De anônimo a famoso: Liddell se impressiona com assédio em BH

Ex-campeão meio-pesado do UFC, que lutou no Brasil em 98, arrasta centenas a sessão de autógrafos e tira foto até com bebê de quimono.

 

 

Ex-campeão meio-pesado do UFC, Chuck Liddell viu de perto nesta quarta-feira o quanto o MMA cresceu no Brasil. Quando esteve no país pela última vez, em agosto de 1998, para lutar pelo evento IVC, poucos o reconheciam. Desta vez, o americano arrastou centenas de fãs a um shopping em Belo Horizonte, atrás de fotos e autógrafos seus. Impressionado, o ídolo e hall da fama do Ultimate comemorou a expansão de seu esporte.
- Já faz muito tempo que vim aqui, e ninguém sabia quem eu era. É bem diferente. Eu tinha ouvido que estava grande aqui. O esporte está indo para todos os lugares - comentou Liddell.

Vizinhos e amigos de rua, Mateus Leonard, Guilherme Passos, Henrique Pains e Breno Sallum foram juntos ao shopping. Apesar de jovens, entre 13 e 15 anos de idade, os quatro se disseram fãs do UFC há anos e chegaram cedo para a sessão de autógrafos, às 16h. Ainda assim, pegaram cerca de 50 metros de fila. O quarteto garantiu que valeu a pena.
- Só vi uma luta do Chuck, mas sou fã. É bom para caramba ter um UFC aqui, para arrebatar mais fãs. A gente já junta a galera para ver as lutas há tempos, fica acordado até duas da manhã - disse Guilherme.


                                             Fãs de Chuck Liddell prestigiam lutador em BH


Após ficar na fila por mais de uma hora e meia, Ricardo Jolusan, que pratica jiu-jítsu, saiu satisfeito da loja com seu autógrafo. Fã de MMA há 12 anos, o mineiro afirmou que gostaria de ver o ex-lutador Chuck Liddell no evento principal do UFC 147, neste sábado, contra seu ídolo Wanderlei Silva.
- Acompanho há muitos anos e sou muito fã do Chuck Liddel. Se ele ainda estivesse lutando, gostaria de vê-lo no card de Belo Horizonte. Melhoraria ainda mais o evento - afirmou Ricardo, ao lado de seus amigos, todos fãs de Liddell.

''Pequeno lutador'' sensibiliza diretor do UFC

Com apenas um ano, o pequeno Pedro, vestido de quimono, chamou a atenção. Dormindo no colo da mãe, Janaína, o "mineirinho'' conseguiu sensibilizar um dos diretores do UFC, Reed Harris, que o tirou do fim da fila. O pai, Felipe, chamou atenção por usar um corte de cabelo igual ao do americano Liddell.
- Ele já é um pequeno lutador. Lá em casa somos todos fãs de MMA. Em breve, quem sabe, ele também vai estar lutando - disse a mãe, emocionada ao conseguir tirar uma foto do filho ao lado do ex-lutador.


                                   Vestido de quimono, pequeno Pedro tirou foto com Liddell

Nenhum comentário: