Royler Gracie quer nocaute rápido de Anderson e admira evolução do UFC

Irmão do criador e do primeiro campeão do UItimate, lenda do jiu-jítsu comemora novo status do MMA e torce para Spider 'espancar' Sonnen.

 

                                Fabrício Morango posa com Royler Gracie no MGM Grand


Lenda do jiu-jítsu e do MMA, o brasileiro Royler Gracie está em Las Vegas para acompanhar seu faixa-preta Fabrício "Morango" Camões, que enfrenta Melvin Guillard no UFC 148 deste sábado, mas também para ver a "luta do século" entre o compatriota Anderson Silva e o americano Chael Sonnen. Irmão do criador do Ultimate, Rorion Gracie, e de seu primeiro campeão, Royce Gracie, o ex-lutador se admira com o crescimento do esporte e quer ver seu principal astro no Brasil calar a boca do falastrão, que insultou o campeão dos pesos-médios e seu país nos últimos anos.
- Sou Anderson desde criancinha. Quanto mais rápido melhor! Para mim, tem que acabar logo com ele. Quero um nocaute bem dado - afirmou Royler.
O ex-lutador do Pride e heptacampeão mundial de jiu-jítsu foi responsável pela formação de Morango na "arte suave" e o acompanhou durante o mês inteiro na filial de sua academia em San Diego, na Victory MMA. Royler está confiante no desempenho do amigo no UFC e vai estar em seu córner no sábado à noite, mas também está muito interessado na "luta do século".
- Morango está bem em pé, está bem no chão, está muito focado. Vim para ficar no córner dele, mas também para ver a luta do Anderson. Quero ver o Anderson espancar esse cara, meu irmão! Não tem jeito! É uma pessoa que desrespeita. Todo atleta tem que respeitar o outro, senão é horrível. Apesar de ser 4 de julho, a maior festa dos Estados Unidos, acho que é Anderson, não tem conversa.
Apesar de jamais ter lutado no evento criado por seu irmão Rorion, Royler fica encantado ao reparar na diferença entre a 148ª edição numerada do UFC e a primeira, vencida por Royce Gracie em 1993, quando o esporte ainda engatinhava e era visto como "espetáculo bárbaro". Anderson Silva hoje é um dos maiores ídolos esportivos do Brasil e do mundo e o MMA está presente na programação da TV aberta.
- Voce vê uma árvore que deu frutos e continua dando. Foi um momento único do Royce, ter participado das primeiras edições, e do Rorion por ter plantado a semente e criado o UFC. As coisas mudaram no Brasil e no mundo. O MMA é respeitado e existe um status de celebridade. É legal para caramba, era isso que meu pai e todos os irmãos almejaram para o esporte - sorriu Royler, filho de Hélio Gracie e sobrinho de Carlos Gracie, criadores do jiu-jítsu.

Nenhum comentário: