Após início como sparring de Vitor, Mutante diz: 'Ainda apanho bastante'

Finalista do TUF Brasil conta trajetória no MMA e dá valor ao apoio de Belfort. Com a mesma opinião do mentor, ele garante que o enfrentaria.

 

 

Se Cezar Mutante está na final do The Ultimate Fighter Brasil - Em busca de campeões, a maior parte do crédito vai para Vitor Belfort. Este é o pensamento do próprio lutador de 27 anos, que treina com o carioca desde o início da carreira, quando ainda era apenas um sparring. Apesar da grande evolução ao longo do tempo, Mutante diz que ainda leva prejuízo quando treina com o mentor.
- O Vitor estava na 93kg (divisão dos meio-pesados), tinha a mão muito pesada. Hoje eu ainda apanho bastante (risos). Mas ele me passou muito dos conhecimentos dele. Estou tentando aproveitar isso ao máximo para evoluir.
A oportunidade de treinar com Vitor Belfort surgiu pouco depois de Mutante sair de casa, aos 16 anos, e se mudar para Belo Horizonte. O agora peso-médio enxergou talento nele.
- Ele me deu uma bolsa na academia onde treinava em Belo Horizonte, e para mim foi uma grande coisa, porque nunca tinha treinado em uma academia como aquela. Acho que existem pessoas que só precisam de uma oportunidade, e o Brasil tem muitos talentos assim. A oportunidade que eu precisava foi essa. Ali tive acesso ao Vitor, aos treinadores e sparrings dele, todos me ensinando. Era muita informação que eu podia pegar. Ele me deu o ouro na mão - afirmou.





Depois, Mutante foi com Vitor para o Rio de Janeiro e passou a treinar na Black House, mas voltou para Belo Horizonte depois de se casar. Foi quando o carioca se mudou para os Estados Unidos e o chamou para ir junto. Belfort proporcionou, por exemplo, que Mutante fosse sparring por três meses do amigo Randy Couture na preparação do americano para enfrentar Lyoto Machida, em abril de 2011.
Considero o Vitor um irmão mais velho. Ele é um orientador, um mentor, um grande amigo e grande treinador. A relação que tenho com ele não resume à academia. Vamos na casa um do outro, nossos filhos se conhecem, é uma relação de irmão. A influência do "chefe" chegou até a mentalidade de Mutante. Adepto da luta entre amigos, como forma de profissionalismo no MMA, ele garante que enfrentaria até o próprio Vitor Belfort, caso seja desejo do UFC.
O Vitor vem me ensinando isso ao longo da minha carreira. O que fazemos aqui é um esporte, uma competição. Eu não iria contra o que ele me ensina, não teria de romper a amizade com ele. Eu faria isso (lutar contra Vitor Belfort) com certeza.




 Neste sábado, no UFC 147, em Belo Horizonte, Mutante faz a final peso-médio do TUF Brasil contra Serginho Moraes. O evento tem início previsto para as 19h45m (de Brasília), e a luta principal será entre Wanderlei Silva e o americano Rich Franklin. Na outra final do reality show, pelos penas, Godofredo Pepey vai encarar Rony Jason.

Nenhum comentário: