combate para o atendimento médico. De volta à posição onde o duelo havia parado, Velásquez seguiu dominando e encaixando socos até que o árbitro interrompeu a luta de vez, dando vitória por nocaute técnico ao americano, aos 3m36s do primeiro round.

Veterano Roy Nelson nocauteia Dave Herman no card principal do UFC 146

Com um golpe devastador de direita, 'gordinho' encerra a luta no 1º round.

 

 

 

O veterano Roy Nelson não tomou conhecimento de Dave Herman na antepenúltima luta do card principal do UFC 146. Com um fortíssimo golpe de direita em apenas 51 segundos do primeiro round, Nelson levou Herman a nocaute.
A luta começou com Herman acertando pisões frontais contra o peito de Nelson, mantendo-o à distância. Aos poucos, no entanto, Nelson foi aproximando-se e tentando acertar socos potentes. Na terceira chance que teve, o veterano conseguiu um golpe devastador de direita, acertando o queixo de Herman, que não conseguiu resistir e desabou no chão do octógono, forçando o árbitro Steve Mazzzagatti a encerrar o combate.
- Eu me sinto muito bem, forte como uma rocha. Eu queria dar os parabéns a Herman, porque todos desistiram de lutar comigo, e ele teve a coragem de me encarar. Minha força tem muito a ver com a comida. Quanto mais você come, mais forte fica - brincou Roy Nelson, logo após a luta.
Perguntado se achava que poderia fazer a mesma coisa entre os meio-pesados, e especificamente contra o campeão da categoria, seu compatriota Jon Jones, Nelson não hesitou em confirmar, com um sorriso:
- Eu acho que aconteceria a mesma coisa com Jon Jones, só um soco (risos). O Herman é muito ortodoxo, dá golpes da mesma forma. A razão de eu ter comemorado com a barriga é que os fãs adoram. Eu luto por eles, é o valor do entretenimento, de dar um show. Isso é muito legal - disse Roy Nelson após a luta, em entrevista ao canal Combate.



 

Miocic mantém sua invencibilidade e quebra a de Del Rosario no UFC 146

Americano chega a nove vitórias em nove lutas, a sétima por nocaute, enquanto rival Shane del Rosario cai pela primeira vez em 12 combates.

 

 

Stipe Miocic consquistou uma vitória bastante significativa no UFC 146, neste sábado, em Las Vegas. O americano derrotou o compatriota Shane del Rosario por nocaute técnico e não só aumentou sua invencibilidade no MMA para nove lutas, como quebrou a do adversário, que perdeu a primeira em 12 combates. O duelo foi o segundo do card principal 100% peso-pesado.
Sete das nove vitórias de Miocic, de 29 anos, foram por nocaute. No UFC, ele já havia batido Joey Beltran e Phil de Fries. Já Shane del Rosario, um ano mais novo, fez sua estreia na organização. O ex-lutador do Strikeforce havia vencido todas as lutas anteriores por nocaute ou finalização.


O combate teve início com bastante estudo. Muito técnicos, os dois ficaram na trocação mais conservadora. Miocic levou vantagem nos golpes no começo: enquanto Shane del Rosario acertava alguns chutes no corpo, ele o machucava mais com os poderosos diretos e cruzados. Faltando pouco mais de um minuto para o fim, Del Rosario encaixou um ótimo soco e balançou o rival. Depois, Miocic o pressionou contra a grade, e a luta logo voltou ao centro do octógono. No finzinho, Del Rosario aplicou um chute na cabeça, mas levou a queda.
Shane del Rosario voltou a abusar dos chutes baixos e altos no segundo assalto. Mas, em um desses, Miocic pegou a perna direita do oponente e conseguiu a queda, acertando muitos socos e cotoveladas por cima. Depois de o lutador muito bater e abrir vários sangramentos no rosto de Del Rosario, o árbitro Yves Lavigne resoltou interromper o embate e deu vitória a Miocic por nocaute técnico, com 3m14s do segundo round.

 

Em duelo de gigantes, Stefan Struve finaliza o americano Lavar Johnson

Apelidado de 'Arranha-céus', Struve mostrou mais categoria no jogo de chão e interrompeu a sequência de duas vitórias por nocaute do seu adversário.

 

 

Usando sua melhor habilidade no jogo de chão, o gigante peso-pesado holandês Stefan Struve, de 2,11m de altura, não teve dificuldades para finalizar o americano Lavar Johnson e vencer a luta de abertura do card principal do UFC 146 com uma chave de braço clássica, em apenas 1m05s de luta. Johnson vinha de dois nocautes contra Pat Barry e Joey Beltran, enquanto Struve vencera Pat Barry e Dave Herman em seus dois últimos combates.







A luta começou com Johnson partindo para cima de Struve, com golpes fortes. Calmo e consciente, Struve não se desesperou e puxou o americano para a sua guarda, levando a luta para o solo. Após alguns momentos de estudos, Struve encaixou uma chave de braço que não deu a Lavar Johnson chances de sair, forçando-o a bater e desistir da luta. Logo após o juiz Josh Rosenthal encerrar o combate, o americano contorceu-se de dor no chão do octógono, e levantou a suspeita de ter sofrido uma fratura. Mas, aparentemente, nada de mais grave aconteceu.
- Você pergunta o que fazer para controlar a luta, e ele é um lutador muito forte. Tive a calma de executar uma chave de braço e encerrar a luta na primeira chance que tive. Eu sabia que ele viria como veio, e eu aceitei, decidi manter a minha guarda e tomar cuidado com os uppercuts. Da forma como ele caiu no chão comigo, eu vi a chance de encaixar a chave de braço. Eu não queria dar nenhuma chance para que ele encaixasse o seu jogo, e felizmente consegui - disse Struve após o combate.

Campeão do TUF americano, Diego Brandão cai diante de Darren Elkins

Brasileiro faz excelente primeiro round, mas leva 'virada' do americano e perde na decisão dos jurados: todos deram o placar de 29 a 28 para Elkins.

 

 

O brasileiro Diego Brandão prometeu e cumpriu: foi para cima de Darren Elkins logo no início da última luta do card preliminar do UFC 146, neste sábado, em Las Vegas. Mas, após vencer facilmente o primeiro round, o peso-pena certamente não contava com uma reação impressionante do americano Darren Elkins, que venceu por decisão unânime dos jurados.
Campeão da 14ª temporada do The Ultimate Fighter americano, Brandão, de 24 anos, sofreu a oitava derrota na carreira, contra 14 vitórias. Já Darren Elkins, quatro anos mais velho, chegou ao 14º triunfo, o terceiro consecutivo - com duas derrotas no cartel.
- Vou tentar mudar minha cabeça. Ele me venceu no jogo mental. Preciso estar mais focado lá fora, então eu vou trabalhar nisso. Primeiramente eu quero dizer obrigado aos meus fãs no Brasil e aqui nos EUA. Foi uma lição para eu aprender. Vou ver o vídeo e aprender com meus erros, mas quero parabenizar o Darrell, que é um grande lutador. O que eles mais fazem é o wrestling, e não me surpreendeu. Mas eu não vou baixar a cabeça, vou pegar a chave de fenda que eu esqueci em casa e trazer para a próxima luta - disse o brasileiro, que emocionou-se ao lembrar do seu aniversário, neste domingo.


 

No início do combate, o brasileiro acertou um bom soco e, quando o duelo foi para o chão, conseguiu ficar por cima. O americano tentou a kimura em uma bobeada de Diego, mas não encaixou o golpe. Após se desvencilhar, o manauara acertou uma linda joelhada voadora no peito do oponente, que sentiu e tentou "amarrar" no chão. Diego não caiu na dele e ficou de pé. Elkins chamou o rival para o jiu-jítsu, mas "ganhou" em troca um diretaço voador no rosto. Por cima, o brasileiro castigou o adversário até o fim do round.
Brandão parecia ter diminuído o ritmo no segundo assalto até encaixar uma joelhada no rosto de Elkins. Logo depois, acertou uma cotovelada que balançou o adversário. O brasileiro teve um momento ruim ao tentar dar um chute frontal e escorregar. O americano se aproveitou da situação e ficou por cima. Ele equilibrou a luta e dominou Diego, acertando vários bons socos no rosto. Mas o brasileiro resistiu até o fim do assalto.
Aparentemente com um round para cada lado até então, Elkins conseguiu uma queda no início do terceiro. O brasileiro não encontrava uma maneira de inverter a posição e levava socos e cotoveladas do americano. Elkins tentou uma guilhotina, mas não conseguiu encaixar o golpe. No fim, Brandão se levantou inesperadamente e acertou uma bela esquerda e outra pancada de direita, ficando por cima. Mas não deu tempo para muito mais do que isso: o americano conquistou a vitória de forma unânime na opinião dos jurados (todos deram o placar de 29 a 28 para ele).
- Fiquei mais confiante quando vi que poderia trocar com ele. Senti que ele foi gastando o gás, e meu plano era deixá-lo atacar no primeiro round e retardar a luta no segundo e no terceiro. Estou feliz por estar subindo na divisão e agora que tenho três vitórias e nenhuma derrota tenho certeza de que vão me dar uma próxima luta em que possa dar um passo adiante - declarou Darren Elkins.

Edson Barboza perde por nocaute para Jamie Varner no UFC 146

Fluminense perde a invencibilidade de dez lutas, enquanto americano tem retorno triunfal ao UFC, com vitória após cinco anos de ausência no evento.

 

 

O peso-leve brasileiro Edson Barboza sofreu uma dura derrota neste sábado, no UFC 146, ao ser nocauteado pelo americano Jamie Varner aos 3m23s do primeiro round. Com o resultado, Barboza sofre sua primeira derrota em 11 lutas como profissional. Já Varner, que retorna ao UFC após um intervalo de cinco anos, conquistou sua 20ª vitória na carreira. Esta foi a quinta luta de Barboza no UFC, com quatro vitórias. Antes do duelo contra Varner, o brasileiro havia vencido de forma espetacular o inglês Terry Ettim, com um nocaute com chute rodado no UFC Rio 2.
- Não sei se aprende de verdade. Mas Deus sabe o que faz sempre. Se não foi a vontade dele, eu não tenho o que reclamar. Na luta eu vi todos os movimentos dele, mesmo por baixo. Na hora eu fiquei achando que não deveria ter parado. Mas depois vi o vídeo e o juiz fez a coisa certa para me proteger. Meu sonho continua, não muda nada. É mais uma pedra no caminho, mas eu vou seguir em frente até onde pude - disse Barboza em entrevista ao canal Combate.


 

O combate começou com Barboza aplicando fortes chutes baixos nas pernas de Varner, mas foi surpreendido com um bloqueio e uma derrubadas precisas do ex-campeão peso-leve do extinto WEC. Caindo por cima do brasileiro, Varner tentou fazer pressão no chão, mas foi surpreendido pela escapada rápida de Barboza. A luta voltou a ser disputada de pé, e Varner percebeu que o brasileiro abria a guarda ao aplicar os chutes, e aplicou socos potentes que desequilibraram o brasileiro. Barboza sentiu os socos e não conseguiu se defender da sequência que veio a seguir, que obrigou o árbitro Steve Mazzagatti a interromper a luta aos 3m23s do primeiro round.
- Gostaria de agradecer ao UFC por me trazer de volta. Passei por situações difíceis e é bom ser acolhido novamente. O Edson é um lutador que dá medo, é muito bom. Mas meu time me deu força e me disse para encarar o desafio, porque eu estava preparado. Foi o que eu fiz. É surreal que eu tenha conseguido fazer isso contra Barboza, que era um monstro na minha mente. Estou muito feliz com a minha performance - disse Varner após a luta.

C.B. Dollaway não dá bola para provocações e supera Jason Miller

Lutador finalista do TUF 7 vence por decisão unânime dos jurados em Las Vegas e coloca em risco a permanência do adversário no UFC.

 

 

Mais uma vez o peso-médio Jason Miller fez graça e provocou o rival antes e durante a luta. Só que, no UFC 146, neste sábado, ele mais uma vez também não apresentou o desempenho esperado dentro do octógono. O americano foi derrotado pelo finalista da sétima temporada do The Ultimate Fighter C.B. Dollaway por decisão unânime dos jurados no card preliminar do evento, em Las Vegas, e agora corre sério risco de ser demitido do Ultimate, uma vez que já havia sido ameaçado de deixar a organização após perder para Michael Bisping em dezembro passado.
Sempre irreverente, Miller caminhou fantasiado para o octógono e foi ovacionado pela torcida, a mesma que vaiou C.B. Dollaway. Ele usou essa energia e de cara acertou um belo direto no adversário, que levou a luta para o chão. Por cima, Dollaway conseguiu sair de uma guilhotina. Na sequência, Miller deu cascudos na cabeça e irritou o rival, que partiu para cima. O finalista do TUF encaixou um soco no rosto e quase chegou ao nocaute. Dollaway tentou a kimura e torceu o braço de Miller, que ficou em perigo mas conseguiu sair da posição.
- Foi um longo caminho após a lesão que tive. Foram 21 dias de muletas e quatro meses até me recuperar. Por isso quis uma luta dura. Vi vários vídeo de Miller, e esperava suas gracinhas. Ele deve dar várias desculpas por se apresentar mal após tudo o que falou. Eu sabia que tinha que levá-lo para o chão, e foi o que eu fiz. Fui atingido algumas vezes, mas não foi a primeira vez. O que é preciso nessas horas é arrumar um jeito de se recuperar e gganhar, e foi o que aconteceu. Não tenho nada para falar de Miller. Ele foi muito desrespeitoso comigo, e teve o que mereceu.


 

No segundo assalto, Miller mostrou o mesmo problema da luta anterior, contra Bisping: o cansaço. Mesmo assim, acertou um diretaço e balançou Dollaway, que andou todo torto pelo octógono e acabou caindo. Miller, então, errou na estratégia e tentou a guilhotina, e o rival aproveitou e "amarrou" o duelo para se recuperar do baque. Menos de um minuto depois, Dollaway quedou o compatriota e ficou por cima até o fim do round, alternando socos e cotoveladas para castigá-lo.
No terceiro e último round, Miller mais uma vez acertou um bom direto no início, mas foi quedado facilmente. C.B. Dollaway.  pegou as costas do rival e por lá ficou, tentando garantir a vitória por pontos que naquele momento parecia provável. Miller até conseguiu se levantar em determinado momento, mas levou outra boa queda do oponente, que "espalhou o frango". Sem poder de reação, Miller levava socos na cabeça e ainda debochava da situação. No fim, na contagem dos jurados, Dollaway venceu por decisão unânime (29-28, 30-26 e 29-28).
Foi a 12ª vitória na carreira de C.B. Dollaway, que tem 28 anos, já sofreu quatro derrotas. Ele vinha de dois reveses seguidos no UFC, contra Mark Muñoz e Jared Hamman. Miller, por sua vez, de 31 anos, agora tem 23 vitórias, nove derrotas e um "no contest" no cartel.

Dan Hardy interrompe série de quatro derrotas e nocauteia Duane Ludwig

Em duelo de veteranos, britânico se recupera de insucessos consecutivos e volta a vencer. Americano, por sua vez, soma sua segunda derrota seguida.

 

 

O meio-médio britânico Dan Hardy, um dos lutadores mais carismáticos do UFC, recuperou-se de uma sequência de quatro derrotas seguidas, contra Georges St. Pierre, Carlos Condit, Anthony Johnson e Chris Lytle, ao vencer, neste sábado, o americano Duane Ludwig por nocaute aos 3m51s do primeiro assalto do UFC 146, em Las Vegas. Agora com 24 vitórias, dez derrotas e uma luta sem resultado, Hardy provavelmente ganhou uma sobrevida na organização, que costuma ser impiedosa com atletas que acumulam derrotas sucessivas. Já Ludwig somou sua segunda derrota seguida, já que vinha de um insucesso diante de Josh Neer.
A luta começou com os dois lutadores se estudando e buscando ajustar a distância. Ludwig partiu para o ataque com uma joelhada, pressionando Hardy contra a grade em seguida. O britânico suportou um duro castigo do americano, com joelhadas e socos curtos, até que, com um direto de esquerda, derrubou o rival. O golpe foi tão bem dado que Hardy chegou a comemorar a queda de Ludwig. Ao perceber que o rival ainda não estava nocauteado, o britânico acertou mais dois socos antes que o árbitro Josh Rosenthal encerrasse a luta, decretando sua vitória por nocaute técnico.

- É muito bom voltar. O legal sobre essa luta é que sempre fui fã de Duane Ludwig, e foi difícil lutar com ele, que acho um grande lutador. Você sabe quando dá um golpe que entra com tudo. Me mudei para Las Vegas, treinando com Frank Mir, futuro campeão dos pesos-pesados, e estou muito feliz - disse o vencedor, logo após a luta.

Após a luta, o presidente do UFC, Dana White, criticou o árbitro Josh Rosenthal por ter demorado, na sua opinião, a interromper o combate, e parabenizou Dan Hardy pela vitória.

- Três cotoveladas foram dadas muito tarde. Odeio isso. Bem vindo de volta Dan Hardy - disse o dirigente através do seu Twitter

Paul Sass aplica triângulo e derrota Jacob Volkmann no card preliminar

Lutador inglês conquista a 12ª vitória por finalização em13 lutas na carreira.

 

Paul Sass mostrou no UFC 146 que é mesmo um fenômeno no jiu-jítsu. O lutador inglês derrotou o americano Jacob Volkmann neste sábado com um triângulo muito bem encaixado a 1m54s do primeiro round. Mas o detalhe é que foi a 12ª vitória dele por finalização, a 13ª no total, e a nona com esse golpe. O peso-leve de 23 anos, que ainda não perdeu na carreira, creseu ainda mais na divisão.
Volkmann, de 31 anos, por outro lado, sofreu a terceira derrota. Ele, que tem 14 vitórias no cartel, vinha de cinco triunfos seguidos depois de baixar para a divisão dos leves do UFC.

- Achei que este seria um grande teste. Treinei de duas a três vezes por dia. Esta é de longe minha maior vitória. Nunca fico nervoso para lutar, mas hoje, lutando em Las Vegas, a capital do mundo, definitivamente fiquei nervoso. Achei que ele poderia sair da finalização no fim, mas eu fui capaz de concretizar e conquistar a vitória - disse o vencedor após o duelo.

A luta: Sass encaixa lindo triângulo
Marcado por sempre "amarrar" suas lutas, Jacob Volkmann não fez diferente em Las Vegas. Logo de início, aplicou um chute baixo e partiu para a queda, ficando por cima mas sem castigar o adversário. Mas ele encontrou um bom finalizador pela frente. Paul Sass encaixou um triângulo sensacional ainda no início do primeiro assalto, fez o oponente dar os famosos três tapinhas e conquistou o seu terceiro triunfo no UFC.

Glover Teixeira arrasa Kyle Kingsbury e finaliza o rival em sua estreia no UFC

Brasileiro, que luta entre os meio-pesados, aplicou um kata-gatame no primeiro round, com menos de dois minutos de luta, e obriga o rival a desistir.

 

 

Após muita expectativa, o brasileiro Glover Teixeira estreou no UFC de forma devastadora. Lutando na categoria dos meio-pesados, Glover derrotou americano Kyle Kingsbury por finalização, a 1m53s do primeio round no UFC 146. Esta foi a 18ª vitória de Glover Teixeira em 20 lutas, aumentando sua sequência de vitórias para 16. Já Kingsbury somou sua segunda derrota consecutiva. Em sua última luta, havia perdido por decisão unânime para Stephan Bonnar no UFC 139.
- Quero agradecer a todo o meu time, especialmente a Marco Ruas e Pedro Rizzo, que fazem um time dos sonhos no meu córner. Um abraço a Sobrália, minha cidade natal, e todos os meus amigos. Estou muito feliz, parece que foi minha estreia no MMA. Espero que Dana White se lembre da minha luta e de mim depois de hoje - disse o brasileiro.




A luta começou com Glover aplicando golpes duros no rosto do americano, desestabilizando seu adversário e forçando-o a se defender e praticamente abandonar o ataque. Com muita consciência, o brasileiro levou o oponente para o chão e, com domínio total, obrigou Kingsbury a ceder as costas. Com muita habilidade, ele virou o americano e encaixou um kata-gatame perfeito, não deixando outra opção ao americano que, desistiu do combate.
Kyle Kingsbury reconheceu a superioridade do brasileiro no combate:
- Glover me acertou um bom golpe desde o início, e a partir daí eu tive de me manter na defensiva durante todo o restante da luta. Ele é mais rápido do que eu imaginava. Mais rápido do que eu vi nos vídeos.

Confira todos os resultados do UFC 146:Junior Cigano venceu Frank Mir por nocaute técnico aos 3m04s do segundo round
Cain Velásquez venceu Antônio Pezão por nocaute técnico aos 3m36s do primeiro round
Roy Nelson venceu Dave Herman por nocaute aos 51s do primeiro round
Stipe Miocic venceu Shane del Rosario por nocaute técnico aos 3m14s do segundo round
Stefan Struve venceu Lavar Johnson por finalização a 1m05s do primeiro round
Darren Elkins venceu Diego Brandão por decisão unânime dos juízes
Jamie Varner venceu Edson Barboza por nocaute técnico aos 3m23s do primeiro round
C.B. Dollaway venceu Jason "Mayhem" Miller por decisão unânime dos juízes
Dan Hardy venceu Duane Ludwig por nocaute aos 3m51s do primeiro round
Paul Sass venceu Jacob Volkmann por finalização a 1m54s do primeiro round
Glover Teixeira venceu Kyle Kingsbury por finalização a 1m53s do primeiro round
Mike Brown venceu Daniel Pineda por decisão unânime dos juízes


 

Mike Brown vence Daniel Pineda na abertura do UFC 146, em Las Vegas

Lutador americano derrota compatriota por decisão unânime dos jurados.

 

 

Diante de um grande público e com muita expectativa em volta, os americanos Mike Brown e Daniel Pineda deram início oficialmente ao UFC 146, neste sábado, no MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas. Após um combate equilibrado, o primeiro conquistou a vitória por decisão unânime dos jurados. O duelo foi válido pela categoria peso-pena do Ultimate.
Foi a 25ª vitória (2-3 no UFC) na carreira do veterano Mike Brown, de 36 anos, que é ex-campeão do WEC. Ele tem oito derrotas. Já Pineda, dez anos mais novo, sofreu o oitavo revés, o primeiro em três lutas na organização, contra 17 triunfos no cartel.
A luta: Brown superior na maior parte do tempo
Após quase um minuto de estudo no início do combate, os dois lutadores passaram a trocar bons golpes no octógono. Daniel Pineda acertou um direto, mas escorregou na hora de completar a combinação. Ele encaixou uma sequência de golpes, mas Mike Brown conseguiu derrubá-lo, caindo por cima. No entanto, Pineda usou a força e inverteu a posição, e a luta voltou a ficar em pé. Depois de levar dois diretos, Brown acertou um chute alto e partiu, com sucesso, para mais uma queda. Desta vez, ele se manteve na posição até o fim do round.
No início do segundo assalto, Pineda foi com tudo e disparou uma combinação de socos e chutes. Brown tentou a queda, mas caiu por baixo. Ele tentou a guilhotina, mas não achou a posição. A luta voltou para o alto, e Pineda, pressionado contra a grade, sentiu uma sequência de socos do adversário. Pineda achou forças e disparou alguns bons golpes, mas foi derrubado. Por cima, Brown castigou o rival até o final.
No terceiro, Pineda levou uma joelhada na linha de cintura e quase foi à nocaute. Brown aproveitou o momento ruim do oponente e voltou a castigá-lo com socos e cotoveladas. Quase indefeso, Pineda tentava segurar a cabeça de Brown junto de si próprio para evitar em estrago maior. Em um movimento sensacional, Pineda pegou as costas do rival e tentou o mata-leão, mas não encaixou o golpe. Ele inverteu a situação e o castigou por dois minutos. Mas não dava mais tempo para muito, e os três jurados deram vitória a Mike Brown por 29 a 28.



 

Junior Cigano e Frank Mir duelam em busca de lugar na história do UFC

Triunfo sobre ex-campeão da categoria neste sábado é passo inicial para reinado brasileiro no Ultimate. Mir quer ser segundo tri pesado.

 

O UFC 146 deste sábado será especial. O card do evento, que acontece em Las Vegas, marcando o feriadão de Memorial Day (dia em homenagem aos veteranos de guerra dos EUA), terá o autor do nocaute mais rápido da história do torneio, dois ex-campeões do reality show "The Ultimate Fighter", o dono do nocaute mais espetacular do ano e cinco lutas entre pesos-pesados. O combate principal da noite, todavia, é o que tem mais chances de fazer história do Ultimate. De um lado estará o brasileiro Junior "Cigano" dos Santos, que faz a primeira defesa de seu cinturão dos pesos-pesados e tenta dar um passo para manter o título por longo período. Do outro, o americano Frank Mir busca se tornar o segundo lutador acima de 120,2kg a conquistar o cinturão em três oportunidades espaçadas, ao lado da lenda Randy Couture.


 

O canal Combate transmite o UFC 146 ao vivo a partir de 19h45m (horário de Brasília). O SPORTV.COM acompanha em Tempo Real e exibe em vídeo as duas últimas lutas do card preliminar (Diego Brandão x Darren Elkins e Edson Barboza x Jamie Varner). A TV Globo exibe ao vivo à luta entre Junior Cigano e Frank Mir.
O card está repleto de atrações favoritas dos fãs - Duane Ludwig, recordista do UFC com um nocaute em apenas 6s; Roy Nelson, o "gordinho" ex-campeão do The Ultimate Fighter; Cain Velásquez, último campeão dos pesados antes de Junior Cigano - e de lutadores brasileiros -; Antônio Pezão, que derrotou a lenda Fedor Emelianenko no ano passado; Edson Barboza Jr, que nocauteou Terry Etim no UFC Rio 2 com um incrível chute rodado na cabeça; Diego Brandão, campeão da última temporada do TUF; e Glover Teixeira, que estreia no Ulltimate após anos de batalha para conseguir visto de entrada nos EUA. O grande destaque, porém, é mesmo o duelo entre Cigano e Mir. O brasileiro é tão favorito que os apostadores de Las Vegas têm que pagar cerca de US$ 500 (cerca de R$ 992), mas a volatilidade da categoria torna seu favoritismo apenas relativo.
Nove de 16 campeões pesos-pesados foram capazes de defender seus cinturões. Apenas três mantiveram o título por mais de duas lutas. O único brasileiro a deter a coroa dos pesados na história do UFC, Rodrigo Minotauro, a perdeu em sua única defesa, justamente para o adversário de Cigano neste sábado, Frank Mir. Brock Lesnar foi o último a manter-se como campeão por duas lutas, mas mesmo seu reinado foi interrompido por lesões e ele teve de enfrentar dois campeões interinos - Frank Mir e Shane Carwin - para recuperar a condição de campeão absoluto.
- Nesta categoria, todos são muito poderosos. Um soco pode te derrubar - explicou Junior Cigano. O brasileiro, porém, confia que vai mudar a história e derrotar seus desafiantes.
- Eu sempre penso o melhor para mim e meu sonho era me tornar campeão. Quando você conquista seus sonhos, eles crescem. Agora tenho sonhos maiores, quero manter o cinturão por muito, muito tempo, e quero ser parte da história dos pesos-pesados - concluiu o atual campeão.
Frank Mir, por sua vez, está acostumado a ser subestimado. Poucos lhe davam uma chance de derrotar Tim Sylvia no UFC 48, em 2004, e Rodrigo Minotauro, no UFC 92, em 2008. No entanto, o americano conseguiu, e busca agora seu terceiro cinturão da categoria. Recordista de vitórias (14) e de finalização mais rápida (46s), o polêmico lutador garante que não pensa na marca histórica.
- Minha esposa às vezes traz isso à tona e eu acho que seria legal ter três cinturões, mas isso é algo para se pensar apenas no domingo - disse.

Confira o card completo do UFC 146

CARD PRINCIPAL
Junior Cigano x Frank Mir
Cain Velásquez x Antônio Pezão
Roy Nelson x Dave Herman
Shane del Rosario x Stipe Miocic
Stefan Struve x Lavar Johnson

CARD PRELIMINAR
Diego Brandão x Darren Elkins
Edson Barboza x Jamie Varner
Jason "Mayhem" Miller x C.B. Dollaway
Jacob Volkmann x Paul Sass
Dan Hardy x Duane Ludwig
Kyle Kingsbury x Glover Teixeira
Mike Brown x Daniel Pineda

 

Luta entre Junior Cigano e Frank Mir terá transmissão da TV Globo

Emissora transmitirá também as finais do TUF, e o duelo entre os técnicos Wanderlei Silva e Vitor Belfort, direto do Mineirinho, em Belo Horizonte.

 

 A disputa do cinturão dos pesos-pesados do UFC, entre o brasileiro Junior Cigano, atual campeão, e o americano Frank Mir, terá transmissão da TV Globo no dia 26 de maio. O duelo será a luta principal do UFC 146, que acontece em Las Vegas, nos Estados Unidos. A luta, que deve acontecer por volta de 2h da madrugada de sábado (26) para domingo (27), terá narração de Galvão Bueno. Junior Cigano vibrou com a confirmação da transmissão do duelo, e postou no Twitter um recado para os seus fãs.

- Pessoal, minha luta será transmitida novamente pela Rede Globo. Isso é ótimo, todos acompanhando. Conto com a torcida de vocês rumo a vitória!

Além da luta de Junior Cigano contra Frank Mir, a emissora confirmou mais uma transmissão do UFC Combate. No dia 23 de junho serão transmitidas as finais do TUF Brasil - uma luta na categoria leve e outra na categoria médio - e a luta entre os técnicos Wanderlei Silva e Vitor Belfort, dentro do UFC 147, direto do Mineirinho em Belo Horizonte, novamente com narração de Galvão Bueno.

O UFC 146 será transmitido ao vivo na íntegra pelo canal Combate a partir das 20h45m (horário de Brasília) do dia 26 de maio. O SPORTV.COM, como sempre, vai acompanhar tudo em Tempo Real. Não perca!

 

Wanderlei ironiza choro de Belfort no TUF Brasil: 'Brad Pitt que se cuide!'

Técnico do time verde se emocionou no anúncio da redivisão das equipes.

 

O choro de Vitor Belfort marcou o último episódio do The Ultimate Fighter Brasil - Em busca de campeões. Após classificar sete de seus oito lutadores, o treinador do time verde recebeu de Dana White a notícia de que teria de ceder três dos vencedores ao time azul, comandado por Wanderlei Silva, como parte da redivisão das equipes. Emocionado, Belfort derrubou lágrimas ao anunciar a saída de Bodão, Serginho e Pepey, e a cena foi um prato cheio para mais uma gozação do "Cachorro Louco".
- Será que depois de hoje ele vai ganhar uma boquinha na Globo? Quando ele chorou me encheu o olho de lágrimas aqui "kkkk" (risos). Brad Pitt que se cuide! - escreveu no Twitter
Treinadores da primeira temporada do TUF no Brasil, Vitor e Wanderlei têm encontro marcado para o dia 23 de junho, no UFC 147, em Belo Horizonte. Além deles e dos finalistas, todos os participantes do reality show nas divisões peso-pena e peso-médio farão parte do card do evento.

 

Wanderlei fecha preparação para o UFC 147 com Shogun em Curitiba

Lutador chega ao Brasil e já treina sob a supervisão de André Dida e na companhia também de Serginho, que mudou para o Time Wanderlei no TUF.

 

 

Wanderlei Silva saiu de Las Vegas e desembarcou em Curitiba para finalizar sua preparação rumo ao UFC 147, no dia 23 de junho, em Belo Horizonte, quando enfrenta Vitor Belfort. Na academia Evolução Thai, o "Cachorro Louco" está sendo supervisionado pelo treinador André Dida e tem a companhia de Maurício Shogun, que enfrenta Thiago Silva no UFC 149, e Serginho Moraes, peso-médio do TUF Brasil que venceu Delson Pé de Chumbo no episódio do último domingo e garantiu vaga nas semifinais. Serginho, por sinal, fez parte da redivisão das equipes no programa e trocou o time de Belfort pelo de Wand. Ele assinou contrato para ser agenciado por Julio Heller, o mesmo empresário de Shogun, e já vinha treinando com os novos companheiros há algumas semanas. Veja a foto abaixo e confira a "pouca" qualidade da equipe:



Vitor Belfort recebe em CT a visita do amigo e zagueiro Juan, do Roma

Lutador foi companheiro de zaga do jogador nas categorias de base do CFZ.

 

 Vitor Belfort recebeu mais uma visita ilustre em seu centro de treinamentos no Rio de Janeiro. Depois de Rickson Gracie, nessa segunda-feira foi a vez de o zagueiro Juan, do Roma, da Itália, dar uma conferida na preparação do amigo para o UFC 147, no dia 23 de junho, quando ele vai enfrentar Wanderlei Silva. O filho do jogador também apareceu por lá. Antes de se tornar lutador, Belfort jogou futebol nas categorias de base do Nova Geração, antigo nome do CFZ, clube de Zico. E Juan era seu companheiro de zaga na equipe.




Com filho e sparrings, Popó faz treino-exibição em shopping de Salvador

Baiano usa evento para promover a luta com Michel Oliveira, no dia 2 de junho.

 

 

Nesta segunda-feira, Acelino "Popó" Freitas uniu a agenda de treinamentos com a de compromissos para a divulgação do confronto com Michel Oliveira, marcado para o dia 2 de junho, em Punta Del Este, no Uruguai. Em um shopping de Salvador, o baiano fez um treino-exibição diante de centenas de conterrâneos e foi ovacionado pelo público.
Após um breve aquecimento com o técnico Ulysses Pereira, Popó trabalhou com dois sparrings (pugilistas que auxiliam nos treinos) e, por último, brincou com seu filho mais novo no ringue. No duelo, Popozinho levou a melhor e “nocauteou” o pai.
Popó tem 40 lutas no currículo, sendo 38 vitórias – 32 por nocaute. O ex-atleta está afastados do esporte profissional desde abril de 2007, quando perdeu o cinturão da Organização Mundial de Boxe para o americano Juan Diaz. Atualmente, o baiano de 37 anos é deputado federal.

Pérolas do TUF: Spider dá dicas sobre Belfort a Wand com microfone ligado

Você não pode andar para trás', ensina o campeão dos médios do UFC antes de perceber que sua conversa com o amigo estava sendo gravada.

 

  Anderson Silva agitou o nono episódio do TUF Brasil. Bom, pelo menos para a metade azul do programa ele levou grande alvoroço. O campeão dos médios do UFC visitou as dependências do reality show e ficou o tempo todo no time de Wanderlei Silva, sem aparecer no lado do time de Vitor Belfort, com quem tem uma acirrada rivalidade. Foi exatamente com Wand que o Spider proporcionou uma das cenas mais engraçadas do domingo. Eles foram flagarados conversando sobre estratégias para lutar contra Belfort, adversário do "Cachorro Louco" no dia 23 de junho, no UFC 147.
- Você não pode andar para trás. Você treina, você sabe... Pô, estou com microfone aqui. Mas espera aí, cara. Também não estou falando nada que não é verdade. Todo mundo já sabe - disse Anderson em conversa com Wanderlei.
Ambos levaram a situação sem maiores problemas, e Wand até brincou.
- Vai para o mundo.
O episódio exibido neste domingo mostrou a vitória de Serginho Moraes sobre Delson Pé de Chumbo, e o GLOBOESPORTE.COM separou as melhores frases do programa. Confira:
"Espero que o Serginho possa fazer um bom trabalho, que possa colocar em prática tudo o que tem treinado, apesar de ele não ter se doado tanto nos treinamentos".
Vitor Belfort, sobre a expectativa para a luta do dia
"Minha mãe sempre me apoiou. Às vezes, ela fica um pouco chateada quando eu chego em casa com a cara meio quebrada. Normal da mãe, né?"
Pé de Chumbo, sobre a relação com a mãe
"Eu quero aprender aquele lá"
Wanderlei Silva pedindo a Anderson que ensine o chute que nocauteou Vitor Belfort
"Você não pode andar para trás. Você treina, você sabe... Pô, estou com microfone aqui. Mas espera aí, cara. Também não estou falando nada que não é verdade. Todo mundo já sabe".
Anderson dando dicas a Wand sobre Belfort e descobrindo que estava sendo gravado
"Olha daí, olha a saliência (na barriga). Sou um senhor de idade, então me respeite. Não vai querer me nocautear na frente das câmeras"
Anderson Silva pedindo para Leonardo Macarrão ir "devagar" com ele no treino
"Há muitos lutadores por aí. Mas lutador que faz o que ele (Anderson Silva) faz é como ter um Zico, é como ter um Ronaldo. Olhem quantos jogadores têm no mundo e é um ou outro que se sai. Tem um Neymar chegando agora nesta nova geração".
Wanderlei Silva elogiando Anderson Silva
"Mas Pelé do MMA só tem um".
Anderson Silva apontando para Wand e retribuindo o carinho
"Perdi minha chance, mestre. Acabou minha chance".
Delson Pé de Chumbo para Wanderlei Silva após a derrota para Serginho
"Fala aí, favela. Daqui a pouco vou estar aí para curtir aquele samba. Vou levar essa playboyzada".
Serginho Moraes prometendo levar o time verde para comemorar a vitória
"Já tem corners diferentes, que a gente já não tem o costume de ter eles como técnicos. E aí vai mudar de novo os corners?"
Hugo Wolverine reclamando da redivisão dos times
"Não curto nunca falsidade. Querer me enfrentar é uma coisa. Agora, articular com outro cara "deixa os dois para lá e nós para cá" aí é outra coisa, fugiu do bagulho time, da ideia de que todo mundo se ajuda. E falo: a partir de hoje quero treinar com o Time Wanderlei. "Vocês me desculpem aí, não é nada contra vocês, mas não rola mais. Você pregou todo o tempo um bagulho de verdade, disso e aquilo e não sei se você faz parte disso". Se acontecer, com certeza o Vitor tem dedo nisso".
Serginho Moraes sobre uma possível "panelinha" na sua própria equipe

Coca Cola Zero na dieta... Bom ou ruim?

O intuito deste texto não é fazer propaganda de fabrica de refrigerantes, porém passar informação clara do consumo de refrigerantes sem açucar no cotidiano e dieta dos atletas e pessoas que querem manter sua forma. Hoje em dia com o tsunami de refrigerantes ZERO (ou seja sem açucar ) se ocorre um uso desenfreiado destes por se tratar de um bom gosto, e não conter calorias entre estes o mais consumido conhecidentemente é a tão gostosa e adorada com gelo e limão Coca Cola Zero passada muitas vezes por inofensiva , afinal com o passar dos dias de dieta nada como algo saboroso e que não faça parecer que esta cometendo um pecado saindo da rotina. Até certo ponto é bastante inteligente esta variação, porém assim como tudo em excesso , a ingestão de refrigerantes

212 TOP 3 Comparisons the NEW YORK PRO 2012

'Goleada' do time de Vitor Belfort obriga UFC a redividir os lutadores

Bodão, Serginho e Godofredo Pepey passam para o Time Wanderlei. Renée Forte, Delson Pé de Chumbo e Marcus Vina vão para o Time Vitor.

 

Com o fim das quartas de final, os lutadores passaram a especular sobre uma possível redivisão das equipes. A "goleada" do Time Vitor causou um desequilíbrio, já que sete vencedores estavam do lado verde e apenas um no azul. Dana White reuniu Wanderlei Silva e Vitor Belfort para uma teleconferência e disse que os times precisavam ser redivididos, confirmando a desconfiança de todos na casa. O presidente do UFC explicou que a melhor maneira de isso acontecer é com Belfort escolhendo quem deveria ir para a equipe rival.
Vitor Belfort disse que essa não era sua vontade e que seus atletas não queriam ir para a equipe adversária. Dana White, por sua vez, argumentou que o MMA é um esporte individual, que os

Serginho ignora torcida do Spider pela equipe rival e derrota Pé de Chumbo

Em encontro de campeões mundiais de jiu-jítsu, integrante do Time Vitor finaliza com um mata-leão e fecha o grupo de classificados para semifinais.

 

 

A última vaga para as semifinais do TUF Brasil saiu de um clássico entre campeões mundiais de jiu-jítsu, e pela sétima vez em oito lutas um integrante do time de Vitor Belfort saiu vitorioso. Serginho Moraes não teve medo de levar a luta para o solo contra um outro especialista na área e finalizou Delson Pé de Chumbo com um mata-leão no fim do primeiro round.
Serginho se juntou a Cezar Mutante, Daniel Sarafian e Thiago Bodão entre os classificados para a semifinal do reality show no peso-médio. No peso-pena, os quatro lutadores vencedores já estavam decididos: Hugo Wolverine, Rony Jason, Godofredo Pepey e Rodrigo Damm. Os duelos da próxima fase ainda vão ser divulgados, mas a goleada de 7 a 1 do time de Vitor Belfort sobre o de Wanderlei Silva obrigou a organização do TUF a fazer uma redivisão entre os atletas.


Ricardo Nort - O homem mais forte do mundo no SUPER HUMANOS

Ricardo Nort - O Homem mais forte do mundo no SUPER HUMANOS da HISTORY, sem duvidas um grande representante do esporte de força a nível internacional!

1º Falcão Classic & 16º Campeonato de estreantes - PB

Cigano aposta em Cormier contra Barnett na final do GP do Strikeforce

O Barnett é experiente e muito bom de chão, mas eu acho que o Cormier leva essa pelo alto nível de wrestling e por bater forte', afirma o brasileiro.

 

 

O card principal do UFC 146, que será realizado na próxima semana, terá somente lutas da categoria peso-pesado e promete agitar a categoria. Mas um duelo que acontece neste sábado, só que pelo Strikeforce, também vem chamando a atenção do mundo das lutas. Os americanos Josh Barnett e Daniel Cormier se enfrentam na final do Grand Prix peso-pesado, em San José, na Califórnia. Como o Strikeforce pertence ao mesmo grupo que comanda o Ultimate, a tendência é que ambos migrem para a maior organização de MMA do planeta em breve. Campeão até 120kg do UFC, Cigano aposta na vitória de Cormier.
- Não acompanho (eventos fora o UFC) com frequência, mas essa luta posso dizer que tem tudo para ser muito boa. O Barnett é experiente e muito bom de chão, mas eu acho que o Cormier leva essa pelo alto nível de wrestling e por bater forte - disse o brasileiro ao SPORTV.COM.
Invicto desde 2006, ou oito lutas, Barnett, de 34 anos, tem 31 vitórias e cinco derrotas na carreira. Ele finalizou Brett Rogers e Sergei Kharitonov nas quartas e na semifinal do GP, respectivamente, para chegar à decisão. Já Cormier, de 33 anos, ainda não foi derrotado em nove combates realizados até hoje. Ele entrou no GP já na semifinal como substituto de Alistair Overeem, que foi para o UFC, e nocauteou o brasileiro Antônio Pezão para carimbar a vaga na final.


                                Daniel Cormier será campeão do GP dos pesados,
                                               na opinião de Junior Cigano

Popó pretende 'torturar' Michael: 'Quero machucá-lo antes do nocaute'

Ex-pugilista promete ir para cima do dono do cinturão latino dos super-médios do WBC, em 2 de junho, em Punta del Este.

 

 

De tanto provocar, Michael Oliveira conseguiu atiçar a ira de Acelino "Popó" Freitas. E agora o tetracampeão mundial está pronto para derrotar o adversário, mesmo após deixar os ringues em 2007. Depois de aceitar o desafio, o ex-pugilista prevê uma luta dolorosa para o atual campeão latino dos super-médios do Conselho Mundial de Boxe (WBC).
A estratégia de Popó será baseada em algumas feras do reino animal. Ainda que esteja dando como certo um nocaute contra o oponente, o baiano espera "brincar" com a presa antes de finalizar o confronto.

- Vou lutar sério. Tenho certeza que vou nocauteá-lo, mas quero machucá-lo um pouco com alguns golpes antes do nocaute - afirmou.
Para tornar seu desejo uma realidade, Popó vem treinando duro desde o ano passado. A duas semanas da grande luta, o ex-boxeador entrou em fase de manutenção, onde busca fixar a movimentação e os golpes. Com o esforço feito, o tetracampeão se sente confiante na vitória.

- Nesta semana, faço meu último sparring de 10 rounds. Estou na minha melhor forma física, mais experiente, e os golpes estão mais bem colocados. Vou passar o carro e descer a madeira nele - prometeu.

Para o futuro, Popó não se vê no ringue uma nova vez. O que o fez mudar de ideia para aceitar o desafio de Michael foi um antigo pedido do filho Popozinho, que não o tinha visto lutar. Não importa o resultado do combate, o ex-pugilista só retornaria efetivamente ao boxe se passasse por dificuldades financeiras.

- Prometi a mim mesmo que só voltaria por falta de dinheiro. Graças a Deus o que o boxe me deu eu investi e hoje consigo viver bem - esclareceu.

Popó e Michael Oliveira se enfrentam no dia 2 de junho, em Punta del Este, no Uruguai. O SporTV transmitirá o duelo ao vivo, às 23h.


BJ Penn recusa luta contra Josh Koscheck: 'Não vou voltar tão cedo'

Ex-campeão dos leves e dos meio-médio continua afastado das lutas.

 

 

Foi por água abaixo a expectativa por um provável retorno de BJ Penn ao octógono do UFC. Na madrugada desta quinta-feira, Josh Koscheck revelou, pelo Twitter, que o Ultimate lhe ofereceu uma luta contra o ex-campeão dos leves e dos meio-médios da organização. Mas Penn, também pela rede social, tratou de esfriar o assunto e ainda deu a entender que o duelo estava sendo "cavado" por Koscheck.

- Eu sei que custa muito dinheiro viver esse estilo de vida luxuoso com casa grande, carros rápidos, e você precisa de grandes lutas. Mas me desculpe, eu não vou voltar tão cedo! - escreveu Penn para Koscheck.



BJ Penn tem um cartel de 16 vitórias, oito derrotas e dois empates. Nas últimas cinco lutas, foram três reveses, um empate com Jon Fitch e apenas um triunfo, sobre Matt Hughes. Suas últimas três lutas foram no meio-médio, mesma categoria de Koscheck.

Thiago Alves quer vingar compatriota contra Siyar Bahadurzada no UFC 149

Brasileiro Paulo Thiago foi nocauteado por afegão no UFC Suécia, em abril.

 

 

Thiago "Pitbull" Alves mostrou seu lado patriota ao comentar seu próximo desafio no UFC. Ele vai enfrentar na edição 149 do evento, no Canadá, em 21 de julho, o afegão Siyar Bahadurzada, que vem de um nocaute fulminante sobre o também brasileiro Paulo Thiago. E o sentimento, neste momento, é o de vingança em nome da nação verde-amarela:

- Estou muito animado. Siyar está vindo de um grande nocaute contra Paulo Thiago, e eu definitivamente quero vingar isso com uma vitória para o meu país. Eu sinto que tenho a vantagem na experiência e no nível de competição. O nível de competição em que ele estava lutando não era o mesmo em que eu estou acostumado a lutar. Além disso, o conjunto de habilidades vai entrar no jogo. Eu acho que sou um lutador muito mais completo. E no dia 21 de julho eu vou lá e vou executar - disse o lutador ao site "Bloody Elbow".

A fase de Pitbull, entretanto, não é das melhores. Foram quatro derrotas nas últimas seis lutas. A última delas, para Martin Kampmann, por finalização no fim do terceiro round, ainda incomoda o brasileiro, que já pensa em pedir a revanche se passar por Bahadurzada:

- Não é meu foco agora. Isso está no passado, e eu aprendi muito com aquela luta. Meu foco principal agora é nocautear ou finalizar o meu próximo adversário. Depois que isso for feito, então sim, é algo que definitivamente eu quero ter no meu futuro. Nós vamos lutar novamente. Garanto que não vou cometer o mesmo erro duas vezes. Quero vingar todas as lutas que perdi, mas esta eu preciso conseguir o mais rápido possível. Eu só tenho que cuidar de Siyar primeiro.
 
CARD PRINCIPAL DO UFC 149*
José Aldox Erik Koch
Mauricio Shogun x Thiago Silva
Rodrigo Minotauro x Cheick Kongo
Michael Bisping x Tim Boetsch
Thiago Alves x Siyar Bahadurzada


 CARD PRELIMINAR*
Court McGee x Nick Ring
George Roop x Antonio Carvalho
Bryan Caraway x Mitch Gagnon
Mitch Clarke x Anton Kuivanen
Ryan Jimmo x Anthony Perosh
* A ordem dos combates ainda não foi anunciada. Card ainda não está completo.

Minotauro prevê Mir nocauteado: 'Não vejo como Cigano possa perder'

Derrotado duas vezes pelo americano, 'Big Nog' alerta para a força do 'morto que levanta', mas aposta em queda definitiva no segundo round.

 

Rodrigo Minotauro não guarda boas recordações de Frank Mir. Nas duas vezes em que enfrentou o americano, foi nocauteado e finalizado, situações que jamais havia vivido. Nesta última, no fim do ano passado, ainda teve o braço fraturado durante o duelo. O amigo e parceiro de treinos Junior Cigano terá a oportunidade de vingar o mentor no UFC 146, no dia 26 de maio, quando tentará defender o cinturão peso-pesado contra Mir. Mas esse não é o sentimento que Minotauro quer ver no atual campeão.
- Não vai me vingar. Eu quero que ele ganhe da maneira dele, acho que ele vai manter o cinturão. A equipe está treinando o Cigano, vou ajudar da maneira que eu puder, mas não quero plantar esse sentimento de vingança. Quero que ele ganhe e acho que vai ganhar. Tem condições para isso. Está em um momento super bacana da carreira dele, forte, ágil, e não vejo como ele possa perder essa luta - disse, em entrevista ao SPORTV.COM.
Com a experiência de conhecer bem o americano, Minotauro confessou que já passou para o pupilo as dicas que ele poderá usar na luta pelo cinturão. Apesar de acreditar na vitória do brasileiro, "Big Nog" diz que Cigano precisa ter cautela contra Frank Mir:
 - O Frank Mir às vezes surpreende um pouco. É aquele cara meio morto que levanta. Na hora em que está apanhando ele tira os botes dele. O Cigano precisa ser um pouco cauteloso. Na hora em que (Mir) está quase nocauteado é quando ele puxa uma chave de braço. Então o Cigano vai trabalhar o chão e algumas posições, como chave de perna. Acho que é preciso dar distância. O wrestling (luta olímpica) do Cigano é bem melhor do que o dele. O segredo da vitória é tomar cuidado com esses botes no chão. Conversei com o (Luiz) Dórea, treinador dele, e o Cigano está muito bem. Acho que vai ser nocaute no segundo round. Acho, não. Vai ser, é certo (risos).
Esta não será a primeira vez que Cigano terá a oportunidade de ir à forra em nome de Minotauro. Ele conquistou o título dos pesados contra Cain Velásquez, outro americano que já havia derrotado o baiano. Antes daquela luta, Minotauro também rejeitou qualquer sentimento de vingança por parte do pupilo.
 





CARD PRINCIPAL DO UFC 146
Junior Cigano x Frank Mir
Cain Velásquez x Antônio Pezão
Roy Nelson x Dave Herman
Shane del Rosario x Stipe Miocic
Mark Hunt x Stefan Struve

CARD PRELIMINAR

Diego Brandão x Darren Elkins
Edson Barboza x Jamie Varner
Jason "Mayhem" Miller x C.B. Dollaway
Jacob Volkmann x Paul Sass
Dan Hardy x Duane Ludwig
Kyle Kingsbury x Glover Teixeira
Mike Brown x Daniel Pineda

'É acabar logo com a luta', diz José Aldo sobre confronto com Erik Koch

Em Fortaleza, para promover o Brazilian King Fighter (BKF), lutador brasileiro conversa sobre UFC 149 e o MMA no estado do Ceará.

 

 

Atual campeão mundial dos penas no UFC, José Aldo garantiu ao GLOBOESPORTE.COM/CE que já está mantendo o foco para o próximo desafio. Bem à vontade, de bermuda e sandálias, o manauara garantiu que não pretende demorar muito para finalizar o adversário. Aldo defenderá o seu título contra o norte-americano Erik Koch, no UFC 149, em Calgary, no Canadá, em 21 de julho. Aldo está em Fortaleza para promover o BKF (Brazilian King Fighter), competição de MMA que será realizado na noite desta quinta-feira (17), no Ginásio Paulo Sarasate.
E se depender dele, a luta contra Erik Koch não durará muito. José Aldo pretende repetir o desempenho do seu último confronto, contra Chad Mendes, disputado este ano, no Rio de Janeiro, e finalizar seu novo adversário o mais rápido possível. No último mês de janeiro, Aldo finalizou Mendes faltando um minuto para o término do primeiro round, com uma joelhada certeira.
- O objetivo é acabar logo com a luta e sair para comemorar - frisa José Aldo, empolgado ao falar sobre o card do UFC 149.
Por falar em em comemoração, ele promete inovar mais uma vez na comemoração, caso derrote Erik Koch. Mesmo depois de ter confessado que recebeu uma bronca do organizador do UFC, Dana White. Após nocautear Chad Mendes, no UFC 142, Aldo se jogou para a torcida e comemorou a vitória no meio da platéia.
- Falta só ensaiar um pouco mais para deixar tudo pronto. Mas eu não posso dizer agora o que é - conta o lutador ao GLOBOESPORTE.COM/CE.
Em Fortaleza desde esta quarta-feira (16), José Aldo faz prognósticos positivos sobre os lutadores de MMA no Ceará. Segundo ele, o esporte tem futuro no Estado e quem pratica pode chegar longe.
- Alguns nomes  já se destacam bem: Carlos Índio, Caio Magalhães e o Chiquerim são muito bons. Têm tudo para crescer mais no esporte e ganhar destaque internacional - pontua Aldo.
Carlos Índio luta no Bellator e acabou perdendo sua luta de estreia, em abril deste ano, para Brian Baker. Já Caio Magalhães deve estrear no UFC em junho, contra Buddy Roberts. Já Chiquerim tenta voltar ao card do UFC, após perder na estreia da competição de MMA, para Waylon Lowe, em janeiro de 2011.
- O UFC é o maior evento do mundo de MMA. Existe muita mídia e a exigência dos fãs é igualmente muito grande. Então, se você não tiver a cabeça boa para encarar tudo isso e, mesmo assim, treinar e se preparar adequadamente, não consegue ficar - explica José Aldo, que vê com bons olhos o trabalho dos atletas cearenses.
No mesmo card de José Aldo, outro cearense também estará no octógono. É Thiago Alves, que terá pela frente Siyar Bahadurzada.
Tanta badalação no esporte é plenamente justificável para o lutador brasileiro. Para ele, o Brasil já é a principal referência no MMA. Embora, dentro do país, Aldo acredite que o torno do futebol jamais será tirado.
- Mas o Brasil já é o país do MMA. Não tem como não ser. Hoje em dia, o esporte já é o principal evento do Pay-per-view. Mas claro que o futebol já está no sangue do brasileiro. O importante é que o MMA já derrubou uma série de barreiras - conclui José Aldo que, como não poduia deixar de ser, acompanha futebol e torce para o Flamengo.
 

CARD DO UFC 149

José Aldo x Erik Koch
Mauricio Shogun x Thiago Silva
Michael Bisping x Tim Boetsch
Rodrigo Minotauro x Cheick Kongo
Thiago Alves x Siyar Bahadurzada
Jon Fitch x Aaron Simpson
Court McGee x Nick Ring
Bryan Caraway x Mitch Gagnon
Mitch Clarke x Anton Kuivanen
Ryan Jimmo x Anthony Perosh
George Roop x Antonio Carvalho

Cigano: 'Não gosto de promover luta. Deixo meus punhos falarem por mim'

Campeão peso-pesado cutuca o adversário Frank Mir em entrevista coletiva por teleconferência. Pezão diz que deixou Blackzilians por causa de Overeem.

 

 

Junior Cigano não é adepto do jogo de palavras para promover lutas. Mas, ao dar uma resposta durante a entrevista coletiva por teleconferência do UFC 146, na tarde desta quinta-feira, ele bem que alimentou a polêmica antes da luta contra Frank Mir. O americano chegou a afirmar que o brasileiro era melhor no octógono do que promovendo combates, assunto no qual não tem experiência. E Cigano justificou uma declaração dada há algumas semanas, quando questionado por um jornalista:

- Eu não promovo luta falando. Quando falei sobre ele (Mir), quis dizer que não é homem no sentido de que ele não consegue sair de uma situação difícil na luta. Isso que eu disse, confirmo isso, é realmente na luta. Não gosto de promover luta falando besteira, deixo meus punhos falarem por mim.
Antônio Pezão, que também participou da coletiva, explicou que preferiu não fazer o camp para o duelo contra Cain Velásquez na Team Nogueira, no Rio de Janeiro, para poder ficar mais perto da família, que mora na Flórida. Por isso, ele está treinando na American Top Team, mas deixando claro que ainda representa a academia de Minotauro e Minotouro. Pezão explicou também o porquê de ter deixado a equipe Blackzilians.
- Saí da Blackzilians quando o Overeem assinou com o time. Ele ia lutar com o Cigano (antes de ter sido pego no antidoping), que é um grande amigo. Então, eu jamais iria ajudar o Overeem para essa luta - declarou.
O UFC 146, que terá o duelo entre Junior Cigano e Frank Mir como atração principal e o embate entre Cain Velásquez e Antônio Pezão como co-evento principal, será transmitido ao vivo pelo canal Combate a partir das 20h45m (horário de Brasília) do dia 26 de maio. O SPORTV.COM, como sempre, vai acompanhar tudo em Tempo Real. Não perca!

 

UFC aguarda 'sim' de BJ Penn para anunciar luta contra Josh Koscheck

Derrotado por Johny Hendricks há quase duas semanas, Koscheck revela no Twitter ter aceitado combate que lhe foi oferecido. BJ ainda está aposentado.

 

 

Se depender do UFC, o veterano BJ Penn voltará em breve aos octógonos. Aposentado desde que perdeu para Nick Diaz em outubro do ano passado, o havaiano de 33 anos já tem adversário definido pela organização. Só falta o sim do próprio BJ, conforme revelou o compatriota Josh Koscheck por meio do Twitter na madrugada desta quinta-feira.
- O UFC acabou de me oferecer uma luta contra BJ Penn. Eu disse sim! Só estou esperando por ele - escreveu o peso-meio-médio de 34 anos.

BJ Penn tem um cartel de 16 vitórias, oito derrotas e dois empates. Nas últimas cinco lutas, foram três reveses, um empate com Jon Fitch e apenas um triunfo, sobre Matt Hughes. Koscheck, por sua vez, possui 17 vitórias e seis derrotas na carreira. Depois de bater o mesmo Hughes e Mike Pierce, ele caiu diante de Johny Hendricks no último dia 5, por decisão dividida dos jurados.