Com chute 'premiado', Mutante bate Bodão e vai à final do TUF Brasil

Pupilo de Vitor Belfort convence Wanderlei Silva e leva bônus de melhor nocaute da competição. Lutadores recebem visita do narrador Galvão Bueno.

 

 

 

As finais do The Ultimate Fighter Brasil - Em busca de campeões estão definidas. O paulista Cezar Mutante garantiu lugar na decisão do torneio dos pesos-médios com um nocaute espetacular sobre Thiago Bodão na última semifinal do programa e, agora, enfrenta Sergio Moraes, que substitui o lesionado Daniel Sarafian, pelo título no UFC 147, no próximo dia 23 de junho, no Mineirinho, em Belo Horizonte. A final entre os pesos-penas terá Rony Jason e Godofredo Pepey.
Neste domingo, o grupo de lutadores recebeu ainda a visita do narrador Galvão Bueno, que distribuiu também os prêmios pelos melhores nocaute, finalização e luta do programa. Essas premiações renderam R$ 45 mil cada para Mutante, Jason, Bodão e Francisco Massaranduba.
Semifinalistas, Thiago Bodão e Cézar Mutante fizeram seus treinamentos finais para o duelo. Os treinadores no reality show, Vitor Belfort e Wanderlei Silva, analisaram o confronto. Para Belfort, Mutante levaria vantagem por sua versatilidade. Já Wand mostrou-se ainda desconfiado das qualidades do atleta do time verde.
- Mutante é um cara muito grande, mas acho que agora, se ele ganhar do Bodão, vou tirar meu chapéu e dizer "Agora sim, agora você pode disputar essa final com honra". Se ele ganhar do Bodão, vou dar até um abraço nele, mas se não ganhar... A mim, não engana, não - afirmou o "Cachorro Louco", que questionou a "proteção" de Belfort a Mutante e disse não ter se convencido pelas lutas anteriores do lutador radicado em Minas.
Bodão se preparava com afinco e prometia agarrar a oportunidade "com unhas e dentes". Ele se mostrou motivado pelas dificuldades que enfrentou pela vida, como um câncer que teve na infância. Já Mutante, que também treinava com vontade, recebeu de Belfort o conselho de atacar sempre com velocidade, que seria seu diferencial no combate.
Na pesagem, Bodão foi o primeiro a subir na balança. O representante do Time Wanderlei marcou 83,9kg. Mutante pesou 84,3kg, praticamente no limite de tolerância da categoria. Os dois mantiveram distância na encarada, com guardas armadas. Bodão sorriu, enquanto Mutante estava mais sério. Posteriormente, os dois afirmaram ser amigos, mas garantiram que, dali até o fim da luta, eram rivais.
Na casa, antes de rumarem para a luta final, os dois times mostraram cansaço com o longo tempo longe da família. Ao entrar na área da piscina, Massaranduba derrubou um latão de cima de uma mesa, só por conta do estresse. Bodão confessou que gostava de ficar no trânsito quando estava na van entre a casa e o centro de treinamentos, só para ter um tempo longe do programa. Já Mutante se disse relaxado para a luta, como se fosse uma "festa".
- Eu faço um trabalho de meditação, tento desligar e esquecer de tudo o que está acontecendo. Não penso em luta, não penso em nada. Quando estou indo para a van, para lutar, penso que estou indo para um restaurante comer o prato principal. Penso que estou indo para uma festa e já vou comer o bolo. Vou relaxado, vou feliz! - contou Mutante, que comprovou sua calma na van, sorrindo enquanto seus amigos cantavam música para incentivá-lo. Já Bodão orou com os companheiros de time azul.
Narrador da TV Globo, Galvão Bueno chegou ao CT minutos antes da última semifinal e entrou em ambos os vestiários para conversar com os lutadores. Ele ficou impressionado com o estado psicológico dos grupos.
- Conversando com eles, os caras estão pirados! Eles estão confinados, todos juntos, ninguém vê ninguém, não sabem o que está acontecendo no mundo, e é aquela coisa, vai aumentando. Mas a decisão é esportiva, dentro do octógono, na capacidade de treinamento de cada equipe - analisou o narrador.




A luta
Os dois lutadores começaram o combate girando e se estudando. Desde o início, porém, Mutante se mostrou melhor e mais concentrado. O lutador do time verde acertou o primeiro golpe, um overhand de esquerda, e encaixou uma sequência de socos em seguida. Bodão buscou o clinche, mas, surpreendentemente, Mutante dominou o rival, desferiu joelhadas e inverteu a posição. O representante do time azul se desvencilhou e foi para o centro do octógono.
Mutante tentou uma meia-lua que por pouco não acertou Bodão. O lutador do Time Vitor tentou uma joelhada e um soco de esquerda, ambos bloqueados pelo adversário. Quando Bodão começou a avançar, porém, Mutante fintou que iria para as pernas e acertou um belíssimo chute alto de esquerda, que pegou o atleta do Time Wanderlei na cabeça.
Bodão caiu apagado, com 1m22s de luta. Em respeito ao amigo e ex-companheiro de time verde, Mutante não comemorou e se ajoelhou ao seu lado, de costas, esperando o atendimento médico. Logo Bodão estava de pé novamente, sem entender o que havia acontecido.
- Vai continuar? Mas eu quero continuar - disse Bodão a Wanderlei Silva, antes de perceber a derrota e cair no choro, desabafando enquanto era consolado pelos treinadores de ambas as equipes. - Joguei fora o futuro da minha família.





Mutante recebeu os parabéns de todos, inclusive dos adversários. Ao entrar no vestiário do time azul para abraçar novamente Bodão e parabenizá-lo pela participação, o lutador paulista radicado em Minas Gerais ouviu Wanderlei Silva cumprir sua promessa e dar-lhe um abraço. Todos os treinadores da equipe fizeram o mesmo.
- Agora ganhou minha admiração, agora sim! Agora eu retiro o que disse. Parabéns, é um ótimo atleta - afirmou Wanderlei, tirando sorrisos do finalista.
Na hora de colar sua foto no quadro dos finalistas, Mutante chamou Vitor Belfort, seu grande incentivador, que, por sua vez, convocou os treinadores da equipe para fazê-lo ao seu lado.
 
Premiados e encaradas finais

Com todas as lutas do programa encerradas, era hora de anunciar os premiados pelas melhores performances do reality show. Primeiro, foi anunciado quem teve o menor tempo total de lutas no programa e levaria uma camionete. Cezar Mutante, com 7m29s somados entre suas vitórias sobre Leonardo Macarrão e Thiago Bodão, levou o carro.
Em seguida, o grupo de lutadores entrou no octógono com Galvão Bueno para o anúncio dos bônus de melhor finalização, nocaute e luta. A melhor finalização ficou com Rony Jason, pela chave de braço que usou para derrotar Anistávio Gasparzinho nas quartas de final dos pesos-penas. O melhor nocaute foi o de Mutante sobre Bodão, na semifinal dos pesos-médios. A melhor luta foi o embate de quartas de final entre Bodão e Francisco Massaranduba, vencido pelo paulista após desistência de Massaranduba antes do round de desempate. Cada um dos premiados recebeu R$ 45 mil. Bodão disse que daria entrada na compra de uma casa para ele próprio, enquanto Massaranduba prometeu ajudar sua irmã a comprar uma casa.




Hora das últimas encaradas entre os finalistas. Os cearenses Godofredo Pepey e Rony Jason foram chamados ao centro do octógono e ficaram bem próximos, com olhares fixos.
- Vou encarar essa final como a luta da minha vida e não vou vender fácil, não - afirmou Pepey.
- O bicho vai pegar lá dentro, porque não vou desistir, e sei que ele também não vai. Quem vai assistir a este evento pode esperar uma grande guerra e uma grande batalha. Na minha concepção, só saio de lá desmaiado - jurou Jason.
Em seguida, foi a vez de os paulistas e companheiros de time verde Daniel Sarafian e Cezar Mutante se encararem. E que encarada: de olhos arregalados, Sarafian encostou a testa no adversário e começou a se mexer de um lado para o outro, num estilo semelhante ao de Wanderlei Silva. Mutante não deixou por menos: levantou os punhos, cerrados, e se separou com uma testada no adversário.
- Vou treinar duro, vou aprender muito mais, para entrar lá com novas armas e conseguir vencer esse combate - declarou Mutante.
- Eu vou para dentro. Vou buscar o melhor treino possível para chegar lá, fazer o melhor trabalho e, se Deus quiser, sair campeão - concluiu Sarafian.
Poucas horas depois do final do último episódio, porém, o UFC anunciou oficialmente que Daniel Sarafian sofreu uma lesão e não poderá disputar o título do torneio. Em seu lugar, estará Serginho Moraes, derrotado por ele na semifinal.
 
Uma despedida digna

Os lutadores já tinham ensaiado amarrar Gasparzinho após a luta entre Daniel Sarafian e Serginho Moraes, nas semifinais dos pesos-médios. Na festa de encerramento do programa, os participantes do programa, enfim, foram até o fim com o plano.
- Ele perturbou todo mundo, então a galera deixou marcado de amarrar ele no fim - explicou Délson Pé de Chumbo.
Gasparzinho foi amarrado com fitas vermelhas e jogado para o alto pelos amigos. Vitor Belfort registrou tudo no celular.


Nenhum comentário: