Tito Ortiz detona uso terapêutico de testosterona por lutadores do UFC

Lutador foi derrotado na sua despedida dos octógonos por Forrest Griffin, que fez uso de TRT antes de enfrentá-lo, no UFC 148, em Las Vegas.

 

 

Tito Ortiz não engoliu a derrota para Forrest Griffin, em sua luta de despedida, no UFC 148, realizado em Las Vegas, no último dia oito. O novo integrante do "Hall da Fama" do UFC perdeu por decisão unânime dos juízes, num resultado bastante controverso, que rendeu até vaias do público presente ao MGM Grand. Mas a ira do agora aposentado Tito veio após a revelação de que Griffin fez uso terapêutico de testosterona (TRT).
No Twitter, Tito chegou a chamar Forrest de trapaceiro. Na segunda-feira, o lutador esteve num programa de TV nos Estados Unidos e falou sobre o episódio. Ele falou sobre uma possível "epidemia" de lutadores fazendo uso do TRT.
- Durante meus 15 anos de carreira, competi de forma limpa e uniforme. Por que subitamente, outros lutadores podem competir com índices de testosterona até seis vezes acima do de uma pessoa normal? Estamos passando uma mensagem errada para os fãs e futuros lutadores. Eles verão que se não forem capazes de treinar no máximo que puderem, poderão compensar isto de outra forma, sem tanto esforço - afirmou Tito.
O lutador cita o índice de testosterona seis vezes acima do normal, que é o nível aceito (6:1) pela Comissão Atlética de Nevada (NSAC). A Agência Mundial Antidoping (WADA) tolera uma proporção de até 4:1, e os índices do hormônio numa pessoa normal é de 1:1.
Questionado se o TRT poderia prolongar sua carreira, Tito Ortiz concorda, mas admite que não gostaria de competir desta maneira.


                Ortiz perdeu em sua despedida do UFC para Griffin, que fez uso da terapia

- Já passei por cirurgias de grande porte. Se eu usasse este tipo de terapia, talvez ainda estivesse lutando, mas seria uma desculpa, uma fraqueza. Se não posso lutar em igualdade de condições com meus adversários, é hora de me afastar dos octógonos. E foi isto que eu fiz, já que meu corpo não é mais o mesmo de antes.
Tito encerrou a carreira com dezesseis vitórias e onze derrotas no cartel, com um empate. O lutador é o recordista em tempo de luta, no UFC, com 5h00m53s no octógono do maior evento de MMA do planeta.

 

Nenhum comentário: