Abdominal - Flexão Lateral da Coluna na Bola Suiça pelo Prof. Maurício Arruda Campos



Explicação sobre flexão lateral da coluna na bola suiça, muito bom exercício! Aos profissionais que ainda não fizeram o curso da IFBB ACADEMY eu aconselho vocês começaram a ver e prescrever exerícios não apenas pelos aparelhos dísponiveis e sim de acordo com a variação anatomica e biomecanica de seu aluno! Tive o prazer de te-lo como meu mestre na faculdade vale a pena senhores professore!! acesse www.ifbbacademybrasil.com.br e fique por dentro das datas dos cursos!

Papai Lyoto Machida é acordado pelos filhos pequenos para treinar

Ex-campeão enfrenta Ryan Bader em 4 de agosto, em Los Angeles.

 


 Preparando-se para enfrentar Ryan Bader no UFC de 4 de agosto, em Los Angeles, Lyoto Machida mostrou que conta com o apoio total da família. Todo orgulhoso das crias, o ex-campeão meio-pesado do Ultimate postou uma foto no Twitter, nesta quinta-feira, que o mostra sendo acordado pelos filhos pequenos Taio e Caito para ir treinar. Desse jeito, a motivação contra o americano será das maiores.

Após passar por cirurgia, Daniel Sarafian volta a treinar aos poucos

Paulista faz exercícios sob os comandos do preparador Diego Andriello.

 

 

Fora da final do peso-médio do TUF Brasil por conta de uma lesão no bíceps do braço esquerdo, Daniel Sarafian se prepara para voltar logo ao MMA. Por enquanto, o lutador, que teve que passar por uma cirurgia, vai pegando leve nos trabalhos e ainda não pode exercitar o membro operado.
- Treinando o que já está liberado pelo médico com o preparador Diego Andriello - postou Sarafian no Twitter.
Daniel Sarafian venceu Richardson Monstrão na primeira eliminatória do reality show, o que lhe garantiu a presença na casa do programa. Depois, bateu Renée Forte nas quartas de final e, na sequência, superou Serginho Moraes nas semis.
Serginho acabou substituindo Sarafian na final, mas Cezar Mutante foi o vencedor ao bater o adversário por decisão unânime dos jurados.

 

Wallid Ismail: de lutador 'muito doido' a 'Dana White' do MMA brasileiro

Presidente do Jungle Fight faz duras críticas a treinadores que produzem eventos no Brasil e esclarece polêmicas com Erick Silva e John Lineker.

 

                                             Lorenzo Fertitta, Wallid Ismail e Dana White


Careca, agitado, fanático por MMA e trabalhador compulsivo. Quem junta essas características em uma pessoa só logo pensa na figura de Dana White, o presidente e manda-chuva do gigante UFC. Mas também pode ser, sem tirar nem pôr, Wallid Ismail, o presidente do Jungle Fight, apesar de o próprio rejeitar a comparação. Ex-lutador de jiu-jítsu e vale-tudo, a versão antiga do MMA, o manauara comanda o principal evento de artes marciais mistas da América Latina. O objetivo dele é transformar a organização na segunda principal do mundo. A concorrência no Brasil, para Wallid, passa longe, e sobram várias alfinetadas nos "adversários".
Fico muito chateado quando um professor produz evento, porque os alunos nunca perdem. Bota luta fácil, isso é um aburdo. Eu sou totalmente contra professor escolher luta para o aluno. Isso é o fim do mundo. E foi isso que acabou com o boxe. Os produtores tinham ligação com o manager, que fazia a carreira do cara subindo a escada. Por isso que tem que ser casca-grossa para lutar no Jungle. Vários professores dizem para mim: "Wallid, meu lutador ainda não está pronto para lutar no Jungle, deixa ele lutar em eventos menores primeiro" - disse.
Em meio à produção de mais um evento, o Jungle Fight 40, em Macapá, no último dia 15, Wallid Ismail conversou com o sportv.com no hotel onde estava hospedado na capital amapaense. Com a língua afiada, o presidente do Jungle esclareceu o caso de John Lineker, que chegou sozinho aos Estados Unidos em sua última luta, e o de Erick Silva, quando, após a vitória do capixaba sobre Charlie Brenneman, Wallid foi traduzí-lo no microfone e alongou a declaração propositalmente para agradecer a alguns patrocinadores e colaboradores, como o senador Magno Malta (PR-ES).


                                            Walid comemora histórica vitória sobre Royce
                                                        Gracie no jiu-jítsu, em 1998



É um cara que sempre ajudou. É que as pessoas não entendem que não deixo de agradecer aos caras que ajudam. Essa gratidão é sempre importante. O Erick teve problema no visto para os EUA, e ele (Magno Malta) ajudou a tirá-lo mais rápido. Teve um problema, e foi necessária a ajuda de pessoas influentes. O senador se prontificou a ajudar. Como não vou agradecer? Só vagabundo e pilantra não reconhece quem ajuda. A maior virtude de um homem é a gratidão. Quem não é grato, paga o preço, e nunca quero e nem vou pagar esse preço - justificou.
Wallid contou ainda como foi o início do Jungle Fight e admitiu que já teve de tirar dinheiro do próprio bolso para sustentar o evento. Atualmente, por outro lado, ele disse que a situação está mudando para melhor. Empresário de atletas do UFC, garantiu que não tem saudade de lutar e afirmou que a versão "madura" do dirigente Wallid é melhor do que o lutador "muito doido" de antigamente, que chegou a ficar conhecido como o "Exterminador de Gracies". Confira, a seguir, a entrevista na íntegra:

Como surgiu a ideia de criar o Jungle Fight?

Eu lutava na época e era representado por um japonês chamado Antonio Inoki, que era o diretor executivo do Pride, o maior evento do mundo na época. E foi um estouro. Tivemos o patrocínio da Konami, uma empresa japonesa, e a ideia era chamar a atenção do mundo para a Amazônia. Ele (Inoki) sempre foi ligado à natureza. Tive a ideia, falei com o Inoki, e na hora ele já lançou para a imprensa de todo o Japão. A repercussão foi animal. No primeiro show, batemos recorde de audiência, fomos transmitidos pelo SporTV, teve Lyoto Machidax Stephan Bonnar, Fabricio Werdum x Gabriel Napão... Mas uma coisa é interessante: nenhum desses caras era conhecido ainda. Que nem neste evento do Amapá, você vê garotos que daqui a pouco vão estar despontando. Eu me lembro do que falavam do Erick Silva: "Nossa, Erick Silva? Que card ruim." Falavam também do Yuri Marajó. E está aí, vários desses caras vão ser grandes estrelas internacionais.
 
Você e o japonês investiam no Jungle?Não, nós conseguimos esse patrocínio da Konami. Tive o apoio também do atual governador do Amazonas, Omar Aziz, que gostou da ideia.
 
E o Inoki ainda participa?Não. Tenho falado com ele, estou marcando até uma reunião em Los Angeles. Sou um cara que nunca esquece quem me ajuda.
 
Ele saiu quando?Saiu no Jungle Fight 3. Aí eu assumi. Além de ser do Pride, ele tinha uma outra firma, na qual ele tinha outros interesses. A Konami saiu junto. Desde então, sou eu sozinho, guerreiro.





O Jungle Fight sempre foi rentável?
Não, várias vezes tive que tirar dinheiro do meu próprio bolso. Dinheiro que ganhei na minha carreira de atleta, e depois ainda botei dinheiro de uma ação, que pouca gente sabe, de quando ganhei uma indenização muito legal de uma empresa criada por mim, depois que tive problemas com meu sócio. Agora é que está começando a virar. Ainda é a guerra, nada é mole. Ainda não está uma maravilha, mas está começando a virar. O mercado está começando a entender que realmente é um esporte, com grandes patrocinadores.




                           Senador Magno Malta, Yuri Marajó, Erick Silva, Wallid e Yuri Pelaes


Você diria que o lucro vale o esforço?
Eu diria que o prazer vale o esforço. O homem que vê só o lucro dificilmente faz sucesso. É a mesma coisa do lutador que só vê o lucro. Sou muito feliz, é uma vida de louco, mas sou o cara mais feliz do mundo. Trabalho com o que eu amo, viajo o mundo todo, sou respeitado no mundo todo. Quantos e quantos atletas passaram pela minha mão no Jungle e hoje são milionários? Vários ficaram ricos e puderam dar uma vida melhor às famílias. Só espero que possa ter esse reconhecimento de todos esses atletas que passaram pelo Jungle. E pode anotar: vamos ver muitos outros ainda.
 
E esse reconhecimento seria em que sentido?
Quero que as pessoas lembrem do Jungle Fight. Não precisa falar, lembrar. Mas o legal é que as pessoas lembram, isso é muito legal, sempre agradecem. Somos um evento diferenciado.
 
Que distância você vê entre o Jungle Fight e o UFC?
O UFC é a Copa do Mundo, e o Jungle é a Libertadores da América. O UFC é o maior evento do mundo, não tenho a pretensão de concorrer com eles, mas eu quero meu lugar no mundo, que é ser o segundo maior e o maior da América Latina. Já sou o maior da América Latina, mas trabalho para manter. No Brasil, não tem um segundo maior evento, tem um bolo de vários eventos. E o Jungle é disparado o melhor. Mas isso quem me falou foi o Boninho. Sempre gosto de falar dele porque sempre tive grandes ideias vindas dele. É realmente um amigo, um irmão, um cara que me ajuda e me dá vários conselhos legais. Foi o cara que sempre apoiou o MMA. Um dia ele me falou: "Wallid, tem que ser Arena Jungle (o nome da jaula onde ocorrem as lutas do evento)! Tem que ser um nome para marcar".


                                         Ana Furtado (esposa de Boninho), Boninho, Wallid
                                                        Ismail e a esposa Daniele



E o Boninho tem alguma ligação direta com o Jungle?
Não, só de conselhos mesmo. Ele é um conselheiro, um amigo e irmão meu que gosta de mim e me dá vários conselhos legais, de imagem, de colocar telões. Ele é um grande conselheiro nesse sentido.
 
De onde vem sua amizade com ele?Vem de vários anos, mais ou menos uns dez. A gente começou a malhar junto quando eu ainda morava nos Estados Unidos, e ficamos amigos. E é muito legal, pois ele é um cara vitorioso. Ninguém trabalha como eu trabalho, mas esse cara é um psicopata. O Boninho é um workaholic. É um cara especial, as ideias dele são especiais. Sempre procurei ouvir muito os amigos que sei que querem o melhor para mim e para o meu trabalho.
 
Você acha que o Jungle pode passar o Strikeforce e o Bellator, ou já passou?
Não tenho dúvida de que já passou o Bellator. O Strikeforce é da Zuffa (empresa que é dona do UFC), você não pode considerar.
 
Então você considera o Jungle o terceiro maior evento do mundo?
Eu considero um dos grandes do mundo. Uma coisa que as pessoas não sabem: o Jungle Fight e o Ultimate são os dois eventos mais antigos do mundo. Vários eventos vieram depois.
 
Alguns campeões do Jungle foram para o UFC, como Erick Silva, Yuri Marajó e o Marcelo Guimarães. Isso já é combinado por você com o Dana White e com o Lorenzo Fertitta?
Eu estive com o Joe Silva (casador de lutas do UFC), e ele sabe. As pessoas têm que entender: o Jungle Fight não é feito por um professor. Eu não sou professor. Os lutadores são os melhores. O cara, para ser campeão do Jungle, tem que ser muito bom. E você vê que todos os caras do Jungle fizeram um baita show no Ultimate. Isso me credencia. Eles sabem que os melhores saem do Jungle, porque não sou professor, padrinho, nem nada. Por isso que tem tempo ruim. Quando os caras me perguntam: "Ah, com quem vou lutar?". Eu digo: "Olha, tem dois braços e duas pernas". Tem que se preparar para qualquer um.

Você faz esse meio de campo dos atletas com o UFC? Tem contato direto com o Joe Silva?Eu que faço. O Joe Silva é meu camarada desde a época em que eu era lutador. Ele está no negócio há muitos anos. Então você realmente tem credibilidade, tem uma raiz ali. Não sou um cara que caiu de paraquedas. Fico muito chateado quando um professor produz evento, porque os alunos nunca perdem. Bota luta fácil, isso é um aburdo. Eu sou totalmente contra professor escolher luta para o aluno. Isso é o fim do mundo. E foi isso que acabou com o boxe. Os produtores tinham ligação com o empresário, que fazia a carreira do cara subindo a escada. Por isso que tem que ser casca-grossa para lutar no Jungle. Vários professores dizem para mim: "Wallid, meu lutador ainda não está pronto para lutar no Jungle, deixa ele lutar em eventos menores primeiro".
 
Você se considera o Dana White brasileiro?
Não, eu me considero o Wallid. Acho que o Dana White é único, um cara realmente especial e iluminado. Ele teve a determinação e a ousadia de querer comprar o UFC por US$ 2 milhões. Mas pouca gente sabe que ele, o Lorenzo e o Frank Fertitta investiram US$ 44 milhões. Então não compraram só por US$ 2 milhões. Esses caras têm todo o valor do mundo. Todo dinheiro que recebem é merecido. Eles sabem fazer. Eu estava na luta do Erick agora (vitória sobre Charlie Brenneman), e o Dana White é realmente apaixonado por isso. O Joe Silva também, até brinquei com ele quando o Erick estava entrando no octógono, e o Joe estava saindo. Falei: "Joe, você está maluco? Volta ou você não vai ver essa luta, porque vai ser rápida" (risos). Aí ele: "Pô Wallid, você é maluco". Entendeu? Tem essa interatividade com os caras, e eles sabem que sou do ramo. Eu entendo disso. Vivo, respiro MMA 24 horas.



                                                     O ex-lutador e a esposa, Daniele


Você é casado há alguns anos. Sua esposa lida bem com a sua rotina?Ela já se acostumou, já me conheceu assim. Não dá para mudar a pessoa.
 
E filhos?Ainda não tenho, mas isso (a rotina atribulada) é um dos problemas. Tudo na vida tem um preço. Eu pago esse preço por viver viajando e ter essa vida de louco. Acham que é mole? Tem que ser doido. O cara que produz evento e faz essa loucura que eu faço não pode ser normal. Só na última semana: fui a São Paulo resolver uns problemas; voltei para o Rio, depois para os Estados Unidos, para uma reunião com os chineses em Los Angeles; fui para a luta do Erick; cheguei ao Rio e fiquei um dia; vim aqui para o Amapá; segunda-feira vou para uma reunião em São Paulo, depois vou para Belo Horizonte com o Yuri (Marajó, que perdeu para Hacran Dias no UFC 147). Não para, mas eu adoro. Foi a vida que eu escolhi. É a vida que eu sempre quis.

Vai fazer algum Jungle nos Estados Unidos?
Não, fui lá só para ver acordos de transmissão. Meu negócio é Brasil. Estou focado aqui. Cheguei a fazer na Europa, mas o Brasil é muito grande e ainda tem que ser muito explorado. Quero solidificar muito aqui. É aquela história: não tem segundo lugar na América Latina.
 
Você é empresário do John Lineker também?Cara, nós tivemos um problema agora e estamos vendo como vai ser. Por quê?
 
Porque houve esse problema com o Lineker, que viajou aos EUA para lutar no UFC e parece que ficou meio "abandonado" por lá. O que aconteceu?
Houve um problema. A gente tem contrato assinado, mas o treinador não foi com ele, não pôde ir, e eu não pude ir também. São coisas do ofício, mas está tudo sendo resolvido.
 
Você já disse ao sportv.com que o Erick Silva é o Neymar do MMA. Acha que ele é o futuro do MMA brasileiro?Sem dúvida alguma. Ele vai ser o melhor peso-por-peso do mundo. As pessoas me criticaram muito que traduzi coisas que ele não falou. Quem me conhece sabe, falo sempre o que vem à minha cabeça. Mas, para mim, o que interessa é o Ultimate gostar. Se não tivessem gostado, já teriam cortado (a fala dele no microfone).


                                                         Capa de revista no Japão


Você falou do senador Magno Malta...

É um cara que sempre ajudou. É que as pessoas não entendem que não deixo de agradecer aos caras que ajudam. Essa gratidão é sempre importante. O Erick teve problema no visto, e ele (Magno Malta) ajudou a tirá-lo mais rápido. Teve um problema, e foi necessária a ajuda de pessoas influentes. O senador se prontificou a ajudar, e ajudou. Como não vou agradecer? Só vagabundo e pilantra não reconhece quem ajuda. A maior virtude de um homem é a gratidão. Quem não é grato, paga o preço, e nunca quero e nem vou pagar esse preço. Você vê o caso do (colchões) Ortobom. Meu primeiro patrocínio foi deles, em 1991. O Francisco Dias, dono da empresa, é meu amigo e foi ele quem teve a ideia de fazer os eventos nas UPPs. Foi um sucesso e nós vamos voltar a fazer. Só que o Jungle ficou muito grande. Vamos fazer uma segunda marca. Não era para falar, mas vou voltar com o MMA World League (em português: Liga Mundial de MMA), uma marca separada, tão grande quanto o Jungle Fight. Vai ser um evento com lutas entre países. Já tenho essa marca desde 2006 e vai voltar agora, sempre no Brasil, com foco sempre aqui.


Voltando à questão do senador: ele investe dinheiro no Jungle?

Não, ele é um apaixonado por lutas. São pessoas boas que estão do nosso lado e amam a luta.
 
Qual a sua relação com os atletas que empresaria? É próximo deles, amigo mesmo?
Tem que ligar sempre. Ligo sempre para o Erick, para o Yuri, com o Marcelo estou estreitando mais a relação agora. Lógico que meu tempo é uma loucura. Mas uma coisa em que sou bom é: o que está faltando? Pode perguntar para qualquer atleta meu.
 
Você tem receio de que, algum dia, esses atletas virem as costas para você?
Acontece. De vez em quando acontece, mas faz parte do jogo. Uns têm contrato, outros não, entendeu? Mas uma coisa é certa: a máquina gira. Dou apoio total a quem tem o cinturão do Jungle. Vou falar do caso do John Lineker. Ele foi campeão do Jungle e estava trabalhando no porto. Perguntei para ele: "John, de quanto você precisa por mês para sobreviver?". Eu tenho isso tudo anotado. Ele disse que era tanto, aí falei que o queria focado somente no MMA para ser o melhor lutador que existe. E fiquei pagando a ele por mês antes de ser contratado pelo UFC. Com o Erick Silva foi a mesma coisa. Eu cheguei nele em uma segunda-feira no Rio, e ele me disse que tinha R$ 30 para ficar até domingo. Perguntei de quanto ele precisava, e dei: "Você é o campeão do Jungle, então vou te apoiar". Não falo isso para ninguém, mas eu banco. Acredito que os caras que são campeões do Jungle podem ser campeões em qualquer evento, porque eles não tiveram moleza. Não escolheram adversário.


       Em 2011, o Jungle realizou eventos em comunidades carentes no Rio, como a Mangueira

Esses caras que são campeões do Jungle hoje, como Adriano Martins (peso-leve) e Kléber Orgulho (meio-pesado), estão perto de ir para o UFC?
Sobre esses dois, eu estou pressionando totalmente. Estive com o Joe Silva, tenho até os e-mails dele, que falou: "Mantenha-os lutando". Hoje o Ultimate tem 478 atletas. Estão demitindo muito. Não adianta só ganhar, tem que ganhar dando show. Eu perturbo o tempo todo lá, mas os caras são meus camaradas.
 
Vamos falar agora sobre o ex-lutador Wallid. Sente saudades dessa vida de competição?

Cara, hoje a minha vida é tão louca que sou um cara totalmente realizado. Tenho pessoas boas ao meu lado, estamos crescendo. Não sinto falta nenhuma de lutas. Eu me dedico tanto a esse esporte que tanto amo, que é uma coisa impressionante. Como uma vez, quando vi o Lyoto Machida e o Ronaldo Jacaré se abraçando. Conheci o Jacaré quando ele tinha que andar uma hora e meia para chegar ao treino. Vi o Lyoto dormir em academia no Japão. São pessoas que vi na guerra, que não tinham boas condições financeiras e hoje são patrões. Esses caras eu ajudei.


                                          Walid dorme e recebe o carinho do mestre, o já
                                                           falecido Carlson Gracie



O Lyoto tem gratidão por você?
O Lyoto é sensacional. Uma vez eu estava em Belém e liguei para ele, fazia muitos anos que não o via por causa da vida corrida. Aí ele: "Vem cá, Wallid. Não vai me chamar para ir ao Jungle?". E eu: "Pô, você já é estrela, ganha dinheiro para ir aos eventos. Você quer ir?". Ele falou: "Claro! Está maluco?". As pessoas dizem que ele fala muito no Jungle, o Jacaré também. O Fabricio Werdum me chama de padrinho até hoje. Brinco com ele que sou muito novo para ser padrinho. O Renato Babalu também, começou no Jungle. O Renan Barão tem passagem também, o Alessio Sakara... O Sakara fez um documentário sobre a vida dele e veio me entrevistar. As pessoas reconhecem que o Jungle Fight fez um ótimo trabalho. Deus sempre me ajudou a escolher os lutadores certos. E eu sou do ramo, olho para o lutador e sei se ele é bom ou não. Sou um bom olheiro.

E você era mesmo o "Exterminador de Gracies"?

Isso é uma outra fase da minha vida, né? Sou um cara que lutei muito pelo meu mestre Carlson Gracie, que é da família Gracie, então acabava que eu defendia a família Gracie. Mas como as lutas eram contra os Gracies, ganhei esse apelido, mas na realidade sempre defendi meu grande mestre.
 
Você lembra quantas vitórias teve sobre os Gracie?
Foram três oficiais (sobre Ralf, em 1992; Renzo, em 1993; e Royce, em 1998), e outra foi uma briga com o Ryan. Mas, para ser sincero, isso faz parte do passado. Nem me vanglorio muito disso. Os caras são muito importantes para o esporte. Na época tinha uma rivalidade, eu os odiava. Em uma época na minha vida, quando um cara gostava de mim e eu não gostava dele, fazia de tudo para ele não gostar de mim também. Eu realmente fui um cara "tempo ruim" o tempo todo, tocava o terror. Era outra fase da minha vida, mas não me arrependo de tudo o que eu fiz. Acho que valeu. Ninguém ganhava dinheiro com isso, e eu ganhava com o MMA e com o jiu-jítsu. Fui o primeiro cara a viver profissionalmente da luta no mundo. E nunca precisei dar aula. Sempre tive esse dom do comércio. Meu pai, de origem árabe, me ensinou isso muito bem. Ele me falava que eu tinha de saber vender, e eu sempre soube vender muito bem o Jungle.


                                          Vitória no jiu-jítsu sobre Renzo Gracie, em 1993


Como foi essa briga com o Ryan Gracie?
Foi uma cotovelada que ele me deu no Mundial de Jiu-Jítsu. Mas, como ele já está em outra vida (Ryan morreu em 2007), nunca falo de quem já morreu. Não é legal, ele não está aqui para se defender. Só desejo a ele, onde estiver, tudo de bom, porque faz parte do passado. Uma coisa que até o Renzo fala, que a minha lealdade ao Carlson supria qualquer desavença. Todo mundo gosta de quem é leal, sujeito homem, e eu sempre fui assim. O pior inimigo é aquele que está do seu lado e pode dar uma facada a qualquer momento.
 
Em toda a sua carreira, a vitória da qual você mais se vangloria foi a sobre Royce Gracie no jiu-jítsu?
Não, a de que mais me vanglorio foi a vitória sobre a luta livre em 1991. Lutamos ao vivo na TV Globo, foram três lutas, e na época era uma rivalidade muito grande. Quando eu vi que a luta livre estava crescendo muito, fui lá e desafiei os caras, para mostrar que o jiu-jítsu era superior. Eu fui o cara que trouxe o vale-tudo de volta ao Rio de Janeiro, depois de dez anos sem lutas.
 
Qual a melhor versão do Wallid: o lutador ou o dirigente?
O dirigente (risos). O lutador era muito doido. Achavam que eu fazia marketing, mas não era marketing não. Eu realmente queria brigar com o mundo, mas sempre fui leal aos amigos e às pessoas do meu time. Hoje estou mais maduro. Um cara que me ensinou muito foi o Inoki. Ele sempre me disse que eu não poderia ter um time. O cara que tem um time não poderia ser dono de evento. Dono de evento tem que trabalhar com todos os times. É totalmente desleal e inacreditável. Meu time hoje é o Jungle Fight, e que vença o melhor. É uma franquia que vale muito, teve uma avaliação internacional enorme, e para isso tem que ter credibilidade. Trouxe o Paulo Borracha, por exemplo, para ser árbitro aqui no Amapá, os jurados também. Eles estão criando a própria comissão. E pode perguntar: eu não me meto em decisão dos jurados.
 
Se o UFC fizesse uma proposta para comprar o Jungle, o que acha que aconteceria? O Jungle é inegociável?
Não é inegociável. É um negócio, mas o UFC não precisa comprar o Jungle. Eles compram os eventos para pegar os atletas, certo? Os atletas do Jungle já vão para o UFC, então para que vão comprar o Jungle? Mas não existe o "se" na vida. O que você vai ver são bons lutadores atuando no Jungle Fight, vários astros que vão poder dar uma vida melhor para as suas famílias. Essa é uma grande alegria.





Couture, sobre triunfo do Spider sobre Sonnen: 'Não venceu de verdade'

Ex-campeão do UFC vê o americano em desvantagem para a final porque acredita que Anderson deve mudar o estilo de luta para o dia 7 de julho.

 

                                         Randy Couture está aposentado do MMA desde
                                                               abril do ano passado

 

Três vezes campeão do peso-pesado e duas vezes do meio-pesado do UFC, Randy "The Natural" Couture é um dos sete lutadores no "Hall do Fama" da organização. Tem moral de sobra para falar sobre qualquer combate e foi solicitado pelo site "MMA Fighting" para dar o seu palpite sobre Anderson Silva x Chael Sonnen do dia 7 de julho, em Las Vegas (EUA), no UFC 148. Couture considera que o brasileiro está em vantagem para o próximo duelo. E a explicação é no mínimo curiosa. De acordo com o "The Natural", o Spider é quem precisa mudar a forma como lutou contra o americano em 2010, o que dificultaria qualquer previsão do rival. Já Sonnen vai querer que tudo saia do mesmo jeito, mas, obviamente, sem sofrer uma nova finalização no fim.
- É meio estranho. Normalmente, eu diria que o ônus está sobre o cara que venceu a primeira luta para antecipar as mudanças que o perdedor vai fazer e conseguir o mesmo resultado. Mas se você olhar para Anderson e Chael, Anderson venceu por triângulo com dois minutos restando. Ele não venceu a luta de verdade. Ele apanhou, literalmente, por mais de quatro rounds. É quase como se, apesar de Chael ter de fazer alguns ajustes e obviamente descobrir como impedir o triângulo, é como se ele fosse o cara que venceu, porque ele quer que a luta aconteça do mesmo jeito, menos o triângulo. Mas o que o Anderson vai fazer? Ele não quer apanhar por quatro rounds e virar a luta, ele quer que seja completamente diferente. É quase como se Anderson estivesse em uma boa posição, pois ele está em uma posição em que pode fazer ajustes, e Chael vai ter de prever o que ele mudou.
Depois de sofrer diversas quedas e ser castigado no ground and pound por quatro rounds e meio, Anderson Silva venceu Chael Sonnen por triângulo a 1m50s do fim, naquela que foi a sétima defesa de cinturão dele no UFC. O Spider foi o quarto atleta a aplicar essa chave no americano. Demian Maia, Renato Babalu e Forrest Griffin já venceram Sonnen da mesma maneira. Por conta disso, Couture acredita que o compatriota não poderia ter perdido o combate com aquele golpe.
- Não sei se ele (Sonnen) cansou, houve um ritmo muito forte, mas o triângulo tem sido o calcanhar de Aquiles na sua carreira desde o primeiro dia. Não foi a primeira vez que foi pego nessa técnica. Chael foi um pouco descuidado, quando poderia ter feito taticamente muitas coisas diferentes, como trazê-lo de volta para a luta em pé e controlado mais.
 
UFC 148

7 de julho de 2012, em Las Vegas (EUA)
 
CARD PRINCIPAL

Anderson Silva x Chael Sonnen
Tito Ortiz x Forrest Griffin
Cung Le x Patrick Côté
Demian Maia x Dong Hyun Kim
Chad Mendes x Cody McKenzie
Ivan Menjivar x Mike Easton
 
CARD PRELIMINAR

Gleison Tibau x Khabib Nurmagomedov
Melvin Guillard x Fabrício "Morango" Camões
Riki Fukuda x Costa Philippou
John Alessio x Shane Roller
Yoislandy Izquierdo x Rafaello Oliveira

 

Os recordes: veja por que Anderson é considerado o melhor lutador no MMA

Desde que chegou ao UFC, em 2006, Spider jamais sofreu uma derrota. Números comprovam habilidade acima da média do brasileiro na trocação.

 

                           Anderson Silva e a estreia no UFC contra Chris Leben: nocaute em 49s


Anderson Silva ficou bem perto de abandonar o MMA e abrir um lava-jato em Curitiba depois de não conseguir fazer decolar a carreira no Japão, o principal mercado da década passada. 'Recuperado' por Rodrigo Minotauro, ele voltou aos ringues e enfim levantou voo. Sofreu ainda algumas turbulências, como os reveses para Ryo Chonan e Yushin Okami, mas, a partir de 2006, o Spider começou uma trajetória que o coloca, para muitos, no topo do esporte. O melhor de todos, seja em que peso for. E muitos números estão a seu favor.
Desde que o UFC comprou o Pride, em 2007, passou a ser indiscutivelmente o maior evento de MMA do mundo. Levou a tiracolo alguns dos melhores atletas do esporte. Mal sabiam seus dirigentes que uma grande estrela fora contratada antes. Anderson Silva deixou, em 2006, o evento Cage Rage, da Inglaterra, onde era campeão dos médios e recordista de defesas de cinturão da categoria (três vezes), para assinar com o UFC. Estreou no Ultimate com uma vitória arrasadora sobre o participante do TUF 1 Chris Leben (nocaute em 49s). E dali já foi disputar o título contra o então campeão Rich Franklin - esse mesmo que derrotou Wanderlei Silva no UFC 147, em Belo Horizonte.
Anderson teve nova apresentação de gala. Venceu Franklin também no primeiro round e também por nocaute. Foram 2m59s de luta. O dia 14 de outubro de 2006 marcou o início do reinado no Spider no UFC. E dura até hoje. Desde então, foram nove defesas de cinturão e 100% de aproveitamento. É o melhor desempenho da história do evento.



                                               Anderson Silva tirou o cinturão de Rich
                                                               Franklin em 2006






Ao todo, são 14 lutas no Ultimate e 14 vitórias. Essa sequência de triunfos também é um recorde que Anderson Silva ostenta no UFC. Royce Gracie é quem mais se aproxima dele, com 11 seguidas. Em duas delas, o Spider se deu ao luxo de subir de categoria e derrotar James Irvin e também o ex-campeão meio-pesado Forrest Griffin.
Nos 14 combates que fez no UFC, Anderson Silva conseguiu nove nocautes. A trocação, aliás, é o carro-chefe do brasileiro. Dono de um estilo único, com ataques e contra-ataques que misturam força e velocidade, o Spider lidera as estatísticas do evento no quesito "golpes significativos". Ele acerta 68,5% dos socos e chutes com precisão. São mais de 8% de vantagem para o segundo colocado, Cain Velasquez, que tem a marca de 60,2%. Anderson também foi quem mais aplicou knockdowns na história do UFC. Foram 15 ao todo, contra 14 de Chuck Liddell e 11 de Melvin Guillard, que vêm na sequência.
O lado "showman" de Anderson Silva também pode ser medido através dos prêmios que ele ganhou. Três duelos do Spider foram eleitos a "luta da noite". Ele ainda faturou duas vezes a "finalização da noite" e em três oportunidades o "nocaute da noite". O primeiro duelo contra Chael Sonnen, em 2010, venceu a eleição de "luta do ano" do "Oscar do MMA". E, para finalizar, o famoso chute frontal dado em Vitor Belfort, em 2011, foi premiado como "nocaute do ano".
Aos 37 anos, Anderson vai entrar no octógono do UFC pela 15ª vez, chegarà à 11ª disputa de título e colocará alguns desses recordes em jogo. Poderá Chael Sonnen desbancar o brasileiro? A resposta virá no dia 7 de julho, em Las Vegas (EUA), durante o UFC 148.


               Anderson venceu nove defesas de título no UFC. Esse é recorde da organização


Confira algumas marcas de Anderson Silva:
 
Lutadores com mais vitórias consecutivas no UFC:

Anderson Silva: 14
Royce Gracie: 11
Georges St-Pierre e Júnior Cigano: 9
 
Lutadores com mais vitórias em disputa de título no UFC:

Anderson Silva: 10
Georges St-Pierre, Matt Hughes e Randy Couture: 9
Tito Ortiz: 6
 
Lutadores com mais vitórias consecutivas em defesas de título no UFC:

Anderson Silva: 9
Georges St-Pierre: 6
Matt Hughes e Tito Ortiz: 5
 
Lutadores com melhor aproveitamento nos golpes aplicados no UFC:

Anderson Silva: 68,5%
Cain Velasquez: 60,2%
Evan Tanner: 59%
 
Lutadores que mais aplicaram knockdowns no UFC:

Anderson Silva: 15
Chuck Liddell: 14
Melvin Guillard: 11
 
Número de dias como campeão do UFC:

Anderson Silva: 2.085
Georges St-Pierre: 1.532
Jon Jones: 467



FBI prende hacker responsável por invadir o site do UFC em janeiro

Homem que se identificou como JoshTheGod foi um dos detidos após ampla investigação sobre fraude de cartões de crédito.

 

                                                  Imagem deixada por hackers no site
                                                               do UFC em janeiro


Uma operação do FBI em conjunto com autoridades de 13 países prendeu 24 pessoas após ampla investigação sobre fraude de cartões de crédito. Entre os detidos está o homem que se identificou como JoshTheGod (membro do grupo Underground Nazi H4ck3rHr0up e do site UGNazi.com), responsável por invadir o site do UFC em janeiro.
O site oficial do UFC foi brevemente hackeado no dia 22 de janeiro. Os visitantes do UFC.com foram desviados para uma página com um desenho do ditador nazista Adolf Hitler. A motivação por trás do ato seria o apoio aberto do UFC ao controverso "Ato pelo Fim da Pirataria Online" (Sopa).
De acordo com as autoridades federais, a operação que prendeu os hackers impediu que cerca de R$ 400 milhões fossem desviados pelos criminosos.

 

Repórter oficial do Ultimate, Joe Rogan ganha faixa-preta de jiu-jítsu

Figura conhecida do UFC mostra que também tem talento nas artes marciais.

 

 

Uma das figuras mais conhecidas do UFC, o repórter Joe Rogan mostrou que também é bom nas artes marciais e ganhou sua faixa-preta de jiu-jítsu. O americano recebeu a graduação das mãos de Eddie Bravo. Feliz, Rogan postou uma foto em seu Twitter sendo ''enforcado'' por com a nova faixa e comemorou na rede social.
- Obrigado por todas as palavras que recebi pela faixa-preta. É uma honra e eu não poderia estar mais feliz - postou o repórter.
No último fim de semana, Joe Rogan esteve em Belo Horizonte, onde participou do UFC 147.

 

Tá Danado e Bernardo Trekko podem ser cortados do Ultimate

Derrotados no começo de junho, brasileiros devem dar adeus ao UFC 

 

                                             Carlos Eduardo Tá Danado (à esquerda) não
                                                                  passou por Pierce

 

Dois brasileiros podem estar se despedindo do Ultimate. De acordo com site ''Legião MMA'', Carlos Eduardo ''Tá Danado'' e Bernardo Trekko não fazem mais parte do quadro de lutadores da maior organização de MMA do mundo.
Os dois lutadores foram derrotados no início de junho, no UFC: Johnson X McCall, na Flórida. Tá Danado caiu diante de Mike Pierce por decisão dividida dos jurados. Bernardo, por sua vez, perdeu para Henry Martinez, também por decisão dividida.
O meio-médio Carlos Eduardo Tá Danado fez sua estreia no UFC vencendo o americano Kris McCray. Em seguida, acabou derrotado por Jake Ellemberguer. Já o peso-leve Bernardo tem duas lutas e duas derrotas pela organização. Além de Martinez, ele também perdeu para Tim Means, em fevereiro.




Bernardo Trekko perde segunda consecutiva no UFC, para Martinez.

Brasileiro cresce durante combate morno e faz bom terceiro round, mas americano mostra um pouco mais em luta pelo card preliminar em Sunrise.
O peso-leve brasileiro Bernardo "Trekko" Magalhães perdeu pela segunda luta consecutiva no Ultimate nesta sexta-feira, ao sofrer derrota por decisão dividida (30-27, 29-28 e 28-29) para o americano Henry Martinez, pupilo de Greg Jackson, mesmo treinador do campeão dos pesos-meio-pesados, Jon Jones. O combate foi válido pelo card preliminar do UFC: Johnson x McCall.
Radicado na Austrália, Bernardo Trekko não esqueceu suas raízes brasileiras e entrou ao som de pagode. Já Henry Martinez, americano, entrou com um som já familiar ao público do Brasil: o kuduro que atualmente é trilha sonora de abertura da novela "Avenida Brasil", da TV Globo. Dentro do octógono, porém, a luta não agradou à torcida nacional, tanto pelo resultado quanto pela qualidade.

 

            Henry Martinez (esq.) acerta o golpe de encontro em Bernardo 'Trekko' Magalhães

 

Trekko tentou uma queda logo no início do primeiro round, mas Martinez defendeu bem. O americano tomou o centro do octógono e teve sucesso no boxe, conectando golpes retos no rosto do brasileiro. O carioca, especialista em jiu-jítsu, tentava acertar chutes baixos e teve um bom momento quando puxou o adversário para a guarda e agarrou sua perna, tentando uma chave de calcanhar. Martinez, no entanto, escapou e manteve a vantagem no round até o final.
No segundo round, Trekko começou melhor, trabalhando bem os chutes baixos e saindo para a esquerda quando o adversário vinha trocar golpes na meia distância. O americano mostrou mais uma vez boa defesa de queda no meio do assalto. A luta ficou equilibrada, mas sem empolgar. Ambos os lutadores se defendiam muito e não encontravam bem a distância para aplicar seus golpes.
Em necessidade de fazer algo mais no terceiro round, Trekko acertou uma joelhada no queixo no início do último round, mas sem muita força. O carioca soltou mais chutes altos, sem sucesso, enquanto Martinez seguia apostando no boxe. Magalhães acertou alguns jabs e tentou mais uma catada de perna, bem defendida pelo americano. O brasileiro novamente tentou uma entrada sem sucesso no minuto final, mas terminou com alguns bons chutes. Não foi suficiente, porém, para inverter o resultado e evitar a vitória de Henry Martinez.
No octógono, o locutor oficial Bruce Buffer anunciou vitória por decisão unânime de Martinez, mas o Twitter oficial do UFC corrigiu mais tarde. Um dos juízes laterais deu vantagem a Trekko em dois dos três rounds e pontuou 29 a 28 para o brasileiro. Os outros dois jurados, entretanto, apontaram 30 a 27 e 29 a 28 para o americano, que venceu, portanto, por decisão dividida.

 

Shooto Brasil 31 em Brasília tem disputa do cinturão dos pesos-moscas

Combate transmite a luta entre Jussier Formiga e Junior Abed nesta sexta.

 

 

O Combate transmite nesta sexta-feira, a partir das 21h, direto de Brasília, a luta entre Jussier Formiga e Junior Abedi. O confronto, que vale o cinturão brasileiro do Shooto, traz em ação um dos melhores lutadores do mundo na categoria mosca (57kg). Com 13 vitórias e apenas uma derrota, Formiga já foi considerado o melhor do mundo na sua divisão de peso. Se for bem sucedido em mais uma defesa de cinturão do Shooto Brasil, espera ter chance no UFC.
- Quero chamar a atenção do Dana White (presidente do UFC), por isso é bom todos ficarem ligados na minha luta, quero impressionar. Minha categoria de peso passou a ser disputada no Ultimate há pouco tempo e nela está o responsável pela minha única derrota, o Ian McCall. Adoraria enfrentá-lo novamente e, se pudesse juntar essa revanche com a minha estreia no UFC, seria ótimo - disse Jussier, que treina ao lado de feras do UFC como o campeão peso pena, José Aldo, Renan Barão e Rony Markes.




 Mas, antes disso, Formiga terá de bater Junior Abedi (5v-2d-1NC), que já derrotou um dos companheiros de treino de Jussier.
- Ele é um cara bem versátil, da luta livre. Na última vez que defendi o meu cinturão, pude vê-lo lutar. Ele venceu o Aquiles Campos, que treina comigo. É um adversário perigoso, mas já fui o número 1 do mundo e quero voltar a ser - declara.
Outra disputa de cinturão do evento com transmissão do Combate será entre André Mikito e Ismael Marmota. Além desses confrontos, mais nove lutas estão programadas.





Confira o card completo:

Shooto Brasil 31
Sexta-feira, 29 de junho de 2012
Brasília, Distrito Federal

Até 57kg: Jussier Formiga (Kimura/NU - RN) x Junior Abedi (Relma VT - RJ)
Até 84 kg: André Mikito (Mikito Team - Belém) x Ismael Marmota (Fernando Boi/NU - GO)
Jeferson Santos (GO) x Bruce Souto (BH) - 77kg
Roger Vieira (DF) x Lucas Caiu (DF) - 66kg
Goiti Yamauchi (SC ) x Juliano Ninja (RJ) RFT - 70kg
Matheus Pereira (NU) x Gilberto Dias (DF) - 57kg
Fernando Fio (DF) x Luiz Gustavo Besouro(RJ) - 77kg
Diogo Osama (DF) x Thiago Fernandes (SP) - 88kg
Henrique Mello(RJ) NU x Cézar Gordinho (BH) - 70,5kg
Sarion Adams (PR) x Julio Cesar (GO) - 84kg
Fabiano Adams (SC) x Marcos Pezão (SP) 011 MMA - 90 kg

Lyoto Machida toma banho de gelo em pausa nos treinamentos em L.A.

Em registro publicado no Instagram, Roger Gracie aparece se refrescando em meio ao calor do verão americano com um banho de mangueira.

 

                                       Lyoto Machida toma banho de gelo na Black House



O brasileiro Lyoto Machida já está em ritmo de preparação para sua luta contra Ryan Bader no UFC: Shogun x Vera, em 4 de agosto em Los Angeles. Após o treinamento desta quarta-feira, na academia Black House, em L.A, o lutador baiano radicado no Pará mergulhou num banho de gelo para anestesiar as dores da atividade. O momento foi flagrado por Derek Lee, um dos sócios da academia, e publicado no Instagram.
A ideia não é nada má, tendo em vista o calor do verão americano no momento. Pelo menos, é a impressão que se tem da foto, bem ensolarada. Ao fundo, Roger Gracie, companheiro de treinos de Lyoto na Black House, aparece tomando banho de mangueira, ao lado de outros dois lutadores.

Após vitória no UFC, Hugo Wolverine tira a barba e 'volta a ser Logan'

Lutador do peso-pena posta foto no Facebook com o novo visual.

 

 

Durante todo o TUF Brasil e também no UFC 147, Hugo Viana desfilou seu visual característico que lhe rendeu o apelido de Wolverine. Mas quatro dias depois do evento que agitou o Mineirinho, em Belo Horizonte, o baiano decidiu mudar um pouco o que via todo dia no espelho. Chegou o dia de tirar a barba por completo e deixar de ser "super-herói".
- Mudando o visual. Hora de começar tudo de novo. Wolverine volta a ser Logan! - postou Hugo no Facebook, em referência ao verdadeiro nome do personagem de Wolverine.

Durante o "The Ultimate Fighter Brasil - Em busca de campeões", Hugo Wolverine conseguiu ir até as semifinais, sendo derrotado por Rony Jason. Após a vitória sobre John Macapá no sábado, o baiano deve ser contratado pelo UFC e baixar uma categoria. Seu nome já aparece entre os penas no site oficial do Ultimate, mas não houve um anúncio oficial sobre um acordo entre as partes.

 

Evans não planeja lutar entre os médios, mas quer enfrentar Anderson

Ex-campeão dos meio-pesados do UFC nega que irá baixar de categoria, mas admite que lutaria, se combate valesse o cinturão.

 

 

Recém-derrotado por Jon Jones na disputa de cinturão dos meio-pesados do UFC, Rashad Evans rechaçou a possibilidade de baixar de categoria e lutar entre os médios. O americano poderia subir ao octógono pela terceira categoria diferente no Ultimate, já que além de sua atual faixa de peso, já competiu pelos pesados, no qual se sagrou campeão do TUF americano, em sua segunda temporada.
Rashad Evans, que já foi o dono do cinturão dos meio-pesados, após bater Forrest Griffin, só admite baixar para os médios no que ele considera sua "luta dos sonhos": disputar o disputar o título contra Anderson Silva.
- Anderson Silva é alguém contra quem eu adoraria lutar. Independente de ganhar ou perder, o que importa é ter lutado contra os maiores nomes do esporte. Poderia me aposentar e dizer que competi com os melhores lutadores do meu tempo, o que significa que eu tive uma grande carreira. Se a oportunidade vier, eu lutaria entre os médios - afirmou o americano, ao site "Fight Cove".
Evans, que tem um cartel de 17 vitórias e apenas duas derrotas - contra Jon Jones e Lyoto Machida, ambas em disputas do cinturão dos meio-pesados do UFC - acredita que não levaria muita vantagem baixando para os médios, pois se sentiria mais fraco.
- Vou tentar competir na minha categoria natural. Me sinto melhor assim. Nem sempre se leva vantagem cortando tanto peso. Eu me sinto mais fraco por causa do desgaste de todo o processo - desabafou o ex-campeão do UFC.

 

Werdum: 'Ganhar cinturão será bom, mas nada se compara a bater Fedor'

Brasileiro espera uma chance de disputar o título dos pesados do UFC contra Cigano, mas, para ele, vitória contra o russo em 2010 foi marcante.

 

                                              Fabrício Werdum bateu Fedor em 2010, pelo
                                                                    Strikeforce



Fabrício Werdum vem demonstrando por que é considerado um dos maiores nomes entre os pesos-pesados do UFC. Com vitórias convincentes sobre Roy Nelson e Mike Russow, o brasileiro, especialista em jiu-jítsu, mostrou que não é bom apenas na arte suave e conquistou os dois últimos triunfos na base da trocação. "Vai Cavalo" quer agora uma chance para disputar o cinturão, em uma revanche contra Junior Cigano, mas, para ele, uma conquista é ainda mais especial. Ter vencido Fedor Emelianenko.
Werdum bateu o russo, considerado por muitos o maior peso-pesado de MMA em todos os tempos, em 2010, pelo Strikeforce, com uma finalização (triângulo) logo no primeiro minuto de combate. Com a vitória, o brasileiro quebrou a invencibilidade do russo que durava quase dez anos.
- A luta contra o Fedor foi a mais importante da minha vida. Nunca irei esquecer. Ganhar o cinturão do UFC vai ser maravilhoso, mas não será nada parecido com ganhar do russo - comentou Werdum, ao site "Fighters Only".
Fabrício Werdum espera agora a possibilidade de uma revanche contra Junior Cigano, pela disputa de cinturão dos pesados do UFC. Na primeira vez que se enfrentaram, Cigano venceu por nocaute, no UFC 90, em 2008, na estreia do atual campeão no Ultimate.

 

Chael Sonnen: 'Gosto de lutas fáceis. Por isso, vou lutar contra Anderson'

Americano diz que, após conquistar o título dos médios, só lutará contra atletas que aceitem enfrentar - ou tenham enfrentado - o campeão brasileiro.

 

O repertório de Chael Sonnen parece realmente infinito. Após praticamente não ter a voz ouvida na polêmica teleconferência em que Anderson Silva disse com todas as letras que irá arrasá-lo na luta principal do UFC 148, no dia 7 de julho, em Las Vegas, o americano voltou a comentar sobre a luta que fará pelo título dos médios contra o brasileiro. Irônico e ácido como sempre, Sonnen revelou, em entrevista ao site "MMA Junkie", a razão pela qual, segundo ele, lutará contra o Spider novamente.
- Os lutadores gostam de dizer que gostam de lutas difíceis e desafiadoras. Eu, não. Gosto de lutas fáceis. Por isso vou lutar contra Anderson Silva novamente.



 

Sem parecer sentir-se intimidado pelas palavras do brasileiro na teleconferência, Sonnen garantiu que sairá com o cinturão do MGM Grand e já impôs as condições para suas futuras defesas de título:
- Eis os meus termos: não lutarei contra ninguém que não tiver lutado contra Anderson Silva. A verdade é que os bastidores do MMA estão cheios de covardes, que nunca colocarão a cara a tapa e jamais vão querer lutar contra ele. Esses covardes ficam lá bajulando-o, tirando fotos e pedindo autógrafos a Anderson, por terem medo dele. Pois bem: quem tiver a coragem de enfrentá-lo, terá o direito de me desafiar. Os covardes que vivem se escondendo não poderão disputar o meu cinturão. Quem o desafiar, será visto por mim como um desafiante em potencial. Mas é difícil achar alguém, além de mim, que o desafie.

Após varrer rivais, 'Gigante' de 1,87m do jiu-jítsu pensa em estreia no MMA

Gabrielle Garcia, gaúcha de 26 anos, está há três anos invicta e tornou-se a primeira faixa preta a conquistar o tricampeonato mundial no absoluto.

 

 

Ela possui 1,87 metro de altura, 105 quilos e o inédito título de tricampeã mundial faixa preta na categoria absoluto. Aos 26 anos, a gaúcha Gabrielle Garcia se tornou imbatível no jiu-jítsu feminino a ponto de estar invicta há três anos. Com tamanha superioridade e tantas medalhas no peito, tornou-se comum para ela enfrentar adversárias que são suas próprias fãs no tatame e encaram o desafio como um aprendizado. A lutadora que superá-la, contudo, sabe que rapidamente será alçada ao topo do esporte.
As candidatas ao feito, porém, devem ficar atentas para a possibilidade de ver a rival deixar o jiu-jítsu com o status inabalado. Seguindo uma rota comum de muitos praticantes da arte suave, a atleta já se imagina entrando em um óctogono de MMA para provar sua habilidade no chão, e, certamente, em outras modalidades a serem desenvolvidas.
- Todo mundo está me perguntando e cobrando isso. Acho que é o meu próximo passo. Depois disso vou voltar a treinar boxe, muay thay. Quem sabe ano que vem eu estreio no MMA.
No início de junho, Gabi conquistou seu terceiro título absoluto na faixa preta no Mundial de Jiu-Jítsu disputado na Califórnia, nos Estados Unidos. Derrotou a compatriota peso-pena bicampeã brasileira Luiza Monteiro (1,66m e 62kg) na final com uma kimura e encerrou a luta em menos de um minuto. Além do feito inédito no feminino, a gaúcha igualou a marca de Roger Gracie, único tricampeão no masculino (na categoria absoluto, atletas de diferentes pesos se enfrentam).
- Se manter no topo e ficar alguns anos em ascensão é difícil. Vencer uma ou duas vezes é uma coisa que as pessoas conseguem até, mas se manter durante alguns anos é fruto de muito treinamento, muito foco - afirmou a peso-pesado, que coleciona títulos também do Pan-Americano, Copa do Mundo e ADCC.
A conquista também honrou a perda recente do irmão mais novo, Renan, de 22 anos. Ele morreu vítima de enfarto durante um treinamento de jiu-jítsu.
Toda vez que eu entro no tatame para lutar eu peço para ele estar comigo. Esse tricampeonato é muito importante na minha vida, é sentimental também por tudo o que eu passei nos últimos meses. Por ter desacreditado em mim mesmo, porque na vida a gente te muitas derrotas. Eu passei por uma derrota grande que foi a perda de uma pessoa muito querida por mim. Desacreditei que eu podia chegar de novo, voltar a minha melhor forma acabei me entregando um pouco e dei a volta por cima consegui esse tri que vem com um sabor todo especial - desabafou a gaúcha.
Gabi costuma dizer que "cresce frente às dificuldades" na luta. Na vida, porém, foi preciso perder 30 quilos e refinar sua técnica para vencer o preconceito da torcida. Antes de chegar ao topo do esporte, a gaúcha era mais pesada e ouvia vaias do público, que acreditava serem suas vitórias fruto apenas de seu tamanho.
Com dieta e aprimoramento da técnica sob os ensinamentos do mestre Fábio Gurgel, Gabi emagreceu e retomou a autoestima. Hoje, ela já coleciona sete títulos mundiais na faixa-preta.
- Aquilo só me ajudou a crescer, como atleta e ser-humano. As pessoas não gostavam de mim porque eu não era tecnicamente do mesmo nível das meninas. Fui buscar na Alliance (academia) e no meu mestre Fábio a técnica e esse refino que eu não tinha - relembrou.
Cris Cyborg, Ronda Rousey e Gina Carano, estrelas do MMA feminino, podem abrir o olho para o surgimento de uma possível rival no crescente mundo das artes marciais mistas.



 

Kiana Tom & Monica Brant - treino de Ombros

Imprensa dos EUA se assusta e repercute ameaças de Anderson Silva

Assim com Dana White, publicações americanas se surpreendem com as palavras do campeão dos pesos-médios, que enfim respondeu a Sonnen.

 


Não foram apenas os brasileiros e Dana White  que se surpreenderam com o tom das declarações de Anderson Silva durante uma coletiva de imprensa por telefone nesta segunda-feira. Acostumada a ver o Spider escutar calado quase todas as provocações e alfinetadas vindas de Chael Sonnen, há quase dois anos, a imprensa americana repercutiu com espanto as palavras agressivas do lutador brasileiro. O lutador enfim resolveu "chutar o balde", afirmando que vai dar uma lição em seu oponente no duelo do dia 7 de julho.
Para o jornal ''Los Angeles Times'', o campeão dos pesos-médios do UFC deixou de lado sua postura comedida e quieta por alguns minutos. A publicação lembrou das provocações que Sonnen disparou nos últimos meses e ressaltou: ''Anderson finalmente deu o troco''.
O ''USA Today'' destacou em sua manchete uma das ameaças feita pelo Spider, que prometeu quebrar braços, pernas e os dentes de seu desafeto na revanche de Las Vegas: ''Silva ameaça os membros e a face de Sonnen antes do UFC 148''. O jornal americano também afirmou que Anderson largou por alguns minutos sua faceta pouco comunicativa diante da imprensa para ''cuspir fogo''.
A manchete do jornal ''Las Vegas Sun'' enalteceu a declaração em que Anderson garantiu que daria uma lição ao americano, uma vez que seus pais não o educaram da forma correta:'' Sem se segurar mais, Anderson Silva dá bronca e ameaça Sonnen''.A publicação de Nevada também lembrou que, normalmente, o Spider não responde as perguntas da imprensa americana com mais de uma frase: ''Sonnen tem zombado do legado de Silva e de sua herança brasileira. Depois de ficar em silêncio na maioria das vezes, Anderson chegou ao seu limite neste segunda feira. Pela primeira vez, Sonnen não estava no centro das atenções. Ele mal teve chance de falar''.
O confronto mais esperado do ano vai ocorrer no UFC 148, dia 7 de julho, em Las Vegas, valendo o cinturão dos médios do Ultimate. Na primeira vez em que se enfrentaram, Sonnen castigou o campeão por quatro rounds e meio, mas foi finalizado por um triângulo no fim.










Dana White: 'Em sete anos, nunca vi o Anderson Silva falar assim'

Presidente do Ultimate voltou a dizer ainda que para ele, Spider é o maior lutador de MMA de todos os tempos.

 

 

Não foram apenas os fãs de MMA que se surpreenderam com as declarações de Anderson Silva na entrevista coletiva por telefone do UFC 148, nesta segunda-feira. Dana White, presidente do Ultimate, foi emblemático ao comentar as declarações de Spider, que após quase dois anos escutando provocações de Chael Sonnen, desde antes da primeira luta entre eles, em agosto de 2010, resolveu "chutar o balde".
- Em sete anos no UFC, nunca vi o Anderson Silva falar como desta vez - declarou Dana White, referindo-se ao tempo em que Spider luta pela entidade.
Spider "chutou o balde" na coletiva por telefone do UFC 148 e xingou o americano, prometendo "quebrá-lo inteiro". E os papéis se inverteram totalmente, uma vez que Sonnen também surpreendeu e não reagiu aos insultos.
O presidente do UFC voltou a dizer ainda que para ele, Anderson é o maior lutador de MMA de todos os tempos. Dana White aproveitou ainda para responder algumas críticas contra o Spider, pelo fato do lutador não falar inglês.
- Ele é uma grande estrela. Todos querem vê-lo lutando. Ele poderia até ser mudo que não teria problema - declarou.
 
CARD PRINCIPAL

Anderson Silva x Chael Sonnen
Tito Ortiz x Forrest Griffin
Cung Le x Patrick Côté
Demian Maia x Dong Hyun Kim
Ivan Menjivar x Mike Easton
Chad Mendes x Cody McKenzie

CARD PRELIMINAR

Gleison Tibau x Khabib Nurmagomedov
Melvin Guillard x Fabrício "Morango" Camões
Riki Fukuda x Costa Philippou
John Alessio x Shane Roller
Yoislandy Izquierdo x Rafaello Oliveira

 

Bellator contrata brasileiro capoeirista que quase participou do TUF 15

Marcus Lelo chegou à última fase de seleção de atletas para o programa, mas UFC optou por usar apenas com lutadores da categoria de baixo.

 

                                      Marcus Lelo (esq.) e Wanderlei Silva nos bastidores
                                                             da seleção do TUF 15



Sucesso de audiência no Youtube, onde apenas um vídeo com seus melhores momentos já foi assistido por mais de 2,3 milhões de pessoas, o brasileiro Marcus "Lelo" Aurélio enfim chega a um grande evento. O pernambucano de Recife e que atualmente mora no Canadá acaba de ser contratado pelo Bellator, o principal rival do UFC e do Strikeforce nos Estados Unidos.
- Estou feliz por veem meu potencial. Eu sei que eles (no Bellator) têm alguns dos melhores lutadores do mundo e estou pronto para provar o meu valor contra os que estão no topo. Esta é uma realização enorme para mim e para todos que me ajudaram a chegar onde estou - disse Lelo ao site "MMAWeekly".
Atualmente com 26 anos, Marcus tem seis vitórias e uma derrota na carreira. São cinco triunfos por nocaute e um por finalização. Seu único revés foi em sua estreia no MMA, para Bastien Huveneers, em 2005. No fim do ano passado, Lelo, que luta entre os meio-médios, chegou à fase final de seleção de lutadores para o TUF 15. Entretanto, o UFC optou por fazer o programa apenas com pesos-leves.

Sem a chance de lutar no Ultimate, Marcus Aurélio lutou duas vezes em 2012 e conseguiu dois nocautes. Tudo isso deixa o CEO do Bellator, Bjorn Rebney, empolgado com a contratação.
- Se você nunca viu ele lutar, você está perdendo algo totalmente único e especial. Marcus traz um estilo completamente singular e uma confiança para o cage que eu nunca vi antes. Vai ser ótimo para ver como seu explosivo estilo de capoeira se sai no Bellator.



                                               Marcus Lelo em luta contra Ken Tran


A estreia de Lelo será no dia 24 de agosto, em local ainda a ser divulgado. No mesmo dia, outros três brasileiros já estão confirmados. Patrício Pitbull vai desafiar o campeão peso-pena, Pat Curran, e Marcos Loro vai disputar a final do GP dos galos contra Luis Betão.

Anderson Silva promete arrancar dentes de Chael Sonnen


 



 


Na segunda-feira, o campeão dos pesos-médios do Ultimate, Anderson Silva, esqueceu o respeito e o silêncio frente às inúmeras provocações do desafeto Chael Sonnen nos últimos três anos e atacou o americano, numa teleconferência com a imprensa internacional para promover o UFC 148, que acontece em Las Vegas no próximo dia 7 de julho. Na terça, o UFC disponibilizou o áudio completo da entrevista, e o sportv.com selecionou as respostas do "Spider" para os fãs do MMA. 
A teleconferência, tradicional ação de promoção de eventos do UFC que envolvem vendas de pacote de pay-per-view, teve pouco mais de 30 minutos e contou com a participação de Anderson, Sonnen, Tito Ortiz, Forrest Griffin e do presidente da franquia, Dana White. Logo em sua primeira resposta, o normalmente contido "Spider" não poupou insultos ao rival.
- Esse cara é um marginal, uma escória do esporte. Não merece estar no UFC. Teve problema com a Justiça americana, problema com doping, não respeita nada. Esse cara é um imbecil. No dia 7 vou acabar com a cara dele e com cada um dos dentes da boca - detonou Anderson.
O ataque, porém, não ficou por aí. O lutador paulista ignorou a conversa sobre o desempenho de Sonnen no primeiro confronto entre os dois, no UFC 117, em agosto de 2010, e prometeu expulsar o americano do Ultimate, numa referência ao desafio feito pelo próprio Sonnen no UFC 136, quando declarou que deixaria a organização caso fosse derrotado por Anderson novamente.
- Quem vive de passado é museu. Eu vou bater nele de novo, é isso que vou fazer. Não tem muito o que fazer. Vou enfiar a porrada. Acabou a brincadeira, acabou a falação. Está chegando perto da verdade. Estou 100% e vou quebrar a cara dele. Vou expulsá-lo do UFC. Vai apanhar como nunca apanhou. Vou bater nele para aprender a ser educado, tudo que não aprendeu da mamãe e do papai, para aprender a respeitar as pessoas e os pais das pessoas - disparou.
A sequência de ataques tornou o "Spider" no centro das atenções da teleconferência e, em determinado ponto, o presidente Dana White chegou a pedir por perguntas aos demais presentes à teleconferência, por "não haver mais nada que Anderson possa disser além do que já disse". Na próxima terça-feira, 3 de julho, Anderson Silva e Chael Sonnen estarão frente a frente, para a coletiva de imprensa oficial do UFC 148.

 


 

Após primeira derrota no UFC, Yuri Marajó diz: 'devo mudar de categoria'

Lutador sentiu a diferença de peso para Hacran Dias e espera que próximo adversário não seja um brasileiro.

 

 

O peso-pena paraense Yuri Marajó teve sua primeira derrota no UFC, no último sábado (23), no Ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte, quando enfrentou o carioca Hacran Dias. A derrota interrompeu uma sequência de 13 vitórias seguidas
- Fui com muita sede de nocaute e toda vez que eu ia pra cima, ele me botava pra baixo, acho que esse foi um dos principais erros. No total acabei levando seis quedas. No final do terceiro round quase consegui finalizar, mas não deu.
Além disso, a grande diferença de peso entre Yuri e seu adversário o fez considerar baixar de categoria para sua próxima luta, indo para o peso-galo (61,2 kg). Atualmente, o paraense luta como peso-pena (65,8 kg)
- Senti muito a diferença de peso, mas também perdi por ser o dia do Hacran. Eu e minha equipe já estudamos a possibilidade de baixar de categoria, pois muitos da minha categoria, que pesam de 77 kg a 80 kg, conseguem bater os 65,8 kg exigidos no dia da pesagem. Eu sou um dos mais leves, então, provavelmente, na minha próxima luta devo mudar de categoria.
 
Paraense deve voltar ao octógono ainda esse ano

Para sua próxima luta, Yuri prefere não escolher adversário, embora tenha preferência em enfrentar lutadores de fora do Brasil.
- Acho que essa foi a minha última luta contra brasileiro, pelo menos por enquanto. Espero que venha um gringo da próxima vez e que seja fora do Brasil. Devo voltar a lutar em outubro ou novembro, estou esperando a definição da diretoria do UFC.

 

Rony Jason já 'cava' lugar no próximo UFC Rio e crê em cinturão em 2013

Campeão do 'The Ultimate Fighter Brasil - Em busca de campeões' diz que enfrenta quem Dana White quiser e lembra que 13 'é o número do Jason'.

 

 

 

Recém-coroado campeão dos pesos-penas do 'The Ultimate Fighter Brasil - Em busca de campeões', Rony Jason quer voltar aos combates em cerca de três meses. O mais novo contratado do Ultimate já está "cavando" vaga no terceiro UFC Rio, planejado para outubro próximo na Arena da Barra. Apressado, o lutador cearense, radicado no Rio de Janeiro, pensa ainda em disputar o cinturão da categoria, em posse do manauara José Aldo, já no ano que vem.
- Quero muito lutar no próximo UFC Rio. O Rio de Janeiro agora é a minha casa, fui muito bem acolhido nesta cidade e desejo muito me apresentar aqui. Enfrento quem o Dana White escolher - afirmou Jason, através da assessoria de imprensa de sua equipe, a Team Nogueira.
O atleta vai tirar dez dias de folga após derrotar Godofredo Pepey pelo título do TUF Brasil e vai visitar sua cidade natal, Quixadá. Na volta, já pretende dar os primeiros passos rumo ao cinturão. Jason fez uma brincadeira com seu apelido, inspirado no personagem principal do filme "Sexta-Feira 13", para mostrar que acredita que 2013 será o seu ano dentro da organização.
- Eu quero muito trazer esse cinturão para minha equipe. Acredito que, se eu vencer mais duas lutas, posso disputá-lo. O 13 é o numero do Jason, então tenho certeza que 2013 será o meu ano no MMA - disse o atleta.

 

Mondragon fará última luta no Brasil e afirma: 'posso vencer o Cigano'

Baiano, radicado no Pará, já enfrentou atual campeão do UFC e perdeu por corte no supercílio. Última luta será em Rondônia, no próximo final de semana.

 

 

Baiano de nascimento, mas paraense de coração, Gerônimo dos Santos, o Mondragon, 31 anos, procura aumentar a sua extensa sequência de 18 vitórias. O adversário da vez será Márcio Tubarão, nesse sábado (30), na luta principal do Rondônia Show Fight. O evento acontece no Ginásio do Sesi, em Porto Velho, a partir das 19h30.
Com um contrato praticamente fechado com o UFC, Mondragon luta pela última vez em solo brasileiro, apenas por já ter assinado com o evento rondoniense.
- Meu adversário é muito completo, por isso estou me preparando muito. Eu sou o primeiro do ranking nacional dos pesos-pesados e não posso perder de jeito nenhum. Já estou com o pé pra fora do Brasil e quase fechando com o UFC, então, preciso ganhar pra conseguir fechar com eles.
 
Mondragon sonha com revanche contra Cigano

No dia 24 de maio de 2008, Mondragon subiu na arena do Demo Fight 3, em Salvador, contra o lutador Júnior “Cigano” dos Santos, atual campeão mundial dos pesos-pesados do UFC, naquela que seria a última luta de Cigano antes de ir para a organização americana. Na ocasião, ainda no primeiro round, um corte no supercílio esquerdo obrigou o árbitro a parar a luta e dar a vitória para Cigano.
- Eu sei que eu posso vencer o Cigano, pois conheço o jogo dele. A maioria dos caras que lutam contra ele o respeitam muito e ele cresce nisso. Eu vou pra dentro, aperto e não dou espaço pra ele se sentir confortável. Por isso que fui o único lutador que ele levou pro chão. Ele trocou comigo, sentiu minha mão e me levou pra baixo. Mas agora que eu estou treinando chão com o Illiarde, eu estou muito mais preparado e vou surpreende muita gente – profetiza Mondragon.








Treinador reconhecido garante que Mondragon está pronto

O treinador Ulisses Pereira, conhecido por treinar o campeão de boxe Acelino “Popó” Freitas, também é responsável pelo preparo de Mondragon e conta sobre treinamento.
- Estamos melhorando muito o boxe do Mondragon e trabalhando a base para que ele vença essa luta facilmente, entre no UFC com experiência e faça uma boa estreia, diferente de como acontece com muitas atletas que não fazem boas estreias. O Mondragon está treinando com uma grande equipe, que inclui treinos de jiu-jitsu com o Illiarde Santos, que é o atleta número do ranking nacional do peso-galo.

Além das vitórias, frases polêmicas marcam carreiras de Spider e Sonnen

Lutadores, que vão disputar o cinturão dos médios do UFC no próximo dia 7 de julho, colecionam polêmicas com seus desafetos no MMA.

 


 



 

Anderson Silva é ex-campeão do Shotoo e do Cage Rage e atual dono do cinturão dos médios do maior evento de MMA do mundo, o UFC. Chael Sonnen conseguiu o título de "All American" no wrestling americano, é ex-campeão do WEC e foi o atleta que mais esteve perto de bater o Spider no Ultimate. Os dois lutadores se enfrentam no próximo dia 7 de julho, em Las Vegas (EUA), no UFC 148, e criam expectativa para mais um combate épico. Dentro do octógono estará uma das maiores rivalidades já vista na organização. Uma rixa entre duas personalidades polêmicas dentro do esporte e que vira e mexe se envolvem em polêmicas também com outros colegas de profissão.





O sportv.com selecionou algumas declarações que ajudam a contar um pouco dessas confusões envolvendo Anderson Silva e Chael Sonnen. Como o dia em que o Spider provocou o compatriota Demian Maia no meio da luta entre eles - além da ofensa, nesse dia o campeão dos médios teve uma má apresentação, o que fez o presidente do UFC, Dana White, ameaçar colocá-lo no card preliminar mesmo como campeão. E do lado de Sonnen, diversas ofensas aos lutadores brasileiros. Nem mesmo Lyoto Machida, que nunca se envolve em bate-boca, escapou de ser alvo do americano.

Confira abaixo algumas das declarações polêmicas de Anderson Silva:

"Você não disse que aranha tem oito pernas e ia arrancar uma? Levanta, playboy!"
Anderson Silva durante luta contra Demian Maia, em 2010
"Treino duro e por muito tempo. Treino para todas as lutas e respeito os meus adversários. Entretanto, o Belfort não respeita. Ele não respeita nada, nem ninguém."
Spider, sobre outro de seus desafetos
"Não existe pressão nenhuma. Falar até papagaio fala."
Anderson, sobre a luta contra Sonnen
"O Chael Sonnen fala por si mesmo. O histórico dele é de falsidade sempre. Ele é um falso, ele é falso, ele é um falso, ele é falso, não é um verdadeiro campeão. Ele nunca vai ter esse cinturão, porque a gente vai trabalhar muito forte para manter esse título aqui no Brasil. É um título brasileiro. Vou dar a minha vida para que esse cinturão continue aqui. Vou continuar trabalhando forte para continuar com ele."
Anderson Silva, de novo sobre Sonnen
"Olha só, é como você querer comparar o Maradona ao Pelé, ou o Prost ao Ayrton Senna. O Chael é um grande atleta, por isso está no UFC, mas não tem comparação (com o próprio Anderson Silva). Nós (brasileiros) somos os melhores no que nós fazemos, né? Não tem como. O Prost ficou para trás, muito frustrado de não ter vencido o Senna."

Anderson comparando sua rivalidade com a de outras estrelas brasileiras

"Ele fala demais. Chael Sonnen precisa treinar e não falar. Tem de parar de falar. Está indo para o Brasil? Grande problema."
Anderson Silva, sobre Sonnen lutar no Brasil, antes de ela ser transferida para Las Vegas
Olha só, é como você querer comparar o Maradona ao Pelé, ou o Prost ao Ayrton Senna. O Chael é um grande atleta, por isso está no UFC, mas não tem comparação (com o próprio Anderson Silva)."
Anderson Silva
"O cara tem de ser muito bem convencido do que ele é para usar. Tipo assim, não quer dizer que você não possa me dar seu telefone depois."
Spider respondendo com bom humor a uma repórter, que lhe perguntou sobre usar roupa rosa
"De nada. Beijo, me liga."
Anderson, ao responder o agradecimento da repórter
"Foi como um tchau de miss."
Spider, no programa Altas Horas, sobre o golpe que decretou sua vitória sobre Vitor Belfort
"Você não pode andar para trás. Você treina, você sabe... Pô, estou com microfone aqui. Mas espera aí, cara. Também não estou falando nada que não é verdade. Todo mundo já sabe."
Anderson Silva, em visita à casa do TUF, em conversa com Wanderlei Silva sobre Vitor Belfort

Confira algumas das declarações polêmicas de Chael Sonnen:

"Anderson tem uma faixa-preta dada pelos irmãos Nogueira. Eu acho que ter uma faixa-preta dos Nogueira é como ganhar um brinquedo grátis no McLanche Feliz."
Sonnen provocando Minotauro e Minotouro
"Eu estava presente quando os irmãos Nogueira chegaram pela primeira vez aos Estados Unidos. Minotouro quis alimentar um ônibus com uma cenoura, e Minotauro o acariciava como se fosse um cavalo. Acho que nunca tinham visto algo parecido na vida."
Sonnen de novo sobre Minota e Minoto
"Eu bateria em Lyoto Machida no meu caminho para o octógono para vencer Anderson. E chutaria a bunda de Nogueira no estacionamento depois da festa da vitória."
Sonnen mirando sua "metralhadora giratória" para os amigos do Spider
"Wanderlei (Silva), vou abrir a porta do seu quarto com arame e tirar uma foto sua com os irmãos Nogueira praticando 'jiu-jítsu' na cama."
Americano mostrando que também gosta de provocar Wand
"Se eu tiver que te encontrar cara a cara cada vez que eu quiser te ridicularizar, minhas milhagens vão aumentar mais rápido do que você consegue dizer 'ex-brasileiro que mora em Vegas'."
Sonnen, sobre Wand dizer que o americano só o provoca quando não está cara a cara




"Se estivermos num mundo hipotético e ele me vencer, não significará que ele é bom e sim que eu sou muito ruim."
Sonnen desdenhando da qualidade de Anderson Silva
"Ele (Anderson Silva) não falou isso. Você não é o único da sala que fala português, apesar de agir como se fosse. Não é tão difícil assim entender essa língua, então tente falar latim."
Chael Sonnen para Ed Soares, empresário de Anderson, durante uma coletiva de imprensa
Se estivermos num mundo hipotético e ele me vencer, não significará que ele é bom e sim que eu sou muito ruim"
Chael Sonnen
"Vitor é um fracote. Meu nome nunca sai de sua boca enquanto estou sem contrato. Assim que acerto minha agenda, lá vem Vitor com a arma na mão."
Americano provocando o "Fenômeno"
"Estou indo para o Brasil. Teremos uma entrevista coletiva lá na terça-feira e estou tentando acalmar as coisas com esses caras. Então arrumei uma mala cheia de coisas dos Estados Unidos, que eles não têm. Quero unir os dois países para trabalharmos juntos. Por exemplo, embalei caixas de sabonete para eles, pois eles não têm isso. Quero ajudar e também empacotei xampu, fio dental. E falando dessa indústria existe uma boa história: vocês sabiam que a escova de dente na verdade foi criada no Brasil? Se fosse criada nos Estados Unidos ou em qualquer outro lugar seria chamada de escova de dentes (enfatizando o plural, ou seja, mais de um dente)."
Sonnen antes de sua última visita ao Brasil

Sonnen compositor

E para terminar, duas composições de Chael Sonnen. Uma música e um poema divulgados por ele em abril deste ano. O objetivo das "obras", como de costume, foi ironizar Anderson Silva. O desafiante ao cinturão chamou o atual campeão de "miss", "princesa" e "marica". No poema, sobrou também para o empresário do Spider, Ed Soares, Rodrigo Minotauro, Vitor Belfort, Wanderlei Silva, Renato Babalu e Lyoto Machida. Sobre este último, disse: "Garoto-caratê Machida, ele vai aparecer? Com um xixi fresco e morno", fazendo referência ao fato de o brasileiro radicado no Pará ser adepto da urinoterapia (beber o próprio xixi). Veja abaixo e se divirta ou se irrite com Chael Sonnen. Gosta ou não gosta de uma polêmica o americano?
Música
Anderson, Anderson, pequena miss Anderson
Te chamo de garota, mas você não é, é um manequim
Anderson, Anderson, pequena miss Anderson
Eu sou Chael Sonnen e eu sou o campeão do povo
Veja, você é um marica, não há um jeito de deixar isso mais claro
Você me rejeitou por anos, e agora Dana está te fazendo lutar comigo
Quando eu bater você no Brasil, ficarei muito mais rico
Mas não vou a lugar algum antes que aquela senhora me faça um bife para o jantar
Anderson, Anderson, princesa Silva
Luto contra você com meus olhos fechados e ainda acabo contigo
Anderson, Anderson, princesa Silva
Esse biceps lhe parece familiar?


Poema
 
Anderson, pense bem
Ainda há alguns meses antes de fecharem aquela jaula atrás de mim e você
Da última vez, eles levantaram sua mão, mas foi fácil de ver
Eu tirei muito mais de você do que você tirou de mim
Eu quebrei o espelho e espantei a fumaça
Fui eu que bati, mas foi você que quebrou
Então Anderson, meu amigo, pense bem, quem você vai mandar?
Frankenstein Nogueira ou seu cão de estimação Ed Soares?
Com duas pistolas enferrujadas e um Ford Taurus gasto?
Se eles atirarem como você luta, tudo o que farão será entediar-nos

Como seu jogo em pé superestimado e sua defesa de queda porosa
Garoto-caratê Machida, ele vai aparecer? Com um xixi fresco e morno em um copo do Starbucks?
Wanderlei, Vitor, o próprio Babalu, vou dar porrada em todos e mandá-los de volta para a prateleira
Venha em trens, aviões ou bicicletas, mas aqui está um pequeno conselho:
Não mande ninguém de quem você goste
Porque se você vem para minha casa falando besteira
Vai estar apertando a mão de Jesus ou do homem mais ao Sul
Então entre na academia e trabalhe no seu sprawl (defesa de queda)
Eu acabei de dizer ao Tio Dana que o vencedor leva tudo
Vou deixá-lo com um cordão e um monte de soldas
Vai precisar disso para segurar sua calça, Anderson, pois vou levar seu cinturão