Entenda como foi a quinta-feira que entrou para a história do MMA

Dia teve três mudanças de adversários, dois anúncios de disputa de cinturão, alteração de programações e evento cancelado de forma inédita.

 



Um dos dias mais confusos da história do MMA, a última quinta-feira entrou para a história como sendo a data em que, pela primeira vez, um evento inteiro do UFC foi cancelado após não se chegar a um acordo sobre qual seria a sua luta principal. E não foi só isso. Informações desencontradas, suspense, dois anúncios de disputa do mesmo cinturão com desafiantes diferentes, alterações em cards de duas outras edições do UFC, e um Dana White descontrolado em uma das mais polêmicas coletivas de imprensa de todos os tempos.

Confira a linha de acontecimentos e entenda a história do "dia que não acabou" do UFC:
4h30m - Começam a surgir rumores de que Dan Henderson, que seria o desafiante de Jon Jones na disputa do cinturão dos meio-pesados no UFC 151, teria lesionado o joelho e estaria fora do evento. Especulações sobre possíveis adversários davam conta de que Chael Sonnen poderia ser o novo rival de Jon Jones.
8h30m - Os rumores sobre Sonnen ter aceitado lutar contra Jon Jones, e o campeão ter recusado, crescem.
10h - Postagens nos Twitters de lutadores e jornalistas americanos indicam que Jon Jones teria aceitado enfrentar Sonnen, e que o anúncio oficial seria feito em poucas horas.
13h - Jon Jones teria avisado a Dana White que aceitaria lutar contra Chael Sonnen.

13h30m - Dana White convoca uma coletiva de imprensa com urgência, para falar sobre decisões relativas ao UFC 151
14h - Jon Jones teria voltado atrás e informado a Dana White sua desistência em enfrentar Chael Sonnen no UFC 151. O dirigente teria ficado indignado, e tentado convencer o campeão a mudar de ideia. Em vão.
14h15m - Anderson Silva, Vitor Belfort e outros lutadores mandam mensagens a Dana White se colocando à disposição para lutar, e evitar o cancelamento do evento. Anderson faz apenas um pedido: não lutar contra Jon Jones. O Spider aceitaria enfrentar qualquer outro meio-pesado no evento. Belfort se coloca à disposição, inclusive para enfrentar Jones no dia 1 de setembro.
14h30m - Chael Sonnen posta em seu Twitter uma espécie de desafio a Jon Jones, dizendo que era chegada a hora dele mostrar se era um campeão ou um covarde, e garantindo que lhe daria sua bolsa, caso ele aceitasse o duelo.
14h55m - Sonnen posta novamente no Twitter, desta vez apenas uma frase: "Tempo esgotado".
15h - Dana White inicia a entrevista coletiva confirmando que Dan Henderson lesionou-se no joelho, e revelando que Jon Jones não aceitou lutar contra Chael Sonnen em 1 de setembro. Por isso, o UFC 151 estava oficialmente cancelado. Irritado, o presidente do UFC dirigiu xingamentos a Greg Jackson, treinador de Jones, e disse ser inaceitável que um campeão como Jones recuse uma luta contra Chael Sonnen. Dana White também revela que a defesa do cinturão dos meio-pesados acontecerá dia 22 de setembro, em Toronto, no Canadá, e Lyoto Machida seria o adversário de Jon Jones.
15h15m - Começam a surgir protestos de lutadores e fãs nas redes sociais. Atletas que estariam no card do UFC 151 recriminam Jon Jones por não ter aceitado enfrentar Chael Sonnen.


 

16h - Pôsteres com as fotos de Jon Jones e Lyoto Machida começam a ser produzidos, e as fotos de Jones e Machida já ilustravam o site oficial do UFC, anunciando a luta principal do UFC 152, dia 22 de setembro, em Toronto.
18h - Algumas lutas que estavam no card do UFC 151 começam a ser reposicionadas nos eventos seguintes.
23h - Lyoto Machida avisa a Dana White que recusa a luta contra Jon Jones, por não ter tempo suficiente para se preparar para ela.
1h - Dana White entra em contato com Vitor Belfort, que aceita a luta contra Jon Jones pelo cinturão dos meio-pesados em 22 de setembro.
2h - Dana White entra em contato com Jon Jones, que aceita lutar contra Vitor Belfort pelo cinturão.
3h - É anunciada oficialmente a substituição de Lyoto Machida por Vitor Belfort no evento principal do UFC 152.

 

Nenhum comentário: