Maynard diz que foi sua equipe quem reclamou do cabelo de Clay Guida

Eles (da equipe) acharam que era uma possível distração ter o cabelo solto durante cinco rounds, mas, para mim, não é um problema', diz o americano.

 

 

Sem lutar desde outubro de 2011, quando foi nocauteado por Frankie Edgar na disputa do cinturão dos leves, Gray Maynard volta ao octógono do UFC nesta sexta-feira. O adversário é o americano Clay Guida, que vem de derrota para o atual campeão da categoria Ben Henderson. Um detalhe do combate chamou a atenção na última semana: a equipe de Maynard teria feito um pedido oficial para que Guida, conhecido por lutar com o longo cabelo solto, tivesse que usá-lo preso durante a luta.
- Eu não estive envolvido nesse pedido. Alguém de fora da minha equipe fez esse pedido para a comissão há uns dois meses e eu só descobri agora. Não me importo se o cabelo está preso ou não, isso não é uma decisão minha. Eles acharam que era uma possível distração ter o cabelo solto durante cinco rounds, mas, para mim, não é um problema - esclareceu Maynard ao sportv.com.
Após a primeira derrota no cartel, na última luta da trilogia contra Edgar, Gray Maynard resolveu repensar a carreira - trocou a Xtreme Couture, em Las Vegas, pela AKA, na Califórnia. Na preparação para a luta contra Clay Guida, um dos lutadores mais explosivos e condicionados do MMA atual, o americano investiu em treinamentos de velocidade, intensificou a parte de wrestling e da preparação física.
- Foi uma época de mudanças, tanto na minha vida pessoal quanto profissional. Xtreme Couture me ajdou a ser quem eu sou e sempre vou ser grato por isso. Nós somos muito próximos e sempre que estiver em Vegas vou treinar lá. Mas para essa luta resolvi treinar na AKA e em uma academia de boxe próxima - conta ele.
Em janeiro, Maynard esteve no Brasil para ajudar nos treinos de José Aldo contra Chad Mendes. A experiência foi marcante.





Eu acho que ter ido para a Nova União foi parte do meu treino também. Aprendi e aproveitei muito a experiência que tive lá, tenho planos de fazer mais viagens e treinar com a equipe, foi uma das melhores experiências da minha vida. Considero todos da equipe como minha família. André (Pederneiras) é um dos melhores técnicos do mundo e me sinto honrado de ter feito parte desse camp.

Nenhum comentário: