Proprianato de Drostanolona (Masteron) – Perfil e utilização no meio esportivo

Propionato de Drostanolona (Masteron) – Perfil e utilização no meio esportivo


O Masteron nome comercial do Propionato de Drostanolona; se popularizou nos últimos anos nas academias, tendo muita marca underground tirando proveito disso hoje por incrível que parece encontramos do mercado negro esteroides com QSPs de varias cores, um arco íris de hormônios e no caso a Masteron criou- se um mito ou lenda melhor dizendo que ela é a “Droga Verde” devido a grande propaganda de uma marca underground que usa óleo de uva verde como qsp para esta droga. Porém é bom salientar que desde então e mesmo sendo raridade antes deixe grande jogada, a masteron em si tem a cor transparente ou amarelada variável de acordo com o veiculo utilizado na sua fabricação.
Se o atleta ou usuário não pretende utilizar uma grande quantidade de testosterona injetável e se pretende não usar ou usar uma quantidade moderada de trembolona, o Masteron é frequentemente a alternativa ideal para inclusão numa combinação de esteroides, ou, em alguns casos, para utilização como único injetável num ciclo de esteroides.
O Masteron não sofre qualquer aromatização (conversão em estrogénio), conversão para DHT ou potenciação pela enzima 5-AR e, como esteroide não-alquilado, não representa uma ameaça para o fígado. Nestes aspectos, e no que diz respeito aos efeitos secundários no geral, o Masteron é considerado melhor e menos toxica do que a Primobolan Depot.
No entanto em termos de efeitos positivos num ciclo de esteroides anabolizantes, o Masteron é pelo menos tão eficaz quanto o Primobolan por miligrama para o ganho muscular e para a perda de gordura, e para ser melhor para a rigidez ou seja densidade muscular.
A drostanolona tem alguma reputação pela sua atividade anti-estrogénica, mas este efeito é na realidade muito sutil. Se a adição de esteroides aromatizantes a um ciclo provocar níveis substancialmente excessivos de estrogénio, acrescentar o Masteron não vai resolver esse problema. Em vez disso, deve ser usado um inibidor da aromatase, como o letrozol ou o anastrozol. Contudo, nos casos em que está a ser usada apenas uma quantidade moderada de esteroide aromatizando, o Masteron pode, em muitas situações, ser suficiente como agente anti-estrogénico.
Comparando o Masteron com outros estrogénios, muitos dizem que o Masteron é um esteroide “fraco”, mas tal não é definitivamente o caso. O que normalmente é fraco são as doses! Devido à escassez, preço e baixa concentração das preparações (100mg/mL), as doses desde fármarco têm sido historicamente baixas. Contudo, tanto a disponibilidade como o preço tem melhorado marcadamente nos últimos anos.
Quando incluído como parte de um conjunto de esteroides, a contribuição do Masteron por miligrama é pelo menos tão grande quanto a da testosterona, boldenona (Equipoise), nandrolona (Deca), ou metenolona (Primobolan.). Mas, obviamente, se forem adicionados apenas 100 ou 200 mg por semana, não serão detectadas grandes alterações.
O Masteron pode ser o único injetável utilizado: neste caso, preferia que fossem usadas doses de 500-700 mg/semana. Contudo, uma combinação Masteron/Dianabol ou Masteron/Anadrol seriam mais eficazes. A testosterona também combina bem com o Masteron.
Outra forma de usar o Masteron, que se tem tornado mais comum ultimamente, é em combinação com a trembolona. Ao contrário da combinação com Dianabol ou Anadrol, existe apenas um efeito aditivo, não sinérgico. Contudo, incluir o Masteron permite que se usem doses mais baixas de trembolona, ao mesmo tempo que se obtêm o benefícios físicos iguais ou semelhantes, com um menor potencial para efeitos secundários específicos da trembolona, como os suores noturnos, a tendência aumentada para a agressão e/ou a insónia.
O Masteron também é útil em combinação com a testosterona para terapia de substituição hormonal (HRT) auto-prescrita. Por exemplo, 100 mg/semana de Masteron e testosterona podem fornecer benefícios físicos superiores aos de 200 mg/semana de apenas testosterona, ao mesmo tempo que têm efeitos secundários mais ligeiros devido à geração de níveis inferiores de estradiol (estrogénio) e DHT.
Ciclos com apenas Masteron
Não recomendo a utilização de apenas Masteron para um ciclo de esteroides ou para HRT, pois os níveis de estradiol ficam tipicamente demasiado baixos nestas circunstâncias. A inclusão, por exemplo, de pelo menos 100mg/semana de testosterona, pelo menos 10mg/dia de Dianabol ou pelo menos 700 IU/semana de HCG irá manter os níveis de estradiol normais durante um ciclo de Masteron, caso se pretenda fazer isto.
Enquanto éster de propionato, o Masteron tem uma meia-vida de provavelmente dois dias e, consequentemente, deve ser preferencialmente injetado em dias alternados, ou, idealmente, todos os dias. A versão de éster de enantato com uma meia-vida de provavelmente 5 dias tem-se tornado mais acessível. Esta versão do Masteron é utilizada com um frequência de até 2 vezes por semana.
A forma tradicional (propionato) do Masteron também é vantajosa em ciclos breves ou para uso no final de um ciclo maior, permitindo uma transição mais rápida dos níveis sanguíneos altos e anabolicamente eficazes para níveis suficientemente baixos para que haja a recuperação da produção natural de testosterona.
Finalizando este artigo bom frisar que cada um é responsável por si mesmo, porém evite o uso de qualquer medicamento sem prescrição medica. Bom frisar que os esteroides é sim uma realidade no fisiculturismo porém não é a solução! Sem dieta , disciplina no treino você não ira chegar a lugar algum e ainda tendo em risco de sofrer consequências por uso e abuso de drogas como tal!

Nenhum comentário: