Jason e Gasparzinho não deram o máximo na luta, acredita Erick Silva

Amigo de ambos, capixaba afirma: O Rony Jason se sentiu melhor na finalização, porque assim não teve que ficar batendo e trocando socos.

 

Amigo e parceiro de treinos de Rony Jason e Anistávio Gasparzinho, o capixaba Erick Silva é um dos que podem falar com mais propriedade sobre o caso que mais gerou polêmica no reality show The Ultimate Fighter Brasil - Em Busca de Campeões até agora. O peso-meio-médio do UFC, que acompanhou o duelo dos pesos-pena pela TV Globo, na noite desse domingo, acredita que nenhum dos dois se sentiu realmente à vontade dentro do octógono, exatamente por estarem enfrentando um amigo. Mas, segundo ele, Jason esteve mais focado e levou certa vantagem no aspecto psicológico, o que no fim das contas acabou sendo decisivo a favor do cearense.
- Se fosse contra outros atletas, eles dariam o máximo. Por mais que tenham falado que iriam para cima, deixaram a desejar um pouco na hora da luta por estarem frentre a frente com um amigo mesmo. Senti muito da parte do Gasparzinho isso, principalmente. Ele não conseguiu nem dar a encarada. Deu aquele sorriso sem graça, de não conseguir olhar na cara.
O Rony estava mais focado, conseguiu olhar. Não quer dizer que ele não goste, mas estava mais focado, atrás do sonho dele. Achei que o Rony estava psicologicamente mais decidido do que o Gasparzinho - afirmou, em entrevista por telefone ao GLOBOESPORTE.COM.
O resultado final foi uma vitória por finalização de Rony Jason, ainda no primeiro round. O golpe causou um estiramento no braço esquerdo de Gasparzinho, que, na opinião de Erick, falhou ao ter se levantado mesmo com a chave encaixada. O capixaba acredita também que a finalização foi uma maneira mais amena de vencer encontrada por Jason para não ter de ficar trocando socos com o adversário, devido à forte ligação entre eles:
- Nitidamente os dois começaram bem mornos. Percebi que o Gasparzinho deu um chute tímido ali. E o Rony entrou um poco mais focado na luta, mas também não querendo machucar. O Gasparzinho deu um soco, o Rony respondeu devagar e depois deu um chute mais forte. Por mais que no resultado ele tenha machucado o braço (do adversário), o Jason se sentiu melhor na finalização, porque assim não teve que ficar batendo e trocando socos com o outro. Ele foi no braço, realmente a estratégia foi muito boa, ele é muito bom de chão. O Gasparzinho errou na hora em que se levantou. Tinha que ter amassado, jogado o peso em cima do Rony.
Rony Jason e Gasparzinho se conhecem há anos, já moraram e treinaram juntos e voltaram agora. Erick Silva explicou que, antigamente, o potiguar participava de alguns treinamentos na Team Nogueira, no Rio de Janeiro, e depois voltava para Natal. Agora, está de vez na Cidade Maravilhosa e mora, assim como Jason, no alojamento patrocinado pela academia dos irmãos Minotauro e Minotouro. Erick diz que não é a favor da luta entre amigos e garante que nunca enfrentaria, por exemplo, o grande parceiro Rafael Feijão:
- Acompanhei um pouco no Twitter, muitas pessoas falando que não tem nada a ver, que se estão ali têm que lutar, mas eu vejo de forma diferente e tenho certeza de que a maioria dos atletas de MMA também. A gente vê que é difícil lutar contra amigo de treino, que nem os dois. Tem amigo só de treino e amigo com quem você já conviveu desde pequeno, como irmão. Dar soco na cara de um amigo é como dar soco na própria cara. Eu nunca lutaria com um irmão. Aqui na Team Nogueira conseguimos formar uma família bem próxima. Se o Jason fosse da minha categroia eu nunca lutaria contra ele. Assim como o Rafael Feijão. Mas os dois não tiveram como decidir e tiveram que lutar.
Assim como o treinador do time azul, Wanderlei Silva, Erick pensa que Vitor Belfort poderia não ter casado o duelo. Se foi estratégia? Ele prefere não opinar nesse ponto. E diz que tanto Jason quanto Gasparzinho aprenderam bastante com o acontecido.
- Olha, com certeza (Vitor Belfort) poderia ter evitado. Ele que tinha o controle de escolher as lutas. Mas isso estou falando claramente sem puxar saco de ninguém. Tem os dois lados. Ele casou as lutas todas estrategicamente. Todo mundo viu que deu certo. Agora não posso afirmar que ele fez isso de propósito, que ele quis mesmo, ou se foi por estratégia também, e os dois acabaram sobrando para a última luta. Acho que ele poderia ter evitado esse encontro agora. Na final, não é que seja tudo bem, mas não tem jeito. São dois sonhos, são amigos. Seria menos pior se fosse na final, mas tenho certeza de que essa luta vai servir de aprendizado. O Rony vai entrar com bastante gana contra qualquer um que enfrentar, assim como o Gasparzinho. Treino com os dois e sei que eles são muito bons.



       Team Nogueira: Gasparzinho (à direita), e Rony Jason (à esquerda) ao lado de Erick Silva

Nenhum comentário: