Tânia Medeiros atleta Body Fitness conta tudo sobre sua carreira e preparação com Braulio Colmanetti


Nome completo: Tânia Medeiros

Natural: São Paulo e criada no Rio de Janeiro

Idade: 45 anos


A quanto tempo pratica musculação? e como começou a competir?

Eu pratico musculação desde dos meus 15 anos e comecei dentro da heavv duthy  onde  já treinava atletas como Marcelo Pelai, Lucia e foi ali que eu fui aprendendo a treinar entre outros conhecimentos práticos do fisiculturismo e fui me apaixonando por esse esporte.


Como foram suas conquistas na categoria Welness na IFBB?

Foi bem difícil, porque eu já comecei a competir tarde com 40 anos e você pensa que nunca vai conseguir evoluir e isso pra mim é o meu maior desafio. Evoluir sempre e mostrar p essa galera toda que quando queremos, temos determinação, disciplina  tudo podemos. Em 2008 foram 5 campeonatos tentando provar  p mim mesma que em cada um deles eu ia ser melhor do que antes.


Porque resolveu mudar para categoria Body Fitness e quem foi responsável como treinador por sua preparação para estréia de cara já em um Campeonato Brasileiro?

Estreiando 3º colocada Campeonato Brasileiro 2009
Eu tive que mudar do wellness  para o body fitness porque eu já estava com mais volume e saindo do padrão exigido para a categoria , então não tive escolha tive que subir de categoria o que pra mim, foi fantástico, Sinal que tudo estava dando certo como eu queria.E quem me preparou e me acompanhou na minha estreia no body foi o Prof.  Braulio Colmantti lógico que eu não espera logo de cara um brasileiro,mas deu certo e eu e meu treinador  fomos muito felizes e mais uma etapa realizada.


Como foi ser assessorado on-line e a distancia conte como foi esta experiência, se era através de telefonemas, chats? conte mais e você acha que isso o ajudou ficar entre as três melhores do campeonato Brasileiro em sua categoria?
Isso  que eu digo que não foi fácil,porque o atleta tem que confiar muito no treinador e ele no atleta!A dedicação do atleta parece ser em dobro! Eu e meu treinador usávamos MSN, web cam e ele tinha olho clinico e me dizia sua pele ainda esta grossa .. Ai vinha mais escadarias esteiras, mais planilhas com alteração de nutrientes da dieta , eu tirava fotografia

ENTREVISTA EM VÍDEO COM ROGÉRIO CAMÕES PREPARADOR FÍSICO DO ANDERSON SILVA E CONSULTOR TÉCNICO INTEGRALMÉDICA


"Te passo como subir os degraus... pois a vida não é repleta de elevadores..."


 


Chael Sonnen volta a cutucar Jon Jones em folheto de sua pizzaria

Pizza Especial Jon Jones' tem muito frango, e propaganda avisa: 'Peça esta oferta antes que o frango corra e tenhamos que cancelar'.

 


 



A criatividade de Chael Sonnen para provocar seus desafetos não conhece limites. Após inúmeras provocações nos últimos dias, o falastrão se aproveitou da polêmica recusa de Jon Jones em enfrentá-lo no UFC 151 para criar uma promoção especial em sua pizzaria em West Linn, EUA.

Um folheto da Mean Street Pizza, restaurante de Sonnen em sua cidade natal, saiu repleto de cutucadas ao atual campeão dos pesos-meio-pesados. O restaurante oferece a "Pizza Especial Jon Jones", que viria recheada de "frango" (que, na gíria americana, se equivale a "covarde") e cheia de "queijo" (que, também na gíria dos EUA, é sinônimo de "dinheiro"). O aviso de entrega em domicílio tem uma legenda: "evite dirigir embriagado", numa referência à prisão de Jones em maio - a promoção também oferece uma caixa de seis cervejas. No final do folheto, uma advertência para o cliente pedir a oferta "agora, antes que nosso frango corra e tenhamos de cancelar", numa piada com o cancelamento do UFC 151.
A brincadeira, descoberta pelo site americano "TMZ", é só mais uma das inúmeras provocações de Sonnen a Jones. Os dois já vinham trocando farpas pela imprensa e pelo Twitter nas últimas semanas, mas o ex-peso-médio ganhou ainda mais motivo para falar após ser recusado pelo campeão como adversário no próximo sábado, em substituição ao lesionado Dan Henderson, em sua quarta defesa de cinturão. Jones alegou ter pouco tempo para se adaptar ao novo desafio, e a organização, sem um evento principal capaz de vender muitos pacotes de pay per view, optou por cancelar o UFC 151.
Desde então, Sonnen vem atacando Jones ainda mais, sempre com muita ironia. Na noite de sexta-feira, ele também inventou um "comunicado oficial" do campeão cedendo o cinturão da categoria para o falastrão. Jones, todavia, defende seu título no UFC 152, em 22 de setembro, contra o brasileiro Vitor Belfort.

Técnico de Jones insinua que Sonnen sabia de lesão e estava treinando

Mike Winkeljohn compara provocações do falastrão ao campeão peso-meio-pesado a ataques dos japoneses a Pearl Harbor durante Segunda Guerra.

 

                    Mike Winkeljohn (dir.) ao lado de Greg Jackson (e.) e Jon Jones


Após Greg Jackson explicar por que orientou Jon Jones a recusar a luta com Chael Sonnen, o outro treinador do campeão peso-meio-pesado do UFC, Mike Winkeljohn, foi a público defender seu pupilo neste domingo. "Wink", que também trabalha, entre outros, com o brasileiro Diego Brandão, insinuou que Sonnen já sabia da lesão de Dan Henderson e começou a provocar e treinar para enfrentar Jones semanas antes da polêmica recusa do campeão na última quinta-feira.
Winkeljohn comparou os ataques de Sonnen aos dos japoneses à base americana de Pearl Harbor durante a Segunda Guerra Mundial, na década de 1940. Segundo ele, o falastrão estava treinando para pegar Jones de surpresa e teria começado as provocações para vender uma possível luta entre os dois.
- Chael Sonnen é um cara esperto, com preparo físico para dias. Ele tem quedas incansáveis e é um lutador muito diferente que Dan Henderson. Há quanto tempo Chael vem atacando Jon na mídia? Hmm. Ele é um homem conhecido por esquemas para ganhar dinheiro e por trapacear distorcendo as regras. E ele fez isso em várias arenas. Acho que Chael enganou quase todo mundo. Mas acredito que, como um covarde, ele tentou treinar para atacar Jon quando Jon não estivesse olhando. Mas ei, Jon é um guerreiro, e ele - aliás, nós - vimos isso vindo. Tudo o que posso dizer a Chael é: boa tentativa.
O treinador disse não saber se um duelo com Sonnen no UFC 152 foi oferecido, mas que, se fosse, Jones aceitaria. Winkeljohn admitiu estar agora motivado para um duelo entre seu pupilo e o falastrão.
- Jon x Sonnen, sem ataques surpresa como Pearl Harbor. Essa é a luta que quero ver. Jon vai vencer a guerra, e acho que o UFC deveria capitalizar nisso. Não há nada mais que queremos mais do que isso - afirmou Winkeljohn.

 

Para Anderson Silva, Jon Jones poderia ter enfrentado Chael Sonnen

Campeão dos pesos-médios diz no 'Domingão do Faustão' que se ofereceu a lutar no lugar de Jones por solidariedade aos atletas do resto do evento.

 


 


O campeão dos pesos-médios do Ultimate, Anderson Silva, participou do programa "Domingão do Faustão", da TV Globo, neste domingo. Ao responder as perguntas da plateia, o Spider comentou o cancelamento do UFC 151 e a recusa de Jon Jones em enfrentar Chael Sonnen no lugar do lesionado Dan Henderson. Sem condenar o amigo campeão dos pesos-meio-pesados, o atleta do Corinthians reconheceu que "Bones" poderia aceitar o desafio, apesar de dizer que mudar de oponente com pouco tempo de sobreaviso não é simples.
- Você tem toda uma preparação para lutar com determinado atleta. Quando muda, muda um pouco. Achei que ele poderia ter lutado com o Chael, mas é uma opção que ele tem também. Ele se preparou para lutar com o Dan Henderson. A equipe toda dele achou que era melhor ele não lutar - explicou.
Spider ainda confirmou que se ofereceu para fazer uma luta na categoria de Jones, desde que tivesse um adversário que também não estivesse treinado, para tentar salvar o UFC 151, que acabou cancelado, sem um evento principal capaz de vender pacotes de pay per view.








- Quando eu soube da notícia, liguei para o Dana (White, presidente do UFC) e disse que lutaria na categoria de cima contra alguém que também não estivesse treinado. Além da grande luta, tem muitos outros lutadores que dependem disso. Eu me preocupei com isso, porque já vivi essa situação em eventos menores - contou.
Anderson ainda foi perguntado se as declarações de Sonnen sobre as mulheres brasileiras o motivaram para a luta do UFC 148, em julho, quando o nocauteou no segundo round. Ele aproveitou para dar uma cutucada no desafeto.
- Ele foi infeliz e desrespeitoso, tinha que respeitar o esporte. Mas fizemos o que tinha de fazer, né. Ele não recebeu educação dos pais dele, então os brasileiros foram lá educá-lo! - disse Spider.
O campeão dos pesos-médios recebeu homenagem em vídeo de celebridades brasileiras como Ivete Sangallo, Tony Ramos e Pelé. No depoimento deste último, se emocionou e não conseguiu segurar as lágrimas. Mais tarde, no quadro "Arquivo Confidencial", voltou a chorar ao ouvir a entrevista de sua mãe, Vera Lúcia, sobre as dificuldades para criá-lo.




 

Pai de Wanderlei Silva morre em acidente de carro no Paraná

Lutador agradece ao apoio dos fãs e amigos no Twitter e pede orações.

 

                                       Holando Pinheiro da Silva, pai de Wanderlei Silva


O pai do lutador Wanderlei Silva, Holando Pinheiro da Silva, morreu neste domingo, no Paraná. Holando foi vítima de um acidente de carro na região do Castro, onde morava.
A rádio "BandNews" foi a primeira a noticiar o falecimento. O corpo de Holando foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais.
Wanderlei Silva foi notificado da morte do pai através de seus familiares e vai para o Paraná nesta segunda-feira - o ex-campeão do Pride reside atualmente em Las Vegas, EUA. Através do Twitter, o lutador agradeceu às mensagens de apoio que está recebendo de seus fãs e amigos.
- Obrigado pela força, meus irmãos. Por favor, orem pela nossa família. Momento bem difícil, mas ainda bem que teremos o suporte de Deus - escreveu Wanderlei.

 

Felipe Bragança, diretor executivo da Integralmédica, revela as metas da marca revelação de 2012

Felipe Bragança, diretor executivo da Integralmédica, revela as metas da marca revelação de 2012, segundo a Revista Suplementação e promete 17 novos produtos até o final do ano.


Entenda como foi a quinta-feira que entrou para a história do MMA

Dia teve três mudanças de adversários, dois anúncios de disputa de cinturão, alteração de programações e evento cancelado de forma inédita.

 



Um dos dias mais confusos da história do MMA, a última quinta-feira entrou para a história como sendo a data em que, pela primeira vez, um evento inteiro do UFC foi cancelado após não se chegar a um acordo sobre qual seria a sua luta principal. E não foi só isso. Informações desencontradas, suspense, dois anúncios de disputa do mesmo cinturão com desafiantes diferentes, alterações em cards de duas outras edições do UFC, e um Dana White descontrolado em uma das mais polêmicas coletivas de imprensa de todos os tempos.

Confira a linha de acontecimentos e entenda a história do "dia que não acabou" do UFC:
4h30m - Começam a surgir rumores de que Dan Henderson, que seria o desafiante de Jon Jones na disputa do cinturão dos meio-pesados no UFC 151, teria lesionado o joelho e estaria fora do evento. Especulações sobre possíveis adversários davam conta de que Chael Sonnen poderia ser o novo rival de Jon Jones.
8h30m - Os rumores sobre Sonnen ter aceitado lutar contra Jon Jones, e o campeão ter recusado, crescem.
10h - Postagens nos Twitters de lutadores e jornalistas americanos indicam que Jon Jones teria aceitado enfrentar Sonnen, e que o anúncio oficial seria feito em poucas horas.
13h - Jon Jones teria avisado a Dana White que aceitaria lutar contra Chael Sonnen.

13h30m - Dana White convoca uma coletiva de imprensa com urgência, para falar sobre decisões relativas ao UFC 151
14h - Jon Jones teria voltado atrás e informado a Dana White sua desistência em enfrentar Chael Sonnen no UFC 151. O dirigente teria ficado indignado, e tentado convencer o campeão a mudar de ideia. Em vão.
14h15m - Anderson Silva, Vitor Belfort e outros lutadores mandam mensagens a Dana White se colocando à disposição para lutar, e evitar o cancelamento do evento. Anderson faz apenas um pedido: não lutar contra Jon Jones. O Spider aceitaria enfrentar qualquer outro meio-pesado no evento. Belfort se coloca à disposição, inclusive para enfrentar Jones no dia 1 de setembro.
14h30m - Chael Sonnen posta em seu Twitter uma espécie de desafio a Jon Jones, dizendo que era chegada a hora dele mostrar se era um campeão ou um covarde, e garantindo que lhe daria sua bolsa, caso ele aceitasse o duelo.
14h55m - Sonnen posta novamente no Twitter, desta vez apenas uma frase: "Tempo esgotado".
15h - Dana White inicia a entrevista coletiva confirmando que Dan Henderson lesionou-se no joelho, e revelando que Jon Jones não aceitou lutar contra Chael Sonnen em 1 de setembro. Por isso, o UFC 151 estava oficialmente cancelado. Irritado, o presidente do UFC dirigiu xingamentos a Greg Jackson, treinador de Jones, e disse ser inaceitável que um campeão como Jones recuse uma luta contra Chael Sonnen. Dana White também revela que a defesa do cinturão dos meio-pesados acontecerá dia 22 de setembro, em Toronto, no Canadá, e Lyoto Machida seria o adversário de Jon Jones.
15h15m - Começam a surgir protestos de lutadores e fãs nas redes sociais. Atletas que estariam no card do UFC 151 recriminam Jon Jones por não ter aceitado enfrentar Chael Sonnen.


 

16h - Pôsteres com as fotos de Jon Jones e Lyoto Machida começam a ser produzidos, e as fotos de Jones e Machida já ilustravam o site oficial do UFC, anunciando a luta principal do UFC 152, dia 22 de setembro, em Toronto.
18h - Algumas lutas que estavam no card do UFC 151 começam a ser reposicionadas nos eventos seguintes.
23h - Lyoto Machida avisa a Dana White que recusa a luta contra Jon Jones, por não ter tempo suficiente para se preparar para ela.
1h - Dana White entra em contato com Vitor Belfort, que aceita a luta contra Jon Jones pelo cinturão dos meio-pesados em 22 de setembro.
2h - Dana White entra em contato com Jon Jones, que aceita lutar contra Vitor Belfort pelo cinturão.
3h - É anunciada oficialmente a substituição de Lyoto Machida por Vitor Belfort no evento principal do UFC 152.

 

Sonnen detona Jon Jones por recusa e ironiza slogan de patrocinador

Falastrão chama campeão meio-pesado do UFC de 'fedelho convencido' e diz que desafeto perdeu chance única de pegá-lo fora de forma e sem treino.

 


 



Após ser recusado por Jon Jones como substituto de Dan Henderson no UFC 151, Chael Sonnen voltou a ser o lutador mais procurado pela imprensa americana, em busca do seu lado da história - obviamente, também atrás de uma boa dose de polêmica. Enquanto o campeão dos pesos-meio-pesados segue em silêncio após a controversa decisão, que resultou no cancelamento do evento, Sonnen está dando entrevistas a todos os veículos que o procuram e, como de costume, ironizando o novo desafeto.

Na noite desta quinta-feira, em um de seus ataques, Sonnen lembrou da detenção de Jones por dirigir embriagado.
- Simplesmente não sei por que ele não quer me enfrentar no próximo sábado. O que mais ele tem para fazer no sábado? Tem alguma degustação de vinho numa pista de corrida local ou alguma coisa que não ouvi? Não sei. Não sei qual é o problema. Talvez Dana (White, presidente do UFC) não tenha tornado claro o suficiente que ele botaria Jon Jones num voo, talvez Jones achou que tinha de dirigir... - declarou Sonnen em entrevista ao canal de TV americano "ESPN".
Em seguida, fez piada com o slogan da empresa de material esportivo que recentemente anunciou "Bones" como seu novo contratado.
- Jon Jones tem sua própria maneira de fazer as coisas. O cara é um fedelho convencido, e quando você fica desse jeito, é cercado por pessoas que te dizem essas coisas. Você não pensa em mais ninguém além de você mesmo. Agora ele está com a Nike, e com o Jon Jones eles vão ter de mudar seu slogan para "Apenas não faça nada".
Sonnen não quis saber se seria injusto para Jones enfrentar um novo adversário com pouco mais de uma semana de sobreaviso e comparou a situação do desafeto à de Dan Henderson, seu amigo e companheiro de equipe, que queria continuar no evento mesmo com a lesão no joelho direito que o tirou de ação. Ele também disse que o atual campeão desperdiçou uma chance de pegá-lo desprevenido.
- Eu posso vencer Jon Jones, mas ele pode me vencer também. Esta era sua oportunidade de me pegar com oito dias de antecedência, que vão virar zero dia de antecedência. Tudo o que você faz na última semana é bater o peso e fazer uma turnê de mídia. Eu nunca colocaria o pé na academia. Essa era sua oportunidade de virar a balança em seu favor. Agora, quando eu for bater nele, da próxima vez vou ter um contrato, vou ter 90 dias, vou ter minha preparação normal. Esta seria sua oportunidade de passar pelo maior ícone que este esporte já viu, e ele perdeu, perdeu como um burro - disparou.
Chael Sonnen também lamentou pelos lutadores do UFC 151, que ficaram sem suas bolsas por causa do cancelamento do evento.
- Para os lutadores, vai ser muito difícil. Não são apenas os atletas. Eles têm treinadores, empresários, suas equipes e seus parceiros de sparring, todos eles estão esperando um pagamento. Você tem um efeito dominó no resíduo do seu atleta competindo, e eles vão perder porque um fedelho não teve a coragem de se comprometer - finalizou.

Lyoto recusa luta, e Vitor Belfort vai enfrentar Jon Jones no UFC 152

Lutador carioca deixa card do UFC Rio III, onde iria encarar Alan Belcher, e sobe para os meio-pesados a fim de ganhar a chance de disputar o cinturão.

 


 

 


Mais uma bomba caiu no colo dos fãs de MMA em menos de 24 horas: Vitor Belfort será o novo adversário de Jon Jones no UFC 152. A decisão foi tomada após Lyoto Machida entrar em contato com o Ultimate nesta quinta-feira e recusar enfrentar o americano no dia 22 de setembro, em Toronto, alegando que precisaria de mais tempo para se preparar para a revanche - foi finalizado por Jones no fim do ano passado. Belfort, então, recebeu o convite para subir de categoria e ganhou a chance de disputar o cinturão dos meio-pesados (até 93kg). As informações foram publicadas pelo site americano "MMA Fighting", e Vitor confirmou tudo ao SPORTV.COM.
Vou lutar contra o Jones. Recebi uma ligação do Lorenzo (Fertitta) e do Dana (White) "P" da vida com alguns lutadores que não aceitaram o combate. E, como eu vim da era Carlson Gracie, nem pensei. Aceitei na hora, pois eu não vou amarelar. Estou muito motivado. Estou no início do meu camp, mas minha mente está pronta como nunca, madura, segura e muito alegre de poder enfrentar o segundo campeão mais jovem da história. Como um brasileiro de verdade, como diz o Hino, verás que o filho teu não foge à luta. Essa luta já está assinada por mim. Agradeço todo o carinho dos fãs, pois eu não tenho como controlar o resultado, mas posso controlar minha atitude mediante a ele. Estou confiante e aproveito a oportunidade para deixar um dizer do livro de provérbios 1:33: "Mas quem me ouvir terá segurança, viverá tranquilo e não terá motivo para ter medo de nada". Brasil, vamos nessa! Conto com vocês. - afirmou por e-mail, fazendo referência ao fato de ele próprio ter sido campeão de um torneio peso-pesado do UFC com apenas 19 anos, menos do que os 23 que consagraram Jones no Ultimate.
Antes disso, o dia já havia começado bem agitado. Primeiro, Dana White anunciou o cancelamento do UFC 151, que seria realizado em 1º de setembro, após a lesão de Dan Henderson e a posterior recusa de Jon Jones em lutar contra Chael Sonnen. Por isso o substituto havia passado a ser Lyoto Machida, só que para o UFC 152.
Vitor Belfort, que estava competindo como peso-médio (até 83,9kg) desde 2008, estava escalado para enfrentar Alan Belcher no UFC Rio III, em 13 de outubro. Dana White ainda não decidiu quem irá substituí-lo contra o americano no Brasil. Já em relação a Lyoto, o manda-chuva afirmou que ele agora provavelmente terá de enfrentar mais um lutador top da categoria para chegar à disputa de título.

Spider teria se oferecido para lutar no UFC 151, desde que não contra Jones

Campeão dos médios da entidade mandou uma mensagem para Dana White através de seu empresário, mesmo estando fora da sua melhor forma.

 

A decisão de cancelar o UFC 151 após Jon Jones recusar-se a enfrentar Chael Sonnen na luta principal, já que Dan Henderson, seu oponente original, estava lesionado e sem condições de lutar, por pouco não foi tomada.
Momentos após a direção do UFC decidir pelo cancelamento do torneio, Anderson Silva, através de seu empresário, Ed Soares, enviou uma mensagem a Dana White oferecendo-se para lutar no evento, contra qualquer outro meio-pesado que não Jon Jones, mesmo estando fora da sua melhor forma física. Na mensagem, segundo o site "MMA Fighting", Anderson se comprometia a estar dentro dos 93 kg regulamentares da categoria.
Mesmo não tendo como mudar sua decisão, Dana White teria se surpreendido e agradecido a disposição do Spider em tentar ajudar a salvar o torneio.


Ronys Torres revela lesão no ombro, mas segue confiante para luta no Shooto

No dia 25 de agosto o Shooto Brasil agita o quartel do BOPE, no Rio de Janeiro, com um dos melhores cards do ano em eventos nacionais. Entre os atletas está Ronys Torres, que sustenta uma excelente sequência de dez vitórias em seu cartel. O manauara enfrenta o costarriquenho Asdrubal Alejandro.

Em entrevista ao PVT, Ronys Torres revelou que sofreu uma leve lesão no ombro esta semana, mas nada que o impossibilite de lutar no dia 25. "Fiquei a semana toda sem treinar impacto, sem treinar luta. Essa semana foi só de fisioterapia, fortalecimentos e corrida. Mas tenho muita fé no Deus que eu sirvo, que na próxima semana vou estar de volta aos treinos de luta. Tenho muita fé em Deus que vou chegar bem nessa luta. Eu vinha treinando muito forte, e infelizmente aconteceu isso, mas a peteca não caiu, e vou chegar bem, pode ter certeza", explicou o atleta da Nova União.

Embora resida no Rio de Janeiro, Ronys Torres não se sente totalmente em casa quando luta na cidade maravilhosa, isto se deve pela forte ligação que tem à sua terra natal. "É diferente. Aqui estou no quintal de casa (risos). Casa mesmo é lá em Manacapuru, em Manaus. Lá eu me sinto super bem, tem o calor da torcida, dos amigos, da minha família. É outra parada (risos). Não sei explicar. Eu amo lutar lá".









Pederneiras animado para o Shooto no BOPE






No próximo sábado (25), no Quartel General do Choque, no Rio de Janeiro, Dedé realiza a 33° edição do Shooto Brasil, novamente homenageando a Tropa de Elite da Polícia do Rio, o Batalhão de Operações Especais (BOPE), assim como aconteceu em agosto do ano passado.

As presenças de Dudu Dantas, campeão peso galo do Bellator, e Ronys Torres, ex-UFC, são os destaques do card, que deixou Dedé Pederneiras animado.

“A expectativa está muito boa para o evento, card de bom nível, as lutas prometem. Mas luta é luta. Por vezes, o card não está tão bom, mas as lutas acabam agradando. Espero que a probabilidade de este ser um grande evento se confirme dentro do ringue”, disse em entrevista à TATAME.

CARD COMPLETO (Sujeito a modificações):

Shooto Brasil 33 BOPE
Quartel do Choque, Rio de Janeiro
Sábado, 25 de agosto de 2012

- Dudu Dantas enfrentará Tyson Nam;
- Ronys Torres enfrentará Alejandro Mandarina;
- Pedro Nobre enfrentará Rodolfo Marques;
- Daniel Acácio enfrentará Leandro Batata
- Emiliano Sordi enfrentará Danilo Motoserra;
- Martin Ycaza enfrentará Felix Mau Mau;
- Peter Eduardo Torres enfrentará Fernando;
Juan Pablo Gonzales enfrentará Cristiano;
- Nicolás Ryske enfrentará Juan;
- Cristian Ramon enfrentará Rocha.

Instrutores do Choque lutam no Shooto Brasil 33



Os lutadores da Team Nogueira Juan Costa e Éverton Rocha representarão a academia no Shooto Brasil 33, que será realizado no Quartel General do Choque, no Rio de Janeiro, dia 25 de agosto. Além de atletas de MMA, os dois são instrutores de defesa pessoal do Choque, o que aumenta a responsabilidade para o evento.
Apesar da difícil rotina diária, eles explicaram como conseguem conciliar a vida do batalhão com a de lutador. “Só temos a agradecer ao Coronel Fábio que nos dá a oportunidade de nos dedicarmos exclusivamente ao MMA e levarmos a bandeira do Choque para todos os eventos” – disse Juan Costa, que terá pela frente o argentino Nícolas Ryske.
Desde fevereiro na Team Nogueira, Costa fala sobre a evolução de seu jogo. “Venho me preparando há dois meses e evoluí muito na parte física e técnica. O material humano aqui é fora de série, treino com os melhores” – afirmou campeão brasileiro de Kickboxing, Artes Marciais da Polícia e das Olimpíadas Policiais de jiu-jitsu.
Companheiro de Juan no Choque e na academia, Éverton Rocha irá encarar o também argentino Cristiano Ramon e promete uma vitória incontestável. “Conheço muito pouco do meu adversário, sei que ele vem da luta em pé, mas se bobear, vou nocauteá-lo ainda no primeiro round. Estou confortável para lutar em qualquer área” – concluiu o bicampeão estadual Muay Thai da CBMT.

Rafael dos Anjos enfrenta canadense Mark Bocek no UFC 154, em Montreal

Dirigentes do Ultimate anunciam terceira luta do brasileiro em 2012. Peso-leve busca entrada no top 10 com terceira vitória consecutiva.

 

                        Rafael dos Anjos é o segundo brasileiro confirmado no UFC 154


Rafael dos Anjos vai fazer sua terceira luta em 2012 em novembro, no UFC 154. O lutador brasileiro tenta manter sua sequência de vitórias intacta contra outro lutador que vem de dois triunfos, o canadense Mark Bocek, em Montreal, no dia 17 de novembro.
O combate foi anunciado por dirigentes do UFC nesta segunda-feira. Rafael dos Anjos vem de vitórias convincentes sobre Kamal Shalorus e Anthony Njokuani neste ano, e tem três triunfos e apenas uma derrota em suas últimas quatro lutas - o revés foi contra o também brasileiro Gleison Tibau, em 2011.
Tanto Rafael quanto Bocek estão tentando entrar no Top 10 da categoria peso-leve. O canadense também contabiliza dois triunfos consecutivos, contra John Alessio e Nik Lentz. Natural de Toronto, ele já lutou em Montreal há dois anos, quando finalizou Dustin Hazelett, antes de ser derrotado pelo atual campeão Benson Henderson no UFC 129, em abril de 2011.
Rafael dos Anjos é o segundo brasileiro confirmado no card do UFC 154. O outro é Rodrigo Damm, que enfrenta outro canadense, Antonio "Pato" Carvalho.

Confira o card atualizado do UFC 154:

UFC 154

17 de novembro de 2012, em Montreal (CAN)

CARD PRINCIPAL*

Georges St-Pierre x Carlos Condit**
Martin Kampmann x Johny Hendricks**
Mark Hominick x Pablo Garza
Francis Carmont x Tom Lawlor
Rodrigo Damm x Antonio Carvalho
Rafael dos Anjos x Mark Bocek

* A ordem dos combates ainda não está definida oficialmente
** Os combates ainda não foram anunciados oficialmente

 

Dan Henderson responde provocação de Jon Jones: 'Amo ser o azarão'

Desafiante do meio-pesado gosta da ideia de ver campeão buscando nocaute como prometera: 'Significa que vai vir atrás de mim e não terei de persegui-lo'.

 

                      Dan Henderson já realizou 37 lutas como profissional de MMA

O duelo entre Jon Jones e Dan Henderson, marcado para o dia 1º de setembro, em Las Vegas, no UFC 151, vinha sendo promovido sem provocações de ambas as partes. Isso até Jones aparecer em um vídeo divulgado pelo Ultimate nesta semana prometendo ser o primeiro lutador a nocautear o experiente rival de 41 anos e 37 lutas no currículo. O campeão do peso-meio-pesado também disse que o famoso overhand de direita de Hendo não tem nada de diferente do que ele já tenha visto por aí. O ex-campeão do Pride gostou de ouvir as declarações do rival.
- (Minha mão direita) deve ser um truque muito bom. Ela me manteve no esporte por todo esse tempo, e as pessoas continuam querendo ver isso. Mas (o segredo) está mais no posicionamento. Ele (Jones) vai me nocautear? Eu adoraria que ele tentasse. Isso significa que vai atrás de mim e eu não terei de persegui-lo... Um dos maiores bens que tenho é a minha experiência, meu tempo (de aplicar os golpes), minha trocação, minhas quedas e a capacidade de misturar isso tudo. Amo ser o azarão. Gosto de ser um pouco contestado. Preciso provar que as pessoas estão erradas. Isso acrescenta combustível ao meu fogo e me motiva. Eu me sinto em casa quando estou lutando - disse Hendo ao site "BJPenn.com".

E se Jon Jones prometeu ser o primeiro a nocauteá-lo, Dan Henderson também vê no jogo do rival a chance de quebrar um tabu e conseguir uma queda no campeão, algo também inédito na carreira de Jones.
- Jon é mais alto, tem mais envergadura e dá problemas no clinch. Mas ele vai me dar a oportunidade de colocá-lo nas costas (no chão).
O duelo entre Jon Jones e Dan Henderson será a atração principal do UFC 151, que ocorre em Las Vegas, no dia 1º de setembro. O evento será transmitido ao vivo pelo canal SPORTV.

CARD PRINCIPAL

Jon Jones x Dan Henderson
Jake Ellenberger x Jay Hieron
Dennis Siver x Eddie Yagin
Dennis Hallman x Thiago Tavares
John Lineker x Yasuhiro Urushitani
Michael Johnson x Danny Castillo

CARD PRELIMINAR

Takeya Mizugaki x Jeff Hougland
Tim Means x Abel Trujillo
Daron Cruickshank x Henry Martinez
Shane Roller x Jacob Volkmann
Kyle Noke x Charlie Brenneman

 

Chael Sonnen muda alvo e bate boca com Jon Jones em rede social

Campeão meio-pesado rebate declarações do último desafiante dos médios.

 

                            Chael Sonnen (esq.) agora é da categoria de Jon Jones (dir.)


Ao que tudo indica, o peso-médio definitivamente faz parte do passado para Chael Sonnen. Depois de provocar inúmeras vezes Anderson Silva, lutar contra o brasileiro e ser derrotado, o americano anunciou na noite desta terça-feira que vai se mudar para o peso-meio-pesado e lutar diante de Forrest Griffin no fim do ano. Entretanto, o campeão da categoria é Jon Jones, e parece que Sonnen já iniciou os trabalhos para chamar a atenção da jovem estrela do Ultimate.
Jon Jones não gostou de uma entrevista em que Chael Sonnen chamou o campeão meio-pesado de "bundão". Jones decidiu responder e atacou Sonnen via Twitter na tarde desta quarta-feira.
- As coisas que você diz sobre mim absolutamente não têm peso algum. Você desrespeitou Anderson e seu país, mas lutou como uma criança. Se você vai me desrespeitar, pelo menos me desrespeite cara a cara, como um homem. Você me chamou de bundão, eu sou mais homem do que você - escreveu Jones.
A partir daí, começou a troca de mensagens entre ambos. Sonnen respondeu com uma provocação:
- Oh, eu planejo isso também. Quanto tempo seus pais demoraram para escolher seu nome, JON JONES? Criativo.
- Cara, não vale perder tempo com você. Ganhe a chance de disputar o título ao invés de falar e vou ficar feliz em te machucar - retrucou Jones.
- Da próxima vez que vier a Oregon, bata na minha porta. Não dirija - emendou Sonnen, se referindo ao episódio em que Jones foi preso por dirigir bêbado.
- Você é um idiota se acha que eu não ouvi todas essas piadas no livro. Eu aplaudo os originais - encerrou Jones.
Esta não foi a primeira vez que Chael Sonnen virou sua mira para Jon Jones. No fim do ano passado, quando não havia muita perspectiva de que ele iria lutar contra Anderson Silva em pouco tempo, Sonnen disse que queria enfrentar qualquer outro campeão próximo à categoria dele: Jon Jones, Junior Cigano ou Georges St-Pierre. Na época, Jones respondeu dizendo que o então peso-médio sabia onde poderia encontrá-lo.

Agente de Jones ataca Chael: 'Melhor com a boca do que com os punhos'

A discussão entre Jon Jones e Chael Sonnen ainda promete muito pano para manga. Após subir para a categoria dos meio-pesados (até 93kg), o ex-peso-médio (até 83,9kg) iniciou sua já tradicional estratégia de provocações para conseguir uma luta pelo título, desta vez contra Jon Jones. Chamou-o de "bundão" e disse que tomaria seu cinturão como se estivesse tirando um doce de uma criança. Jones retrucou e chamou Sonnen de idiota, dizendo que não valia a pena perder tempo com ele e que ficaria feliz em machucá-lo caso o rival chegue à disputa de título.
O empresário de Jon Jones, Malki Kawa, entrou no meio da polêmica e afirmou que seu cliente jamais vai recusar uma luta, mas que Sonnen tem de mostrar trabalho antes de começar a desafiar o atual campeão.
- Neste momento temos Dan Henderson pela frente, um lutador que mereceu a chance de competir pelo cinturão e encarar o melhor peso-por-peso do mundo. Chael deveria se ater ao seu trabalho. Ele parece ser melhor com a boca do que é com os punhos. Jones vai enfrentar qualquer um que o UFC coloque na frente, mas Chael precisa focar em vencer algumas lutas de 93kg antes de começar a desafiar o campeão.
No Twitter, Jones recebeu algumas mensagens de preocupação de seus fãs e garantiu que eles podem ficar tranquilos quanto à sua postura:
- Para todos aqueles que pensam que estou caindo no jogo do Chael, eu sei exatamente o que estou fazendo. Vocês não estão entretidos?
Antes de pensarem um no outro, Jones e Sonnen têm desafios pela frente. O primeiro vai tentar defender o cinturão dos meio-pesados pela quarta vez diante de Dan Henderson no UFC 151, no primeiro dia de setembro, enquanto o segundo encara Forrest Griffin no UFC 155, em 29 de dezembro, em seu retorno à essa categoria após duas derrotas para Anderson Silva em disputas de título dos médios.

 


 

UFC confirma lutas de Sonnen, Griffin, Shogun, Bendo e Diaz para dezembro

Ultimate vai reservar dois grandes eventos para o último mês do ano.

 

          Maurício Shogun vai fazer o coevento principal contra Alexander Gustafsson


Através de seu Twitter oficial, o UFC confirmou oficialmente na tarde desta quarta-feira quatro lutas para mês de dezembro: Ben Henderson x Nate Diaz, Mauricio Shogun x Alexander Gustafsson e BJ Penn x Rory MacDonald estão agendadas para o dia 8 de dezembro, em local ainda a ser divulgado. Já Chael Sonnen vai mesmo enfrentar Forrest Griffin no UFC 155, no dia 29 de dezembro, como o próprio Sonnen anunciara nesta terça. No mesmo dia, Junior Cigano deve enfrentar Cain Velasquez - este duelo ainda não divulgado de forma oficial.
Shogun vem de vitória sobre Brandon Vera no dia 4 de agosto e terá uma grande meta pela frente, assim como seu adversário, a promessa sueca de 25 anos Alexander Gustafsson, que venceu os últimos cinco combates. Espera-se que o vencedor do duelo conquiste uma chance de disputar o cinturão até 93kg contra quem sair de Jon Jones ou Dan Henderson (que ocorre em 1º de setembro) x Lyoto Machida (próximo da lista de desafiantes ao título).
Nos leves, Ben Henderson vem de uma defesa de cinturão no último sábado, contra Frankie Edgar. A luta, muito equilibrada, teve o resultado contestado (decisão dividida dos jurados a favor de Bendo) por muita gente do ramo. O desafiante, Nate Diaz, vem de três grandes triunfos, sobre Takanori Gomi, Donald Cerrone e Jim Miller.
Entre os meio-médios, Rory MacDonald está em pleno crescimento. Com só 23 anos, vem de três vitórias seguidas e conseguiu tirar o veterano BJ Penn da aposentadoria, uma vez que o americano quis voltar a lutar só após ter sido desafiado pelo canadense. A fase, no entanto, não é das melhores para BJ: ele só venceu uma das últimas cinco lutas.
Por fim, Chael Sonnen vem de derrota na disputa de cinturão do peso-médio para Anderson Silva. O lutadr vai voltar para o peso-meio-pesado, onde não atua desde 2006. Já Forrest Griffin, vencedor da primeira edição do TUF, foi campeão da categoria no UFC e vem de três vitórias nas últimas quatro lutas. Na sua última apresentação, triunfou diante de Tito Ortiz em uma decisão polêmica dos jurados.
 
UFC: Henderson x Diaz

8 de dezembro de 2012, em local a ser divulgado
 
CARD PRINCIPAL*
Ben Henderson x Nate Diaz
Mauricio Shogun x Alexander Gustafsson
BJ Penn x Rory MacDonald
 
UFC 155

29 de dezembro de 2012, em Las Vegas (EUA)
 
CARD PRINCIPAL*
Junior Cigano x Cain Velasquez**
Forrest Griffin x Chael Sonnen
* A ordem dos combates ainda não está definida oficialmente
** O combate ainda não foi anunciado oficialmente

 

Autópsia inicial em lutador que morreu após combate é inconclusiva

Infelizmente, isso vai continuar a ser um mistério muito triste neste momento', diz legista que examinou o corpo de Tyrone Mimms.

 

              Tyrone Mimms (direita) na pesagem antes da luta contra Blake Poore


A informação inicial de que o lutador de MMA amador Tyrone Mimms morreu na noite de sábado por causa de um ataque cardíaco não foi confirmada pela autópsia inicial. O corpo de Mimms foi examinado pelo legista Rae Wooten, que não conseguiu identificar a causa da morte.
- Eu simplesmente não tenho uma resposta definitiva neste momento. Infelizmente, isso vai continuar a ser um mistério muito triste neste momento - declarou Wooten ao "The Post and Courier".
As autoridades locais terão de fazer outros testes para identificar o que levou Tyrone Mimms à morte. Tecidos, sangue e até células do lutador serão examinados.
Tyrone Mimms passou mal após perder uma luta para Blake Poore, o segundo do card do Conflict MMA, ainda no vestiário do Omar Shrine Center, em Mt. Pleasant, nos Estados Unidos. O atleta foi levado já inconsciente para o Medical University Hospital, onde foi declarado morto às 22h27 deste sábado (horário de Brasília).


 

Wanderlei Silva quer lutar na China: 'Minha vontade é muito grande'

Ídolo no Japão desde os tempos do extinto Pride, lutador ressalta também o carinho do povo brasileiro. Adversário deve ser o canadense Patrick Côté.

 


 


Wanderlei Silva admitiu em entrevista recente ao SPORTV.COM que está sendo cogitada a luta entre ele e o canadense Patrick Côté para o UFC China, em 10 de novembro. Ex-campeão do Pride, extinto evento japonês, o brasileiro conquistou uma legião de fãs na Ásia e, por isso, tem o desejo de atuar novamente por lá. O evento na cidade de Macau será o primeiro do UFC na China.
- Minha vontade é muito grande. Tenho também o sonho de voltar a me apresentar no Japão. Ainda não tem nada decidido, são apenas especulações - disse Wanderlei.
Apesar de muito assediado na época do Japão, o "Cachorro Louco" ficou impressionado com o carinho que recebeu do público no UFC 147, em Belo Horizonte, realizado no dia 23 de junho. Na ocasião, ele fez a luta principal do evento e foi derrotado pelo americano Rich Franklin.
- Cada povo tem sua forma de demonstrar carinho, mas igual o povo brasileiro é difícil de ver.
Aos 36 anos, Wanderlei ainda não pensa na aposentadoria, uma vez que diz estar se sentindo bem consigo mesmo, e não quer fazer previsão de quantas lutas mais ainda fará na carreira. Se confirmado no UFC China, ele será o segundo brasileiro no card. O primeiro nome certo foi Paulo Thiago, que enfrenta o sul-coreano Dong Hyun Kim, conforme antecipou o SPORTV.COM.

 

Jon Jones, sobre as qualidades de Hendo: 'Nada que já não tenha visto'

Todo mundo está falando do poder de nocaute do Dan Henderson. Pode ser um nocaute com um soco para mim desta vez', afirma o atual campeão.

 


Rashad Evans, Lyoto Machida, Mauricio Shogun e Rampage Jackson já estiveram no mesmo octógono que Jon Jones, e todos saíram de lá com o mesmo semblante, o de decepção. Prestes a defender pela quarta vez o cinturão dos meio-pesados, o atual campeão da categoria terá pela frente o veterano Dan Henderson, dono de um currículo vitorioso bem mais extenso. Shogun, Fedor Emelianenko, Rafael Feijão, Michael Bisping, Rich Franklin, Wanderlei Silva, Vitor Belfort e Rodrigo Minotauro foram algumas das vítimas de Hendo. Mas as qualidades do quarentão (ele tem 41 anos) não chegam a preocupar Jones.
- Não chamo de problemas. São mais como desafios para encarar, coisas que te deixam empolgado. Para ser honesto, ele tem um bom overhand de direita, um bom gancho de esquerda, wrestling forte, mas nada que eu já não tenha visto antes - disse ao "MMA Weekly".
Henderson conquistou 13 das 29 vitórias da carreira por nocaute e tem mão direita conhecida no MMA como a "Bomba H". Mais uma vez, nada que impressione o dono do cinturão:
- Todo mundo está falando do poder de nocaute do Dan Henderson. Pode ser um nocaute com um soco para mim desta vez.
O duelo entre Jon Jones e Dan Henderson será a atração principal do UFC 151, que ocorre em Las Vegas, no dia 1º de setembro. O evento será transmitido ao vivo pelo canal SPORTV.
 
CARD PRINCIPAL
Jon Jones x Dan Henderson
Jake Ellenberger x Jay Hieron
Dennis Siver x Eddie Yagin
Dennis Hallman x Thiago Tavares
John Lineker x Yasuhiro Urushitani
Michael Johnson x Danny Castillo

CARD PRELIMINARTakeya Mizugaki x Jeff Hougland
Tim Means x Abel Trujillo
Daron Cruickshank x Henry Martinez
Shane Roller x Jacob Volkmann
Kyle Noke x Charlie Brenneman

 

St-Pierre quer Spider, mas não agora: 'Isso está muito à frente no tempo'

Canadense diz que duelo não é garantido e elogia Chris Weidman: 'Está em um nível diferente e pode ser campeão se lutar contra Anderson primeiro'.

 



A possibilidade de enfrentar Anderson Silva deixou Georges St-Pierre animado. No entanto, o canadense não pensa nessa luta para um futuro breve, como quer a equipe do brasileiro. Em entrevista ao site americano "MMA Fighting", o atual campeão dos meio-médios deu total prioridade para seu próximo combate, contra Carlos Condit, provavelmente no UFC 154, em novembro:
- Pode acontecer, claro. Definitivamente pode acontecer, mas para mim isso está muito à frente no tempo. Neste momento, não estou pensando nisso. Não posso. Meu objetivo principal é ficar melhor (da lesão), e quando eu for lutar o objetivo será me preparar para ganhar a luta, o que eu preciso fazer para ganhar do cara. Eu preciso focar uma coisa de cada vez.
Recuperado de uma grave lesão no joelho direito, St-Pierre deixou claro que não escolhe adversário e que enfrentaria o Spider ou qualquer outro caso fosse desejo do Ultimate:
- Eu estou interessado em lutar contra quem quer que eles colocarem na minha frente. Eu não tenho medo de ninguém. Quero fazer a maior luta. Agora, eu acabei de voltar de um longo tempo fora e acho que o o primeiro cara da lista é o Carlos Condit. Então vou enfrentar quem me deram.
O canadense lembrou que Chris Weidman também está na fila para enfrentar Anderson Silva e fez elogios ao americano, dizendo que ele pode roubar o cinturão peso-médio do brasileiro:
 Você nunca sabe o que vai acontecer no futuro. Muitas coisas podem mudar. Há uma série de grandes lutas chegando. Eu vi Chris Weidman no treinamento. Ele está em um nível diferente e pode ser campeão do UFC se lutar contra Anderson primeiro. Então, essa luta (GSP x Spider) não está garantida. Se tudo correr bem, sim, talvez um dia ela aconteça. Mas agora eu acabei de voltar e preciso lutar contra Carlos Condit. Vamos ver o que vai acontecer em seguida.

Homenagem as mulheres que não gostam de treinar e criticam as que se propõe!

 

Guillard fica 600g acima do limite da categoria na pesagem do UFC 150

Lutador do peso-leve será multado pelo Ultimate. Campeão Ben Henderson sobe na balança 100g mais leve que o desafiante Frank Edgar.

 

                 Amigos, Donald Cerrone (esq.)  e Melvin Guillard se abraçam antes da encarada


Somente um lutador não conseguiu atingir o limite de sua categoria durante a pesagem do UFC 150, nesta sexta-feira, em Denver (EUA). E justamente um do coevento principal. Melvin Guillard subiu na balança com 71,4kg, 600g mais pesado do que o permitido para o peso-leve. Ele teve um tempo extra para perder o excesso, mas não conseguiu e será multado (o valor não foi divulgado). O dinheiro irá para seu adversário e amigo, Donald Cerrone. Ambos deram um abraço fraternal antes da tradicional encarada.
Apesar da falha na pesagem, Guillard não será repreendido por Dana White.
- Melvin Guillard aceitou a luta há pouco tempo, não terei má vontade com ele por não bater o peso desta vez - disse Dana, de acordo com o site "MMAWeekly".
Na luta principal, uma pequena surpresa: 8cm mais alto e considerado mais forte, o campeão Ben Henderson estava 100g mais leve do que o desafiante Frank Edgar. Os dois vão disputar o título do peso-leve neste sábado.
O duelo de sábado vai ser a primeira de Ben Henderson como campeão do UFC. Ele tirou o título exatamente de Frank Edgar, no UFC 144, em fevereiro. Como a luta foi bem apertada, e o resultado gerou polêmica, o Ultimate optou para colocar ambos para se enfrentar novamente.


                                Ben Henderson (esq.) bate 100g mais leve que Frank Edgar


Na antepenúltima luta, o ex-campeão dos médios do Strikeforce Jake Shields volta à categoria depois de uma passagem sem muito sucesso pelo peso-meio-médio do UFC. Ele vai encarar Ed Herman.
O SPORTV.COM acompanha o UFC 150 em Tempo Real neste sábado, a partir das 19h40m. O canal Combate exibe todas as lutas ao vivo.
 
UFC 150

11 de agosto de 2012, em Denver (EUA)
 
CARD PRINCIPAL
Peso-leve (até 70,3kg): Ben Henderson (70kg) x Frankie Edgar (70,1kg)
Peso-leve (até 70,8kg*): Donald Cerrone (70,3kg) x Melvin Guillard (71,4kg**)
Peso-médio (até 84,4kg*): Jake Shields (83,9kg) x Ed Herman (83,9kg)
Peso-médio (até 84,4kg*): Yushin Okami (83,9kg) x Buddy Roberts (83,5kg)
Peso-pena (até 66,2kg*): Justin Lawrence (65,8kg) x Max Holloway (65,8kg)
 
CARD PRELIMINAR
Peso-pena (até 66,2kg*): Dennis Bermudez (65,8kg) x Tommy Hayden (65,3kg)
Peso-médio (até 84,4kg*): Jared Hamman (83,5kg) x Michael Kuiper (83,9kg)
Peso-galo (até 61,7kg*): Ken Stonne (61,2kg) x Erik Perez (61,2kg)
Peso-galo (até 61,7kg*): Dustin Pague (61,7kg) x Chico Camus (61,2kg)
Peso-leve (até 70,8kg*): Nik Lentz (65,8kg) x Eiji Mitsuoka (65,8kg)

* Em lutas sem disputa de título, há tolerância de 1 libra (450g) para os lutadores
** Não conseguiu atingir o limite da categoria


Nelson rebate reclamação de Dana: 'Ele quer ser um lutador, mas não é'

Dirigente disse que lutador estaria criando problemas nas gravações do TUF 16, mas 'gordinho' diz que White 'não compreende o que é ser um lutador'.

 

                            Shane Carwin (esq.) e Roy Nelson serão os técnicos do TUF 16

A presença de Roy Nelson como técnico do TUF 16 continua rendendo dores de cabeça ao presidente do Ultimate, Dana White. Nesta semana, em entrevista ao site "MMA Fighting", o dirigente reclamou que o "gordinho" do UFC anda causando problemas nas gravações do reality show. O lutador decidiu se defender e deu a entender que Dana tem inveja da vida dos lutadores.
- (As reclamações de Dana White) Acontecem provavelmente porque ele quer ser um lutador, mas não é. Acho que nós estávamos falando sobre treinar ou algo assim, e (Dana) não é um treinador. Há uma compreensão sobre o que é ser um lutador, e acho que ele não compreende - disse Roy Nelson ao site "MMAjunkie".
Antes, Nelson já havia criado polêmica ao escolher assistentes técnicos que foram vetados pela organização. Nesta quinta-feira, o brasileiro Cesar Gracie divulgou que seus pupilos Nick Diaz, Nate Diaz, Jake Shields e Gilbert Melendez seriam assistentes de Roy Nelson no programa. O pesado também comentou o assunto e aproveitou para provocar Dana White mais uma vez.
- Você nunca sabe (o que vai acontecer) quando Dana está envolvido. Ele vai dizer a vocês uma coisa e, em seguida, cinco minutos mais tarde, dizer outra. Na semana passada, Shogun e Brandon Vera estavam lutando para ter a chance de disputar o título, e depois, de repente, (Lyoto) Machida e Ryan Bader estavam também. A próxima coisa que você sabe que ele vai dizer é que Randy Couture ganhará a disputa de título seguinte, quando ele voltar (da aposentadoria) - ironizou Nelson.
Além de Roy Nelson, o TUF 16 conta com Shane Carwin como técnico. O programa começa a ser exibido nos Estados Unidos a partir de setembro.

Overeem faz campanha por combate contra Cigano: 'Vamos fazer barulho'

Holandês pede ajuda dos fãs no Twitter para conseguir luta pelo cinturão.

 


Alistair Overeem não vai ficar só nas provocações para tentar conseguir o esperado duelo contra o brasileiro Junior Cigano, atual campeão peso-pesado do UFC. Empenhado na estratégia à la Chael Sonnen, falastrão americano que infernizou a vida de Anderson Silva por meio da imprensa, o holandês desta vez apelou aos seus fãs no Twitter e pediu a ajuda deles para fazer o combate pelo título acontecer.
- Vamos fazer barulho para que aconteça a luta contra o Junior dos Santos - escreveu o lutador.
Overeem já havia dito que Cigano estava com medo de enfrentá-lo e, por último, que, sem uma vitória sobre ele, o cinturão do brasileiro seria sempre questionado.
Enquete - Quem você quer ver como adversário de Cigano: Overeem ou Velásquez?
Pelas últimas movimentações nos bastidores do Ultimate, a estratégia tem dado certo. Conforme revelou Dana White, Cigano pediu ao UFC que enfrentasse Overeem em vez de Cain Velásquez, luta que já havia sido prometida ao americano e estava programada para o fim deste ano. Apesar de ainda não ter chegado a uma decisão, a organização gostou da ideia, uma vez que haveria tempo hábil para o holandês retornar da suspensão por doping, em dezembro. Por outro lado, quem ficou irritado foi Velásquez, que se autodeclarou o primeiro da lista entre os próximos desafiantes e disse que o brasileiro "não tem que escolher contra quem vai lutar".
Cigano e Overeem deveriam ter se enfrentado no duelo principal do UFC 146, em 26 de maio, mas o holandês caiu no exame antidoping por uso abusivo de testosterona e foi substituído por Frank Mir.

 

Wand, sobre biografia de Anderson: 'Ele não tinha que dizer certas coisas'

Ex-companheiro do Spider na Chute Boxe lamenta polêmica sobre o livro, mas diz que também vai publicar um quando estiver 'perto de morrer'.

 

Da esquerda para a direita, Rafael Cordeiro, Anderson Silva, Wanderlei Silva e  Rudimar Fedrigo  na época em que todos estavam na academia paranaense Chute Boxe


A publicação da biografia de Anderson Silva não foi muito bem recebida na academia Chute Boxe, onde o atual campeão dos médios do UFC treinou no início de carreira. No livro, o Spider cita o professor de muay thai e fundador da academia, Rudimar Fedrigo, como uma pessoa do “mal”, questiona sua faixa-preta e o acusa de tentar prejudicá-lo por várias vezes. Fedrigo conseguiu uma liminar que proíbe a circulação da publicação e também entrou com um pedido indenização por danos morais, além de pedir que os trechos em que é citado sejam retirados. Contemporâneo de Anderson na Chute Boxe, Wanderlei Silva comentou sobre a polêmica em entrevista ao "Sherdog". Segundo o "Cachorro Louco", certos trechos do livro poderiam ser evitados.
- Certas coisas não precisam ser ditas, sejam elas verdadeiras ou não. Ele não tinha que dizer certas coisas. Então, uma pessoa diz que algo é verdadeiro, e outro diz que não é. Isso não é bom para ninguém. Nem para ele, como um campeão, e nem para a outra pessoa, que pode ter sido injustiçada - disse Wand, que na sequência afirmou, em tom de brincadeira, que também produzirá uma biografia, mas só quando estiver perto de morrer.
Wanderlei Silva concedeu uma longa entrevista ao site americano e falou de outros assuntos, como a rivalidade com Vitor Belfort e o aproveitamento dos lutadores do TUF Brasil por parte do UFC. Confira os principais trechos:
 
Luta entre Anderson Silva e Chael Sonnen
"Sonnen teve um bom momento no primeiro round, e eu pensei que ele ia fazer isso até o fim da luta. Para nós, era como: "Será que vai acontecer de novo"? Mas no segundo round, Anderson conseguiu acertar o tempo, evitou a queda e terminou lindamente. Ele honrou o nome de todos os brasileiros que foram desrespeitados várias vezes pelo Sonnen. Parabéns ao Anderson, ele acabou com qualquer dúvida sobre a outra luta."


Vontade de enfrentar Sonnen
"Eu gostaria de enfrentá-lo. Ele é um grande adversário. Adoraria ser o próximo brasileiro a vencer o Sonnen. Então, Joe Silva (dirigente responsável por casar as lutas no UFC), meu nome está na lista. Eu aceitaria sem problema algum."


Lutadores do TUF Brasil que têm chance de ser campeão no UFC
"Rony Jason tem chance, porque ele é um lutador bem rodado, é bom na trocação e no chão. Massaranduba é bom em sua categoria de peso (leve). Ele é um cara que pode enfrentar qualquer um. Thiago Bodão é um cara que cresce nas adversidades. Todo mundo lá, cada um tem chance. Se eles consertarem seus erros, todos têm chance. Na minha mente, eu não vejo muitas limitações para as pessoas. Todo mundo pode evoluir quando eles estão comprometidos com seu trabalho."
 
Convivência com Vitor Belfort no reality show
"Nós não tínhamos muito contato, graças a Deus. O contato que tinha era quando estávamos escolhendo as lutas. Então, o cara vinha e soltava suas pérolas de sabedoria. Há pessoas que não nasceram para trabalhar juntas, e eu não nasci para trabalhar com ele. Há pessoas cujos espíritos não coincidem e não tem jeito. O que posso fazer? Ele é um cara que eu não teria perto de mim."

Crescimento do MMA no Brasil
"Conseguimos realmente popularizar o esporte agora. Todo brasileiro gosta de luta, mas eles não tinham acesso, só tarde da noite em pay per view. Agora que temos mais acesso ao esporte, todo mundo se apaixonou. Fico feliz em fazer parte deste momento do MMA no Brasil. O esporte é finalmente reconhecido, e a estrada para os atletas mais novos é um pouco mais fácil. Eles recebem patrocínios, as melhores academias, os melhores treinadores."
 
Polêmica sobre a biografia de Anderson Silva
"Certas coisas não precisam ser ditas, sejam elas verdadeiras ou não. Ele não tinha que dizer certas coisas. Então, uma pessoa diz que algo é verdadeiro, e outro diz que não é. Isso não é bom para ninguém. Nem para ele, como um campeão, e nem para a outra pessoa, que pode ter sido injustiçada. Minha biografia, eu vou liberá-la quando estiver perto de morrer. Então, posso falar sobre tudo (risos). Acho que vou escrever um livro também. Há um monte de histórias que vivemos. Não posso deixar os problemas que eu já passei sem uma solução."

 

Murilo Ninja revela ter desavença com treinador de Mauricio Shogun

Irmão mais velho do lutador brasileiro não ficou no córner na última luta, contra Brandon Vera, vencida por nocaute pelo curitibano.

 

                                           Mauricio Shogun e Murilo Ninja, no UFC 139


Ausência sentida no córner de Mauricio Shogun, no combate contra Brandon Vera, o irmão mais velho do lutador brasileiro, Murilo Ninja explicou pelo Twitter o motivo de não ter participado da equipe. Ele revelou desavenças com André Dida, treinador de Shogun.
- Galera, não estive com o Mauricio nessa luta porque tenho um problema com o Dida. Não concordo com o córner e com os treinos dele - postou Murilo Ninja, no microblog.
No sábado, Shogun bateu Brandon Vera por nocaute, no quarto round. No combate, o brasileiro mostrou um preparo físico abaixo do ideal e admitiu o problema, após a luta.
- Não consegui dar o melhor de mim, mas vou provar que posso ser melhor. Cansei um pouco, não deveria. Com todo respeito ao Brandon, mas consegui meu objetivo, que era a vitória - disse Shogun após a luta, admitindo que ficou bem cansado no decorrer da mesma.

 

Luta com José Aldo no futuro anima Frankie Edgar: 'Grande possibilidade'

Ex-campeão diz que combate vai acontecer, seja nos penas ou nos leves. Ele não considera o tamanho uma desvantagem na categoria até 70,3kg.

 

                                                                 Frankie Edgar 


No entanto, mesmo com o sucesso do pequeno americano frente aos adversários sempre maiores do que ele, o presidente Dana White não estava satisfeito com aquela "injustiça" e queria mudanças. Queria que Frankie descesse para a divisão peso-pena (até 65,8kg), pedido que ficou mais insistente com a derrota para Ben Henderson no UFC 144, no Japão, em fevereiro. Mas não teve jeito e, após Edgar ceder ao pedido de revanche tanto para BJ Penn - de quem tirou o cinturão em 2010 - quanto para Maynard, foi a vez de ele ganhar a sua, que está marcada para o UFC 150, na noite deste sábado, na cidade de Denver, nos Estados Unidos.
Desde o anúncio desta luta, ele teve tempo para pensar e já analisa com uma cabeça bem mais aberta se render ao Ultimate e finalmente baixar mais alguns quilos. Mas, independentemente de mudar de categoria ou não, existe uma outra coisa que o ex-campeão olha com bons olhos. Grandes olhos, na verdade. Dentre as chamadas "lutas dos sonhos" que o UFC ainda pretende realizar, uma delas com certeza é José Aldo x Frankie Edgar. Campeão dos penas, o manauara já cogitou subir de peso, o que torna o duelo possível em duas divisões. Para o americano, é mais do que possível, é provável. Foi o que ele deixou claro em entrevista exclusiva ao SPORTV.COM.
- Acho que é uma grande possibilidade. Posso descer para o peso pena, e ele (José Aldo) é um dos melhores do mundo. É uma possibilidade. (...) Pode acontecer em qualquer uma (categoria de peso). Não importa a divisão, essa luta vai acabar acontecendo - disse, por telefone.


Quando ainda tinha o cinturão: menor do que os rivais, como o campeão Ben Henderson


Edgar achou uma brecha nos movimentados últimos dias antes da revanche contra Henderson e gentilmente atendeu à reportagem. Além de José Aldo, falou sobre o Brasil e seus parceiros de treino brasileiros, como Renzo Gracie e Ricardo "Cachorrão" Almeida, e negou que seu tamanho seja uma desvantagem contra os oponentes. Focado na chance de recuperar o cinturão, ele prometeu aos fãs trazê-lo de volta. A seguir, leia a entrevista na íntegra.
 
SPORTV.COM: Como foi seu período de treinamento para esta luta? Como se sente?
FRANKIE EDGAR: Foi muito bom. Trabalhei muito bem, tive bons técnicos. Vim para o Colorado (estado onde fica Denver, local do UFC 150) há algumas semanas para me aclimatar com o ambiente. Estou pronto para lutar.


                                                               O lutador e os filhos


Você mudou alguma coisa em comparação à primeira luta contra o Ben Henderson?
Não mudei nada. Tive somente alguns parceiros de treino diferentes, mas são os mesmos treinadores, é basicamente a mesma coisa.
Acha que perdeu a primeira luta?
Foi uma luta equilibrada. Eu poderia ter vencido, mas não quero entrar nessa questão agora. Tenho essa revanche pela frente. Então, vamos ver o que acontece.

Bendo é mais alto e mais largo do que você. Acha que isso pode fazer diferença?

Acho que não. Lutei como peso-leve a minha carreira toda. Meus parceiros de treino são maiores do que eu. Isso não afeta em nada.
Se esta luta for parelha como a primeira, pensa que será possível uma terceira?
Não. Eu quero resolver isso e seguir em diante. Não pretendo fazer uma terceira luta contra o Ben Henderson.
Olhando para suas últimas lutas, principalmente contra o Gray Maynard, você é definitivamente um guerreiro dentro do octógono. Você se considera o "Rocky Balboa do MMA", como muitas pessoas vêm te chamando?
Não (risos). Acho muito legal ser associado a ele, mas eu luto como Frankie Edgar. Às vezes me acertam, mas eu sigo em frente. Tento ser eu mesmo.
Renzo Gracie e Ricardo Cachorrão são seus treinadores. O que você pensa do Brasil e dos lutadores brasileiros?






                          O brasileiro e professor Ricardo Cachorrão e o amigo Frankie Edgar


Cara, você sabe... Os brasileiros são ótimos, muito representativos no esporte. Ricardo e Renzo são ótimos amigos, ótimos treinadores. Somos como uma família. E adoro os fãs brasileiros pelo mundo.
Quem é o melhor peso-por-peso do mundo na atualidade?
Anderson Silva, porque ele é muito dominante nas suas lutas, ganha de forma muito fácil.
A divisão dos leves tem vários nomes fortes, como você, Bendo, Nate Diaz, Gray Maynard, Anthony Pettis... Qual desses você considera o mais perigoso de se enfrentar?
Acho que é o Ben Henderson, pelo que ele fez na primeira luta. Lutou bem, mas agora terei a revanche. Vamos ver.
Dana White há muito tempo quer te ver no peso pena. Se não vencer Ben Henderson, você vai finalmente fazer essa mudança de categoria?
Não vou decidir isso agora, antes da luta. É difícil, mas não estou pensando em nada disso. Só depois da luta.
Em uma escala de 0 a 10, qual é a chance de você descer de peso?
Não sei. Diria 5, porque ainda não sei mesmo.
Os fãs de MMA querem ver uma luta entre você e o José Aldo, campeão dos penas. Acha que esse encontro pode acontecer um dia?
Acho que há uma grande possibilidade. Posso descer para o peso pena, e ele é um dos melhores do mundo. É uma possibilidade.
Há mais chances de essa luta contra o Aldo acontecer nos leves ou nos penas, uma vez que ele já cogitou subir de categoria?
Pode acontecer em qualquer uma. Não importa a divisão, essa luta vai acabar acontecendo.
Você já é bem conhecido por aqui. Quando vem visitar o Brasil?
Eu adoraria, sempre falo com meus treinadores. No futuro definitivamente vou fazer uma viagem para o Brasil.
Para finalizar: tem alguma mensagem para seus fãs brasileiros?
Queria agradecer aos meus fãs brasileiros. Sei que eles adoram o MMA. E quero dizer também para que assistam à minha luta neste sábado, porque vou trazer o cinturão de volta.

                      A decepção após o anúncio da derrota para Bendo, no UFC 144, no Japão






Caldeirão: 'Eu via dois, mas teria nocauteado Davis e Mr. Wonderful'

Brasileiro brinca com apelido do americano ao explicar que não disse ao médico que não tinha condições de combate, mas crê em decisão acertada.

 

                                    Foto mostra corte abaixo do olho de Wagner Caldeirão


Wagner Caldeirão reagiu com gritos e choro ao saber que o árbitro havia encerrado como "sem decisão" sua luta de estreia no UFC contra Phil Davis, no último sábado, em Los Angeles. Com menos de um minuto e meio de ação, o brasileiro levou um dedo no olho direito aparentemente sem intenção, que abriu um pequeno e perigoso corte um pouco abaixo do local - perigoso porque sangue no olho pode causar problemas sérios na vista de uma pessoa. Quando perguntado sobre como se sentia naquele momento, Caldeirão disse que "estava vendo dois", o que foi a deixa para o fim do duelo. Apesar da decepção, o lutador já voltou ao bom humor de costume, repensou a decisão do árbitro e até brincou com o apelido do de Davis ao dizer qual era a pergunta mais prudente que deveria lhe ter sido feita pelo médico.
- Agora eu acho que foi uma boa decisão. (...) Se tivessem me perguntado "você pode seguir na luta?", eu teria dito que sim. Eu via dois, mas eu teria nocauteado o Phil Davis e o "Mr. Wonderful" (em português: Sr. Maravilhoso) - disse ao site "MMA Junkie" por meio de seu treinador e tradutor, o americano Eric Albarracin, referindo-se ao apelido do adversário.
De acordo com Albarracin, os representantes do UFC estavam preocupados exatamente com o fato de o sangramento ser bem próximo do olho de Caldeirão, mas ele acredita que houve falta de comunicação, já que foi impedido de entrar no octógono para fazer as traduções entre o pupilo e a organização. O técnico de wrestling se surpreendeu com a atitude de Wagner momentos antes do episódio:
- Ele está um pouco verde. Mas ele tinha que vir para este grande show. Nunca o vi mais relaxado. Ele fez aquecimento depois do Nam Pham (que lutou um combate depois). Então, acho que ele estará ainda mais calmo e relaxado na próxima luta.
Wagner Caldeirão tem uma consulta marcada com um médico especialista em olho nesta segunda-feira, onde pretende já definir em quanto tempo poderá estar de volta ao octógono. De acordo com o presidente Dana White, o Ultimate quer remarcar o duelo contra Davis para o card do "UFC: Browne x Pezão", que ocorre no dia 5 de outubro, em Minneápolis.
- Acredito que isso foi um teste, e eu passei nele. Posso ser um campeão - afirmou o brasileiro.