Médico diz que hipogonadismo de Sonnen é reflexo de uso de esteroides

Segundo Johnny Benjamin, lutador americano não teria condições de competir em alto nível no wrestling universitário se tivesse a doença.

  

Chael Sonnen teve recentemente aceito pela Comissão Atlética do Estado de Nevada, um pedido para fazer uso terapêutico de Terapia para Reposição de Testosterona (TRT), alegando sofrer de hipogonadismo, doença que compromete a produção hormonal pela secreção inadequada de testosterona pelos testículos. Assim como ele, Frank Mir também fez uso da terapia, e Rich Franklin, adversário de Wanderlei Silva no UFC 147, em Belo Horizonte, já admitiu interesse no tratamento. Segundo o médico americano Johnny Benjamin, especialista em ortopedia espinhal, a doença alegada por Sonnen foi causada pelo uso excessivo de esteroides anabolizantes.

Benjamin afirmou ao site "Bloody Elbow" que a doença atinge de um a dois por cento da população com menos de 33 anos, idade de Frank Mir, ironizando a necessidade de tratamento do lutador, ao questionar quantas pessoas fazem uso do procedimento. Sobre o caso de Chael Sonnen, ele é ainda mais duro.

- Sonnen foi um excelente wrestler na época de faculdade, mas na minha opinião, não há nenhuma maneira de ele ter chegado ao nível que atingiu no wrestling universitário com hipogonadismo. Ele não estava no TRT enquanto adolescente. Como então ter tornado-se grande e musculoso com a doença? É impossível chegar a este patamar, pois você não terá massa muscular e força para isto. Iriam te atropelar. Seu corpo não desenvolverá os músculos e força suficiente para competir em alto nível. Se ele tem a doença, é porque tratou-se com esteroides no passado, e destruiu os seus testículos - sentenciou.


Johnny Benjamin acredita que a liberação de TRT para alguns atletas abre um precedente perigoso no MMA. Segundo ele, alguns atletas podem buscar um médico qualquer que possa prescrever a necessidade do tratamento, abrindo uma brecha legal para se doparem, principalmente os lutadores mais velhos.
- Muitos lutadores mais velhos buscarão este tratamento para lutar em condições de igualdade com os mais jovens. Tudo depende do nível de hormônio que for detectado no exame. É muito simples burlar o sistema. Basta parar o tratamento algumas semanas antes do combate para os níveis diminuirem. O Alistair Overeem, por exemplo, foi pego com uma taxa de 16:1, quando o normal é 1:1. Se você estiver fazendo uso da terapia, não estará na relação 1:1. Em resumo, você pode estar com uma relação de 20:1, por exemplo e ninguém verificará. Isto é ridículo - afirmou.


                                                            NICK DIAS

O americano falou ainda sobre o caso de Nick Diaz, suspenso por um ano por uso de maconha. Benjamin acredita que a punição foi severa demais para o lutador, mas culpa os advogados do atleta.
- É claro que a maconha não é estimulante. Não fumo, não planto, não vendo nem nada do tipo, ou seja, não tenho interesse algum em defender o uso, mas é claro que não trará nenhuma vantagem ao atleta, a não ser que ele estivesse em uma competição de comer tortas. Ele foi um bode expiatório, mas seus advogados também fizeram um trabalho terrível - concluiu.
Sonnen enfrenta Anderson Silva no UFC 148, em 7 de julho, em Las Vegas. No primeiro confronto entre os dois, no UFC 117, vencido pelo brasileiro, o americano foi pego no exame antidoping com taxa elevada de testosterona/epistestosterona. Na ocasião, Sonnen apelou que havia dado os passos necessários para ter o tratamento por TRT aprovado pela Comissão Atlética do Estado da Califórnia, que supervisionou o evento, e alegou que tinha hipogonadismo. O lutador foi suspenso por um ano e retornou aos combates em 8 de outubro de 2011.

Nenhum comentário: