Cormier cogita os meio-pesados para não lutar com o amigo Cain Velásquez

Campeão do GP dos pesados do Strikeforce revela que ex-campeão do UFC o ajudou muito no início da carreira, e não gostaria de enfrentá-lo no octógono.

 

                                   Daniel Cormier prefere descer de peso a ter que lutar
                                                   contra o amigo Cain Velásquez


Amigo pessoal e companheiro de treinos de Cain Velásquez na American Kickboxing Academy, em San José, na Califórnia, o campeão do GP dos pesados do Strikeforce, Daniel Cormier, garantiu que quando (e se) Velásquez reconquistar o cinturão dos pesos-pesados do UFC, ele imediatamente anunciará a sua ida para a categoria dos meio-pesados, para evitar um possível confronto com o amigo.
- Não estou dizendo que é isso que acontecerá, porque tudo depende do que acontecerá na luta entre Cain e Júnior Cigano. Mas ir para os meio-pesados é um plano B, caso Cain reconquiste o cinturão do UFC. Não quero lutar contra Cain Velásquez. Ele me ajudou demais a me tornar um lutador de MMA. Quando comecei, ele me abriu as portas e me ensinou muita coisa. ele não precisava fazer nada daquilo por mim. Por isso, lutarmos e algo que temos que sentar e discutir não só como membros de uma equipe, mas também com a empresa que gerencia nossa imagem e com nossos técnicos, e ver o que devemos fazer. Mas eu já disse antes e direi novamente: se Cain reconquistar o cinturão, do fundo do coração, eu não quero ter que enfrentá-lo. Prefiro enfrentar Jon Jones, e é isso que vou fazes, se for necessário - disse o lutador ao site "Mixed Martial Arts".


                                       Velásquez deve enfrentar Junior Cigano pelo título
                                                                  dos pesados


Sobre uma hipotética luta pelo cinturão dos meio -pesados contra Jon Jones, Cormier disse que será um evento divertido para os fãs, e garantiu que já sabe o que fazer, e o que o atual campeão da categoria poderia esperar:
- Imagine eu e Jon Jones nos enfrentando no octógono. Será sensacional, porque ele sabe que eu o colocarei com as costas no chão. Tem que ser agora, porque já tenho 33 anos de idade. Faço aniversário em março e meu tempo está quase acabando. Essa pode ser a última grande chance da minha carreira, e tenho que estar pronto para ela. Daqui a um ano eu posso começar a curva descendente, e preciso de um desafio de alto nível - disse Cormier.

Nenhum comentário: